A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

09/07/2012 11:08

Estudante que dirigia carro em acidente com morte admite que bebeu vodka

Francisco Júnior e Paula Maciulevicius
Local onde aconteceu o acidente. (Foto: Simão Nogueira)Local onde aconteceu o acidente. (Foto: Simão Nogueira)

A estudante de Direito Jaelke Carrelo Rodrigues 19 anos, condutora do carro em que estava Naiane de Melo Nunes, 19 anos, morta após o veículo colidir contra um coqueiro na avenida Mato Grosso, confirmou, em depoimento, que havia bebido antes do acidente.

Veja Mais
Vídeo mostra momento de acidente com morte na avenida Mato Grosso
Condutora de veículo que capotou na MT se recusou a fazer teste do bafômetro

Jaelke disse que bebeu duas doses de vodka e que estava na companhia das outras vítimas em um posto de combustíveis, que fica no cruzamento da avenida com rua Ceará.

A jovem afirmou ainda no depoimento prestado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) da região central que estava dirigindo seu carro, um Corsa Classic, em alta velocidade e que o acidente aconteceu ao desviar de um veículo que seguia na frente.

A estudante perdeu o controle do carro, que bateu contra o meio-fio, atingiu uma placa de sinalização e só parou ao colidir em um coqueiro no canteiro central da avenida. Ela não se feriu no acidente e ficou no local aguardando a Polícia e as equipes de resgate.

Jaelke se recusou a fazer o teste do bafômetro. Policiais da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito) que atenderam a ocorrência, registraram um termo circunstanciado de embriaguez.

A condutora foi encaminhada para a delegacia e após prestar depoimento foi liberada. O delegado plantonista da Depac, Tiago Macedo, não arbitrou fiança, explicando que neste caso não cabe esse tipo de medida.

Inicialmente, o delegado informa que indiciou a jovem por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. “Ela não teve a intenção de provocar o acidente, foi uma serie de fatores, alta velocidade, falta experiência”, disse destacando que o indiciamento pode mudar para doloso caso os laudos da perícia mostrem que houve imprudência e imperícia da estudante.

“Preferimos cautela até ficar esclarecido”, acrescentou.

Além de Naiane e Jaelke, também estavam no carro Márcia Louise Rodrigues Barros, 19 anos, Daniel Brigatto Custódio, 17 anos, e Eduardo Soares de Melo, 16 anos.




Fiquei confusa agora!!! Qndo um condutor ingere bebida alcóolica e transita em alta velocidade em via pública, ele não está assumindo o risco de matar alguém??? Estranho!!!
 
Karina Silva em 09/07/2012 12:39:22
Força Hilda, José, Natalie e Família. Fiquei sabendo a poucos instantes da notícia e gostariamos muito de estar próximos para dar-lhes apoio neste momento. Palavras sei que não vão amenizar o sofrimento da perda de nossa casula, aliás nada esta amenizando nossa dor. Mas confiemos sempre que todos temos um proposito em em nossas vidas e Naiane cumpriu o seu. Ela nasceu para trazer alegria e trouxe
 
Fábio Montani em 09/07/2012 08:03:51
A combinação de alcool e alta velocidade, resultando em acidente fatal, não deveria resultar SEMPRE em indiciamento por homicidio doloso? Ainda mais quando a culpada é estudante de direito (deveria conhecer a lei melhor que outros) e o carro tinha 6 ocupantes (um a mais que o numero de cintos de segurança, que é proibido). Alias, a unica vitima é aquela que estava sem cinto! Mais blitze por favor!
 
Marcos da Silva em 09/07/2012 03:15:35
Que tristeza ao ler mais uma reportagem de jovens meninas, acadêmicas (eng. elétrica e direito) envolvidas em páginas policiais. A primeira presa por tráfico, essa outra respondendo por homicídio culposo. É sério, o que fazer para que isso tenha fim? Se para as leis, dirigir alcoolizada, em alta velocidade não indica tentativa de homicidio, então se deve soltar a est. eng. ela não queria matar
 
Patricia Cabreira em 09/07/2012 02:43:14
Claro que qdo uma pessoa bebe e dirigi em alta velocidade ela está assumindo o risco de matar alguém. Obs: Nda contra mas é mais um academico(a) de direito envolvido em um acidente dessas proporções. Lamentavel.
 
Willian de Souza em 09/07/2012 02:42:32
Todos temos que pagar pelas consequencias qie causam as nossas atitudes, muito mais quando essas atitudes colocam em risco vidas. Não é preciso cautela nesse momento e sim justiça.
 
Rebec de Souza em 09/07/2012 02:20:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions