A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

18/10/2011 21:21

Na 20ª interdição, motoristas reclamam, mas entendem transtorno da Afonso Pena

Paula Maciulevicius

Mesmo transtornos de aguardar três aberturas de sinais para avançar, motoristas entendem que interdição é para melhorar via

Nesta 4ª, a interdição vai da Padre João Crippa à  13 de Junho, sentido shopping. (Foto: João Garrigó)Nesta 4ª, a interdição vai da Padre João Crippa à 13 de Junho, sentido shopping. (Foto: João Garrigó)
Agentes da Agetran auxiliam para melhor fluxo de carros e motos e evitar congestionamento. (Foto: João Garrigó)Agentes da Agetran auxiliam para melhor fluxo de carros e motos e evitar congestionamento. (Foto: João Garrigó)

Já na vigésima interdição da avenida Afonso Pena, os trechos a serem recapeados passam exatamente no coração da cidade. O intenso fluxo de carros é desviado para vias alternativas, que muitas vezes não dão conta e abrem lugar para o congestionamento.

Mesmo com os transtornos de aguardar pelo menos três aberturas de sinais para avançar uma quadra, os motoristas entendem que as interdições por conta da revitalização são para melhorar o fluxo de carros.

“O transtorno é grande né, mas vai ficar bom”, diz o motorista José Alves.

O trecho interditado de terça-feira foi entre as ruas Pedro Celestino e Padre João Crippa, sentido centro – aeroporto. Já nesta quarta-feira, a interdição vai da Padre João Crippa até a 13 de Junho, em direção ao shopping.

No centro da cidade, próximo ao trecho bloqueado, o barulho dos apitos dos agentes da Agetran não para, muito menos o sinal com as mãos para os motoristas seguirem ou esperarem.

O motorista Luiz Perosa parecia estar apressado e lutando contra o engarrafamento. “Está péssimo, fica complicado para nós, mas fazer o que, se é por um bom trânsito”, declara.

A Agetran orienta motoristas a optarem por vias alternativas. (Foto: João Garrigó)A Agetran orienta motoristas a optarem por vias alternativas. (Foto: João Garrigó)
Com a reforma, os canteiros ficarão mais urbanizados e iluminados. (Foto: João Garrigó)Com a reforma, os canteiros ficarão mais urbanizados e iluminados. (Foto: João Garrigó)

A obra de revitalização da avenida Afonso Pena que começou na rua Joaquim Dornelas próximo ao Círculo Militar, agora está na área central e será concluída no Parque dos Poderes.

Pela primeira vez a avenida é totalmente restaurada, com investimento do Estado de R$ 6,9 milhões.

Apesar de a revitalização ser projeto do governo do Estado, a sinalização, paisagismo, complementação urbana, reconstrução de meio-fio e limpeza de boca-de-lobo será feita pela prefeitura.

A previsão é que a obra como um todo seja concluída em seis meses, mas devido à agilidade da conclusão dos trechos, acredita-se que deverá ser em um prazo menor. Em torno de 12 máquinas e 50 homens trabalham na obra, que está em ritmo de 200 a 300 metros por dia. O recapeamento se dá por etapas: primeiro o asfalto é retirado, em seguida é feita a regularização da pista e por fim o recapeamento.

Orientações - A Agetran orienta para que os motoristas optem sempre pelas vias alternativas, enquanto a avenida estiver com trechos interditados. O chefe de Fiscalização de Trânsito, Carlos Gomes Guarini explica que os motoristas podem seguir pelas ruas 7 de Setembro, Barão do Rio Branco, Joaquim Murtinho e avenida Fernando Corrêa da Costa.

“É importante que os motoristas peguem essas vias para evitar ter de enfrentar congestionamento”, diz.

Estacionamento - Com o recapeamento, 295 vagas em 45 graus devem ser eliminadas dos canteiros. O estacionamento nas laterais da via continua normalmente. O restante do canteiro vai ser transformado em área verde, nos mesmos moldes do que já foi feito no trecho em frente à Prefeitura de Campo Grande.

Como vai ficar - Conforme o diretor presidente da Agetran Rudel Trindade, a largura da avenida vai permanecer como está. Apenas será recapeada. Já a sinalização será mudada com a reforma. Com a reforma os canteiros ficarão mais urbanizados e iluminados, explicou Rudel.




coitados dos agentes de transito, com tantos carros e motoristas apressados ,nesses desvios manter o transito sem batidas é quase impossivel,parabens tbm aos agentes de transito porque eles merecem.
 
Cezario de Oliveira em 19/10/2011 12:23:06
Só me diz uma coisa,os agentes de transito irão ter alguma recompensa por esse serviço ao menos neste Natal?porque estão de dar dó ao coordenarem o transito,não sou agente ,mas acho que eles merecem pelo desespero de manter a órdem sem serem atropelados como vi hontem na afonso pena/padre j crippa as +ou-13 hrs,caro para todos os lados,e como eles ficam no final do expediente."quebrados?)
 
Lucas da Silva em 19/10/2011 12:17:24
Esperemos que a programação de recapeamentos contemple também a periferia. A Rua Fernando de Noronha, uma das poucas opções de ligação entre a grande Stº Amaro e o centro, com grande fluxo de veículos está uma lástima, mais parecendo solo lunar e onde não se consegue mais ver 1 m2 de asfalto sem remendo. A Av Bandeirantes então...(esta pelo menos parece que está dentro dos planos de reconstrução).
 
Helois Braga em 19/10/2011 11:42:20
A Agetran não facilita nada. A sinalização indicativa, vários quarteirões antes, evitaria todo transtorno. É como sinalizar rua sem saída só no final dela. Ninguém está preocupado em facilitar o trânsito da Capital. Lamentável. Gostaria que a Agetran publicasse os critérios para pintar meio-fio de amarelo. Outro transtorno. Parece que chegou a vez dos Estacionamentos pagos. Quem os terá adquirido?
 
elias vieira em 19/10/2011 10:49:49
Em pleno cáos no trânsito, Campo Grande dá-se ao luxo de reduzir estacionamentos no centro da Capital. Era hora de aumentar uma pista de cada lado. Impressionante a mentalidade de "currutela" dos governantes daqui.
 
elias vieira em 19/10/2011 10:45:49
Se o campograndense já é péssimo motorista com as pistas liberadas imaginem com elas interditadas. A cidade está um caos. Demora-se o triplo de tempo para pequenos deslocamentos. Falta policiamento, orietação, tudo! E de-lhe motorsita barbeiro que não sabe o que fazer que nem pateta na sua frente!
 
mario marcio ferreira em 19/10/2011 10:13:27
Entendo toda a preocupaçao da Prefeitura para realizar as obras de restauração da Av Afonso Pena e ao mesmo tempo organizar o fluxo no trânsito, que diga-se de passagem não é dos melhores, mas queria deixar somente uma opinião: Por que não efetuar os trabalhos durante a noite ou finais de semana? Assim seriam evitados longos congestionamentos, ja que nestes períodos o movimento de veículos é Menor
 
Jeovani Silva em 19/10/2011 10:03:36
Parabens pela obra na Afonso Pena, porém o que não entendo, porque esta obra não pode ser feita a noite, evitando assim, transtornos no transito, uma vez que, não temos mais os estacionamentos ao longo a Av. Afonso Pena.
 
osmar belin em 19/10/2011 09:36:18
Deveriam ter aproveitado essa grande obra para montar um corredor para os ônibus, reduzindo o canteiro central e colocando os pontos de ônibus ali. Acho que seria mais um benefício para o trânsito da Afonso Pena.
 
Renata Rezende em 19/10/2011 09:34:58
porque os reparos nao sao feitos como em toda cidade grande ,somente durante a noite.
 
Marco silva em 19/10/2011 09:31:51
A obra na Avenida é de fundamental importância para a Capital. O grande problema está nos agentes de trânsito. Tanto os da Agetran quanto os da Polícia Militar. Este pessoal é muito despreparado para organizar o trânsito. Não são capazes de organizar nem sequer uma quadra, não interferem no tempo dos sinais, fazendo com que os cruzamentos fiquem totalmente trancados.
 
José Plácido da Costa e Silva em 19/10/2011 09:19:05
Perdemos a oportunidade de ampliar duas pistas (uma de cada lado) da avenida.
 
Marcelo Rocha em 19/10/2011 08:01:35
É isto ai,vamos preservar a natureza das árvores da nossa Bela Afonso Pena,pois as arvores como todo ser vivente bebe água e necessita de uma area verde,gramada em volta dela para que suas raízes absorvam a água das chuvas e ao mesmo tempo colaborando para diminuição das enchentes em tempo das chuvas,abençoadas árvores da afonso pena que amenizam o calor,assim como as arvores da av.Mato Grosso.
 
antonio luis em 18/10/2011 10:01:03
Estava trafegando pela 14 de julho quando na altura com a Afonso Pena não pude seguir adiante. Para retomar a 14 de julho tive que realizar o retorno entre a 13 de Maio e a Rui Barbosa. Porém as obras estavam entre a calógeras e antes da 14, em meu ver não sendo necessária a interdição da 14 de julho. Interditar a via é fácil, mas e os usuarios?
 
Sandro Barros em 18/10/2011 09:54:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions