A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

07/05/2012 13:45

"Está dificil viver", diz mãe de pai e filho mortos atropelados em ciclovia

Luciana Brazil
Um tênis da vítima estava em meio aos destroços do carro. (Foto:Luciana Brazil)Um tênis da vítima estava em meio aos destroços do carro. (Foto:Luciana Brazil)

Amparada por um sobrinho, Virgínia Ramires, 39 anos, mal conseguia falar. Entre lágrimas, a mulher que perdeu o esposo e o filho de 12 anos em um atropelamento, revelou que tem “vontade de sumir”. No último sábado (5), o esposo, Luiz Carlos de Souza Silva, 47 anos, e o filho, Luiz Vinícius Ramires Silva, foram atropelados na ciclovia da rua José Barbosa Rodrigues, no bairro Zé Pereira, por um carro que perdeu a direção e invadiu a calçada.

Veja Mais
"É tragédia que não tem palavras", diz parente de vítimas de atropelamento
Morre 2ª vítima de atropelamento em ciclovia no Zé Pereira

“Só Deus para me fortalecer”, disse Virgínia. Segundo ela, mesmo depois da tragédia os planos não devem mudar. “Eu vou continuar morando aqui nessa casa. Não quero sair daqui, pelo menos por enquanto. Meu marido reformou toda a casa e estava construindo um banheiro para nosso quarto. Era só a gente, ta muito difícil”. Depois de uma pausa, Virgínia concluiu, tentando acreditar no que dizia. “Acabei de saber que eu perdi o meu filho”.

Ela contou que no momento do acidente estava ao lado do filho e do marido e assistiu a tudo, bem de perto. “Eu voltei para fechar o portão e quando eu cheguei perto deles o carro passou. Era para eu ter sido atropelada também, mas só não fui porque ainda não tinha subido na bicicleta”.

Acidente: Vizinhos e testemunhas que passavam pelo local contaram detalhes do acidente. “Era por volta das 16h30. O carro vinha na pista ao lado da ciclovia. Ele devia estar pelo menos a 100 km/h, no mínimo. Ele bateu no meio fio e, mais para frente um pouco, rampou o meio fio e pegou os dois de costas. O carro passou bem do lado dela (Virgínia)”, contou um morador do bairro que não quis se identificar.

Crianças observavam o lugar onde as vítimas foram arremessadas. (Foto:Luciana Brazil)Crianças observavam o lugar onde as vítimas foram arremessadas. (Foto:Luciana Brazil)

“O pai foi jogado para cima e voou muito alto. Ele caiu a mais de 50 metros depois da batida e o menino a cerca de 40 metros. Eles caíram no mato. A mãe se desesperou, ela disse ‘meu filho’ e saiu correndo para ver o menino e depois voltou para ver o marido”.

Depois da batida, as testemunhas disseram que o pai gemia alto e o menino estava inconsciente. “Ele gritava alto e estava consciente, mas o menino ficou desacordado. Eu acho que o pai morreu logo depois de entrar na viatura do Samu porque ele estava muito mal”, disse o morador.

Os vizinhos disseram que o motorista do carro desceu do veículo logo depois do incidente e ficou perambulando pelo lugar. “Ele saiu tão rápido que ninguém percebeu que ele era o motorista. Ele tirou a camiseta e colocou no nariz, que estava quebrado. Ele também quebrou todos os dentes e saia muito sangue da boca dele”.

Segundo um jovem que presenciou o fato, um homem teria falado ao motorista, que seria melhor se ele entrasse no carro da polícia para não ser linchado pelos moradores.

Evandro Ribeiro dos Reis, 33 anos, escutou quando o condutor disse que havia perdido a direção. “Depois do acidente, eu escutei o motorista do carro dizendo que ‘caçou’ o freio, mas não achou e disse que tinha perdido a direção. A impressão que deu, foi que ele acelerou ao invés de frear. E eu vi que antes de bater o carro no meio fio, ele já vinha com o veículo em ziguezague. Eu ouvi ele dizendo também que não fazia revisão no carro e ficou falando que perdeu a direção”, contou Evandro.

Os moradores estão com medo de se envolver no caso, já que um sobrinho do condutor teria os ameaçado. “Esse rapaz é encrenqueiro e já arranjou confusão aqui no dia do acidente”, contou uma mulher.

Outra moradora do bairro contou que a locatária do motorista esteve no local do atropelamento e assegurou que o inquilino nunca deu problema. “Ela disse que ele é um bom homem, que não bebe e trabalha como pintor. Ele já mora lá há um ano”, completou.

Momentos antes da tragédia - Alex Alves dos Santos estava em frente a casa da irmã, ao lado da residência das vítimas, quando foi a casa deles para buscar uma ferramenta. “Cerca de 10 minutos antes do acidente eu fui até a casa deles. Luiz Carlos estava deitado na rede e o menino disse que ia pegar a bicicleta para andar com o pai”.

Os moradores confirmaram que a família costumava caminhar e andar de bicicleta na ciclovia.

Via perigosa - De acordo com os vizinhos, o pai alertava constantemente o filho para tomar cuidado com a calçada. “Luiz falava para o Vinícius que não era para ele ficar na calçada porque era perigoso. É muito triste”, disse Alex.

Os moradores afirmaram que a via é rápida e ninguém respeita o limite de velocidade. “Praticamente não tem sinalização, só o sinal. Tinha que ter lombada eletrônica e quebra-mola para evitar que as pessoas corram tanto. Porque se o cara (motorista) viesse mais devagar poderia ter evitado tudo isso”, disse uma testemunha.

Morre 2ª vítima de atropelamento em ciclovia no Zé Pereira
Morreu na manhã desta segunda-feira (7), o adolescente de 12 anos atropelado junto com o pai em uma ciclovia na avenida José Barbosa Rodrigues, no ba...
Morre ciclista atingido por carro em ciclovia no bairro Zé Pereira
Luiz Carlos e o filho de 12 anos, foram atingidos por um Escort depois que o motorista perdeu o controle da direção e invadiu a cicloviaO ciclista L...



Infelizmente muitas pessoas só sabem criticar, procurando culpar a falta de sinalização. Sim, claro, precisamos de locais sinalizados, mas onde fica a parte que devemos ser cuidadosos , EDUCADOS no transito??? ser humano sempre tentando tirar a culpa de si proprio. QUE PENA.
 
Elissandra Andrade em 11/05/2012 12:43:19
O MUNDO ESTA INUNDADO DE TRISTEZAS!!QUE DEUS CONFORTE ESSA MULHER QUE ASSISTIU TAMANHA PERDA!!!
 
Lena Rodrigues em 08/05/2012 12:21:54
Tem que encher esta cidade de lombada eletronica e quebra molas , se não vai morrer muita gente ainda... esse projetinhos aí de conscientização ... isso não leva à nada!!!
 
Márcia Borges Momenti em 07/05/2012 08:08:28
O problema dos acidentes em Campo Grande, não é culpa dos motorista. Mas sim dos urbanistas que fizeram esta cidade e ainda continuam a redigir o plano diretor de Campo Grande. So tem avenidas gigantescas em linha reta. No passado tinhamos afonso pena, a matogrosso, julio de castilho sem nenhum obstaculo e ainda temos saida para sao paulo, duque de caxias e esta a mais recente a via morena e outra
 
Gilberto DIAS em 07/05/2012 05:33:55
QUE DEUS ACOLHA EM SEUS BRAÇOS "PAI E FILHO" E QUE DE FORÇAS PARA A MAE SUPERAR A DOR QUE NINGUEM IMAGINA COMO DEVA SER, POIS A PERDA FOI IRREPARAVEL PARA ELA. ESTAMOS TODOS ORANDO POR TODOS.
 
Rodrigo Lenz em 07/05/2012 05:17:50
SANTO DEUS QUANTAS VIDAS MAIS AINDA SERÃO SEIFADAS PARA QUE AS AUTORIDADES FAÇAM ALGUMA COISA QUE COIBA AS PESSOAS DE TANTAS IMPRUDENCIAS? QUE PREÇO TEM UMA VIDA.... SERÁ QUE ESSAS CICLOVIAS SAO DE VERDADE MELHORIA PARA AS PESSOAS? E PARA A CIDADE? ....QUE DEUS DE O ALENTO PARA ESSA MAE E ESPOSA...TENHA MUITO ANIMO E CONFIE NO TODO PODEROSO DEUS QUE É A NOSSA FORTALEZA.....JESUS TE DÊ MUITA FORÇA.
 
ARTEMIS RODRIGUES DA SILVA em 07/05/2012 04:59:44
MINHA SENHORA, SÓ MESMO DEUS PARA DAR-LHE O CONFORTO ADEQUADO. ACREDITO QUE CAMPO GRANDE TODA, JA OROU PELA SENHORA. MAS DIFCIL MSMO DE VIVER, É COM NOSSA LEGISLAÇÃO ANTIQUADA, PROTECIONISTA QUE SEQUER SABE COMO PUNIR UM ASSASSINO COMO ESTE QUE DIZIMOU SUA FAMILIA. OS AGETRANS, SO SABEM MULTAR QUEM NAO MARCA O PRQUIMETRO. SE ESTIVESSEM EM BLITZ, TODO DIA, PEGARIAM ESSE CARRO SEM CONDIÇÕES. E...
 
LUCIANO MARQUES em 07/05/2012 04:33:38
Revolta, indignação é o que resta à população de Campo Grande quando tragédias como essa acontecem. È fato, todos concordam. As placas de limite de velocidade nesta cidade são mero enfeite, motoristas e motociclistas brincam com suas vidas e com as de outros. O que resta à população? Indignação. Até quando?
 
Ana Souza em 07/05/2012 04:28:59
Q DEUS CONFORTE O CORAÇÃO DESSA MÃE E DESSA FAMILIA,AGORA É SÓ DEUS MESMO..........
 
nilda lima em 07/05/2012 03:42:46
Que Deus ampare esta mãe e esposa.
Perder seus entes tão próximos deve ser uma dor horrível.
 
José Carlos de Almeida em 07/05/2012 03:36:55
Eles tinham que colocar proteção nas ciclo vias. Na ciclovia na saida para cuiaba, o ciclista vai do lado do carro separado somente pelas pedrinhas no chao. é mais seguro voce ir pelo acostamento. na via que da ao aeroporto tbem, se o carro sair da pista vai direto na ciclovia.....
 
thiago souza em 07/05/2012 02:39:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions