A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

17/05/2012 12:45

Justiça manda a júri popular rapaz que matou 2 em colisão na Via Parque

Nadyenka Castro

Conforme denúncia do MPE, Anastácio da Silva Yarzon Ortiz estava embriagado, em alta velocidade, não respeitou a sinalização e não tinha CNH

Horas depois do acidente, manchas no asfalto e pedaços dos veículos ainda estavam no cenário da colisão. (Foto: Simão Nogueira)Horas depois do acidente, manchas no asfalto e pedaços dos veículos ainda estavam no cenário da colisão. (Foto: Simão Nogueira)

O juiz Alexandre Ito, da 1ª Vara do Tribunal do Júri, mandou a júri popular Anastácio da Silva Yarzon Ortiz, que na madrugada do dia 9 de agosto de 2008 matou dois rapazes em acidente de trânsito na avenida Via Parque, em Campo Grande.

O rapaz foi pronunciado por duplo homicídio doloso e lesão corporal. O despacho do magistrado é do último dia 14. Agora, defesa e acusação tem prazo para recorrer - ou não -.

Se defesa e acusação não recorrer no prazo legal, o juiz manda marcar a data para o júri popular. Caso contrário, é preciso esperar o resultado dos julgamentos dos recursos.

Conforme denúncia do MPE (Ministério Público Estadual), Anastácio, que tinha 18 anos na época, dirigia embriagado, sem ter CNH (Carteira Nacional de Habilitação), não respeitou placa de parada obrigatória e trafegava em velocidade acima do permitido na via.

O rapaz dirigia um Fiat Palio pela rua Santa Bárbara e colidiu com o Gol, conduzido por Luciano Zarate Pereira, onde estavam as vítimas, que trafegava pela Via Parque.

O acidente resultou na morte de Kaique Gabriel Britto Sena e de Dener César Nunes de Araújo, e ainda em ferimentos em Yuri Filipe Cathcart de Mello, Luciano, Nander César de Araújo e Alexandre Oliveira da Fonseca.

Anastácio não recusou fazer o exame de alcoolemia, o qual apontou 0,93 miligramas de álcool expelido pelos pulmões, conforme informado pela defesa à Justiça. Ele foi autuado em flagrante e só foi solto por determinação da Justiça.

Nas alegações finais, a defesa pediu a desqualificação do crime para homicídio culposo (sem intenção; situação que não levaria Anastácio a júri popular.




Que a justiça seja feita! Apesar de que nada vai trazer nossos amigos de volta,mais impune essa pessoa não pode ficar,tem que pagar pelo que fez!!!
 
Priscila Silva em 18/05/2012 10:37:47
Que a Justiça seja feita!
Se cometeu o ato ilícito tem que pagar! Ele assumiu o risco!
 
Kamila Cathcart em 18/05/2012 10:05:53
ver que a justiça ainda não foi feita é muito triste! [SAUDADES ETERNAS - Vinicius de Moraes] (...) Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos(... ) Sem Mais ;/
 
Aline Portilho em 17/05/2012 05:06:49
vamos torcer e acreditar na justiça. q ela seja feita mais uma vez para q todo cidadão do bem não fica no desamparo. e que todos os engraçadinhos igual esse anastacio não fique em pune, esperamos por vcs srs juizes...
 
marcos ferraz em 17/05/2012 01:05:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions