A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

30/09/2015 18:12

Mortes no trânsito dobram em setembro, o mês mais violento do ano

Filipe Prado
A motocicleta parou embaixo do caminhão (Foto: Marcos Ermínio)A motocicleta parou embaixo do caminhão (Foto: Marcos Ermínio)

As mortes no trânsito de Campo Grande têm aumentado a cada mês. Entre o dia 1º de setembro até hoje (30), 15 pessoas se envolveram em acidentes e morreram no local a caminho do hospital. O ciclista Ronaldo Fiuza Antunes, 33 anos, entrou para as estatísticas na noite de ontem (29), ao ser atropelado por uma motocicleta na Avenida Gury Marques.

Veja Mais
Motocicleta atropela e mata ciclista de 33 anos na Avenida Gury Marques
Com “felicidade extrema” no dia de tragédia, jovem sonhou com acidente

As estatísticas do GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito) apontam que em setembro de 2014, oito pessoas morreram no trânsito, sendo que cinco foram motociclistas, dois pedestres e um passageiro de carro.

O número total quase dobrou este ano. Durante os 30 dias, 10 pilotos de motos morreram, dois condutores de carro, um pedestre e dois ciclistas. 

O coronel Renato Toletino, comandante do BPTran (Batalhão da Polícia Militar de Trânsito), lembrou que no mês de setembro ocorreu a Semana Internacional do Trânsito, onde o tema foi “seja você a mudança no trânsito”. “A gente tem que focar na postura do condutor”, comentou.

Ele explicou que a maioria dos acidentes com mortes, principalmente envolvendo motociclistas, os condutores estavam em alta velocidade. “A postura do condutor de Campo Grande tem que ser mais defensiva, ser mais consciente”.

Porém a soma das mortes de janeiro até setembro de 2014 ainda é maior que em 2015, apontando 86 e 65 óbitos, consecutivamente.

Tolentino apontou que a velocidade nas vias de acesso da Capital foram limitadas a 50km/h, dando mais segurança para os condutores, pedestres e ciclistas, possibilitando um tempo maior de reação. “Os acidentes nestas vias, que tiveram a velocidade reduzida, tiveram uma queda significativa”, assegurou o comandante.

Mortes - O estudante Lucas Ferreira dos Santos, o Lucas Oliver, 19 anos, morreu na segunda-feira (28), ao ser atropelado por um carro na Avenida Tamandaré, em frente a UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). A vítima estava na casa de um amigo e acabou voltando, porque tinha esquecido o celular, momento em que foi atingido pelo carro. 

O ciclista Ronaldo também veio a óbito depois de ser atingido por uma motocicleta. Ele foi arremessado por 15 metros, antes de cair ao solo e sofre politraumatismo. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas não resistiu aos ferimentos e morreu.




FISCALIZAÇÃO ZERO nas ruas dá nisso: condutores dirigem em alta velocidade, embriagados, sem cinto de segurança e nenhum respeito a pedestres e ciclistas. O número de veículos mais que dobrou nos últimos anos, e a polícia sumiu das ruas. Milhares dirigem sem habilitação. Não se vê um único guarda fiscalizando avanço de semáforo ou uso de cinto de segurança, e todos sabem que podem beber o quanto quiserem porque não existe fiscalização com bafômetros. NÃO HÁ EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO SEM FISCALIZAÇÃO!
 
Luiz Pereira em 30/09/2015 22:34:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions