A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

20/05/2011 14:58

Mesmo com faixa, pedestres preferem “cortar” caminho e colocam vida em risco

Paula Vitorino

Falta educação e respeito para a convivência entre motoristas e pedestres deixar de ser caótica, aponta população

Pedestres disputam via com veículos. (Fotos: João Garrigó)Pedestres disputam via com veículos. (Fotos: João Garrigó)
Casal corre para cruzar via. Casal corre para cruzar via.

Pressa, falta de costume, jeitinho brasileiro e, por muitas vezes, um simples descuido. Todos esses foram motivos apontados pelos pedestres ao Campo Grande News para sair da faixa de segurança, que muitas vezes está a poucos metros, e se aventurar em meio aos veículos de uma via.

Questionados sobre a atitudes no trânsito, os pedestres são os primeiros a admiter o erro, mas justificam a imprudência por conta da correria do dia a dia e da facilidade em cortar caminho.

“É o jeitinho brasileiro. Está mais fácil por aqui cortar caminho, então a gente acaba passando e esquece que está errado”, diz o técnico Francisco Souza Fernandes, de 56 anos.

A reportagem percorreu algumas vias da Capital e em poucos minutos constatou inúmeras travessias perigosas, muitas vezes provocada também pelo "descuido" do poder público.

A funcionária pública Gleiciene Barros Costa, de 26 anos, diz que falta educação no trânsito de ambas as partes, pois muitos motoristas não respeitam o direito do pedestre.

“Nem quando estamos dentro da faixa eles respeitam, imagina quando se atravessa fora. Se bobear, passam por cima mesmo”, afirma.

Na tarde de ontem, a convivência perigosa entre motorista e pedestre causou a morte de Erotildes Floriano da Silva, 60 anos. Ela foi colhida por um veículo quando atravessa a Avenida Afonso Pena, em frente ao Shopping, fora da faixa de pedestre, que fica a cerca de 40 metros do local. A mulher já estava próxima a calçada.

De acordo com o relato de testemunhas, a vítima saiu do canteiro central e atravessou a via desatenta, olhando para trás. No entanto, os populares afirmam que o veículo seguia em alta velocidade, ultrapassando vários veículos, até parar no sinal vermelho do local.

O fluxo de veículos é intenso na Avenida e mesmo após o acidente é comum ver pedestres cruzando a via fora da faixa, pelo simples fato de cortar caminho. A babá Neide Oliveira, de 24 anos, fica surpresa ao saber da fatalidade no local e após a atravessar a via fora da faixa, garante que “vou ficar mais cuidadosa agora, andar mais um pouco, mas passar só pela faixa”.

Senhor corre para atravessar a 14 de Julho, no Centro. (Foto: João Garrigó)Senhor corre para atravessar a 14 de Julho, no Centro. (Foto: João Garrigó)

Mais fácil - Em meio ao centro da Capital, a empresária Edileusa Vieira Mello, de 57 anos, desceu do carro e aproveitou o intervalo entre um veículo e outro, na Rua 14 de Julho, para poupar a caminhada.

“Queria vir nessa loja, então já parei em frente dela e atravessei rapidinho”, conta. Ela garante que a pratica não é um hábito e que sempre opta por atravessar na faixa, pois sabe que esta é a maneira correta.

“Você vai estar sempre errada se passar fora da faixa. Se for atropelada, eu que vou ser a culpada, por exemplo”, diz.

Na Praça Ari Coelho, os passageiros dos ônibus que descem no local atravessam a via na mesma direção. São poucos os que têm a preocupação de ir até a faixa para fazer a travessia segura.

A costureira Vera Lucia dos Santos, de 51 anos, justifica o ato como já sendo algo automático. “Estou atrasada, desci correndo e já atravessei no mesmo lugar”, diz. A sua netinha, de 1 ano e meio, acompanhou a avó na travessia perigosa.

Já a funcionária pública Gleiciene acredita que atravessar a via no meio da quadra é mais seguro, pois os carros da 14 de Julho que viram na esquina oferecem risco.

“Com essa distância da esquina dá pra ver melhor se não tem carro vindo, mesmo. Na faixa, os carros que viram vem com tudo. E a maioria não está preocupado se tem pedestre ou não”, diz.

O diretor de trânsito da Agetran, Janini de Lima Bruno, informou que problemas como esse, como na Afonso Pena onde mesmo com o sinal fechado os veículos fazem a conversa pela 14 de Julho e afetam a passagem do pedestre, serão solucionados com o projeto de reformulação semafórica da Capital.

“Teremos uma central onde será possível controlar todos os semáforos. Será possível colocar botoneiras em alguns sinaleiros e estudar a possibilidade de outras providências nos cruzamentos, com equipamentos mais modernos”, explica.

Cultura - Atravessar a via fora da faixa de segurança está na cultura do campo-grandense, avalia o diretor de trânsito. Mas ele ressalta que o problema é nacional, com exceção de apenas algumas cidades.

O técnico Francisco também ressalta o problema cultural e lembra que em Brasília o motorista automaticamente para quando o pedestre pisa na faixa de segurança.

“Nós precisamos aprender a respeitar as normas, todos nós brasileiros. Isso é bom para todo mundo e evita acidentes”, diz.

Janini esclarece que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estabelece que o maior respeite menor. Quando o pedestre pisa na faixa, o motorista deve parar para a travessia, independente do sinal verde.

Mas Janini lembra que isso não dá o direito do pedestre extrapolar os limites, pois ele também tem deveres.

“O motorista tem o dever de respeitar a faixa de segurança, mas o pedestre também tem que atravessar pela faixa. É um local destinado para a segurança do pedestre”, diz.

O CTB também determina que o pedestre faça a travessia pela faixa de segurança, sempre que houver a sinalização.

O policial militar Pedro Rojas, que integra a ronda no centro da Capital, alerta que a travessia do pedestre fora da faixa pode prejudicar o trânsito e ainda causar acidentes, pois o motorista tem que frear bruscamente para desviar.

Pedestres agora fazem travessia por faixa de segurança e tem botoneira a disposição. (Foto: João Garrigó)Pedestres agora fazem travessia por faixa de segurança e tem botoneira a disposição. (Foto: João Garrigó)

Resultados - Na Avenida Ceará, em frente a Universidade Anhanguera-Uniderp, a instalação de um semáforo, com botoneira, e de uma faixa de pedestre tem apresentado resultados positivos. Mas segundo os estudantes, muitos motoristas e pedestres ainda insistem em desrespeitar a sinalização.

“Tem motorista que ainda fura o sinal vermelho e não respeita a faixa. Mas também tem muitos estudantes que preferem economizar perna e cortam caminho, principalmente os que descem do ônibus e entram pela primeira entrada”, diz a estudante de fisioterapia Estela Diniz, de 33 anos.

O diretor de trânsito da Agetran informou que não serão instaladas outras faixas de pedestre na via e que o pedestre também tem que se “adequar a situação e cumprir seu dever”.




Qual a distância oficial que a faixa de segurança deve ter de uma rotatória.Estou preocupada,pois em minha cidade as faixa estão localizadas nas rotatórias e em algumas os caros vem em alta velocidade para conseguir impulso para subir o morro,e isso depois de uma curva.não há como enxergar pedestre nem o carro que para para deixar o pedestre passar.
 
kira sehn da costa em 04/09/2011 02:47:38
Em um acidente envolvendo pedestres e veículos...lógico que o pedestre leva a pior...mesmo que o pedestre atravesse a rua sem olhar, ou fora da faixa...o motorista que leva a culpa em primeiro momento...tem pedestre que abusa ...como puni-los?
 
Carlos Ruiz Záfon em 26/05/2011 10:32:41
Cada um no seu quadrado...pedestres favor respeitarem a faixa de segurança....,favor respeitcondutoresarem os pedestres q estao na faixa de segurança!!!!!!! obrigado pela atençao e pela educaçao!!!!!
 
juliana dias em 23/05/2011 11:22:25
eu vejo que so motorista e pedeste e nao atrapalho o transito pois espero ate 5 ou 6 ate10 minutos para atravessarate entao nao fui atropelada e nem morri .
 
marta lopes em 22/05/2011 09:59:00
O GRANDE PROBLEMA É A FALTA DE EDUCAÇÃO.
POVO IGNORANTE, QUE NÃO SABE UTILIZAR OS RECURSOS.
AI UM PEDESTRE É ATROPELADO PQ ATRAVESSOU FORA DA FAIXA, O CONDUTOR SOCORRE A SUPOSTO SUICIDA, FAZ UM B.O. E PROCESSA O PEDESTRE PARA PAGAR OS DANOS QUE ELE CAUSOU AO VEICULO, POR UM SO FATO ''' ATRAVESSOU FORA DA FAIXA DE PEDESTRE'''.
 
JULIO CESAR em 22/05/2011 02:28:51
Vias amplas, sinalização horizontal e vertical, remodelagem no sistema viário e tal.. NADA disso vai adiantar se não houver educação. E essa educação vem de casa. Se não ensinamos nossos filhos a atravessar na faixa, a respeitar a sinalização, a cumprir os seus deveres e buscar os seus direitos, todo esse investimento será em vão. Educação é tudo. Muitas vezes, estou atravessando na faixa, sinal aberto pra mim, e vem carro, vem moto, parece que eu é que estou errada. E o que é isso? Falta de educação. Aprende-se o básico do básico, apenas pra se tirar a CNH e depois, tudo vai sendo esquecido, porque o objetivo já foi atingido: ser habilitado. Então, é repensar valores, costumes, hábitos. E isso, como eu disse no começo, começa em casa.
 
Regina Lima em 22/05/2011 01:06:30
o Osvaldo benites,
tem muita gente de fora nesta cidade, e não são só campo grandese como você referiu,. ok?
Acredito eu que você nem daqui é.
O que passa é o seguinte, veja que uma pedestre diz:: a funcionária pública Gleiciene acredita que atravessar a via no meio da quadra é mais seguro, pois os carros da 14 de Julho que viram na esquina oferecem risco
“Com essa distância da esquina dá pra ver melhor se não tem carro vindo, mesmo. Na faixa, os carros que viram vem com tudo. E a maioria não está preocupado se tem pedestre ou não”,.
Os motorista não estão nem ai sem tem uma faixa de pedestre ou nao eles viram , e acabou, sai da frente que to passando , que absurdo.
Ai o pedesrte prefere fazer a coisa errada, , mas que é mais seguro, imagina só?
Deixa pra lá , GENTE TOMA CONCIÊNCIA , RESPEITO NO TRANSITO É TUDO, É EDUCAÇÃO.
 
roberto akira em 21/05/2011 07:41:09
O que falta é a falta de respeito , educação, a começar por algumas pessoas que escrevem nesse site.
 
Antonio Quebrado em 21/05/2011 02:48:28
O caos no trânsito de Campo Grande se deve a elevação do número de veículos em circulação e a falta de respeito a vida urbana. O fato que podemos combater é adequar as vias para a passagem de carros, entretanto vale resaltar que as cidades existem para melhorar a condição de vida do ser humano, facilitar as coisas, o que não se ve em nossa cidade, as calçadas do centro minusculas e uma via de tráfego rápido no meio (14 de julho), o pedestre sendo encurralado e mais vias de tráfego são criadas, não há vagas de estacionamento disponíveis no centro, tudo se torna um caos, levando a população a sofrer de estresse, o que ocasiona travessia fora da faixa de pedestre, carros transitando acima da velocidade permitida.
 
Robervan Alves de Araujo em 21/05/2011 02:37:59
Temos que exigir da Prefeitura que coloque as faixas de pedestre na area central?.Para que se não utlizamos e ainda achamos no direito de atravessar no meio da Via,não se esquecam que pelo codígo de trânsito brasileiro podemos ser culpado caso ocorra o acidente desde que o motorista transite com velocidade compativel para Via,ele pode exigir na hora da confecção do boletim o nº do local do acidente se for no meio da Via.LEMBRANDO QUE QUANDO NÃO HA FAIXA DE PEDESTRE DEVE SE ATRAVESSAR NAS ESQUINAS.FALEI
 
Luiz Carlos Santos Messias em 20/05/2011 06:06:49
Que o campograndense não tem educação ja sabemos, agora no caso do shopping, pra quem desce do ônibus do outro lado da Afonso Pena, cadê a faixa próximo ao ponto de ônibus? e cadê a sinalização horizontal? e cadê principalmente uma sinalização indicando o limite de velocidade?
O que a Agetran está esperando pra fazer essa sinalização, pô ali tem um shopping, muito movimentado e um transito imenso, a nossa cultura também é essa, espera morrer alguém no local pra fazer algo, ai depois não adianta só pintar estrelinha, além da falta de educação falta orientação, ai vira uma pista de corrida.
 
Oswaldo Benites em 20/05/2011 05:52:48
De nada adianta faixas de pedestres, se os semáforos não deixam tempo pros pedestres atravessarem as ruas. Nesse caso é MUITO mais seguro atravessar no meio da quadra.

Além disso, a municipalidade mantém uma política de economia estúpida, tentando enfiar semáforo, rotatória e faixa de pedestre goela abaixo, onde existe mais condições de se manter esses equipamentos.

Ta na hora de implantar Viadutos e Passarelas em alguns pontos da cidade.

Não adianta tapar o sol com a peneira (e nem buracos), precisamos de uma remodelagem drástica no planejamento do sistema viário da cidade (de recapagem no asfalto também)
 
Julio Nogueira em 20/05/2011 05:44:34
Campo Grande como todo resto do país devia aprender com os Europeus... são educados tanto ao volante quanto como pedestres. A faixa de pedestre em Portugal por exemplo e bem usada... o pedestre só de ameaçar em pisar na faixa já se forma um a fila de carros para ele passar, e mto dificil o pedestre lá atravessar uma rua ou avenida qualquer sem faixa sabe pk?? Lá a vários pontos com faixa não como aqui só no centro da cidade e olhe lá...Aqui se ameaçarmos colocar o pé na faixa ou estivermos na faixa nesta hora o motorista acelera mais ... Podem reparar... Eu sou motorista e sei como várias pessoas aqui... Então vai da educação tanto dos motoristas e pedestre. Acredito que havemos de mudar isso um dia quem sabe...
 
Alessandra Vieira em 20/05/2011 05:18:13
A faixa é do pedestre e o trânsito é de todos.
Realmente falta MUITA educação no trânsito, de diversas cidades pelo país a fora.
O pedestre muitas das vezes peca, em atravessar fora da faixa.Em alguns caso,acredito que não seje apenas o jeitinho brasileiro,mas pura insegurança de passar na faixa de algumas esquinas do centro por exemplo.Onde veículos,fazem a conversão em alta velocidade desrespeitando tudo e todos.Muitas das vezes,os motoristas ainda estão falando ao celular.
Esperimente atravessar a faixa caminhando apenas, entre 14 e a Afonso Pena quando fecha o sinal.Se não CORRER vira vítima.
Não devemos esquecer que :NEM TODOS são motoristas,motociclistas e ciclistas.Mas TODOS SÃO PEDESTRES.
 
neyde de oliveira em 20/05/2011 05:04:21
Aproveitando esse espaço, gostaria de saber por que a Agetran ainda não fez as faixas de pedestres na Avenida Marechal Deodoro, em frente ao Conjunto Aéro Rancho? Está funcionando dois radares, um em cada pista. Os pais com seus filhos estão sofrendo para atravessar a avenida para levar seus filhos do Aéro Rancho para a escola que fica do outro lado. Não vai esperar acontecer um acidente primeiro não! Ou vai?
 
Isaias Avila de Paula em 20/05/2011 04:27:34
Ratifico o que foi dito é cultural. Nós não temos esse hábito. Eu acredito que uma campanha radical no sentido de cumprir o direito do pedestre quando na faixa de segurança é fundamental.
Eu particularmente tenho cumprido em parte esse direito do pedestre, isso porque, quando não tenho a confiança que o carro que vem logo atrás não vai parar e pode bater no meu carro, eu não paro. Ou quando o carro que vem na pista do lado, não vai parar, também não paro. Posso estar errado, mas não quero causar acidentes ou o carro que não parou junto comigo, atropelar um pedestre.
 
Isaias Avila de Paula em 20/05/2011 04:17:39
A problemática do trânsito só irá ter fim com a ruptura total da cultura dos motoristas com o arcaio pensamento de que o automóvel tem "domínio" sobre o asfalto. Vamos avançar e repensar nossos atos.
 
CHRISTOPHER PINHO FERRO SCAPINELLI em 20/05/2011 04:05:55
Pedestre tem que atravessar na faixa, atravessa fora da faixa porque tem preguiça de andar alguns metros a mais. Concordo que eles tenham preferência, desde que estejam na faixa de pedestres. José Junior, concordo que o ser humano é ignorante, principalmente com tantos erros de português como os que cometeu.
 
Thiago Lopes em 20/05/2011 04:01:55
A verdade é a seguinte, falta respeito com o ser humano. eu estava la no lago do amor quando 3 capivaras foi atravessar a rua o transito inteiro parou e esperou elas passar e depois seguiu o transito, aí quando uma mulher foi passar ela teve que correr porque o motorista viu e acelerou o carro para ela não passar na frente. é prakaba, eu presenciei tudo isso e fiquei pensando o quanto o ser humana é ignorante no transito. coisa feia e triste essas atitudes, o povo tem que ser mais humano igual em cidades de litoral eles para na faixa para os pedestre passar, respeita o sinal e são inteligente no transito.
 
jose junior em 20/05/2011 03:37:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions