A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

27/12/2013 08:35

Novos corredores devem elevar em 36% velocidade média dos ônibus

Filipe Prado
O CCI irá aumentar em 1/3 a velocidade média do transporte coletivo (Foto: Cleber Gellio)O CCI irá aumentar em 1/3 a velocidade média do transporte coletivo (Foto: Cleber Gellio)

O PAC 50 (Plano de Aceleração do Crescimento) prevê a criação de mais 40 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus, táxis e veículos de emergência em Campo Grande. O projeto, que é o pioneiro no Brasil, engloba o CCI (Centro de Controle Integrado) para administrar o transporte coletivo de Campo Grande, deve elevar em 36% a velocidade média dos ônibus urbanos. 

Veja Mais
Motorista aprova faixa exclusiva de ônibus, mas critica invasão de carros
Ambientalista defende a criação de novas faixas exclusivas para ônibus

As ruas Cônsul Assaf Trad, Gury Marques e Rui Barbosa, as avenidas Mato Grosso e Calógeras serão algumas das vias contempladas com os novos corredores. Outros quatro novos terminais de transbordo serão colocados em pontos estratégicos da cidade.

Com a implantação da CCI, o transporte coletivo de Campo Grande terá um ganho de 1/3 na velocidade média. “Hoje o transporte anda a 22 km/h, em média, saltando para 30 km/h”, relata o diretor de transporte da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Transito), Lúcio Murilo Fregonese Barros.

A ex-diretora presidente da Agetran, Kátia Castilho, explica que esse salto na velocidade é garantido após a implementação do CCI. “A sede será no prédio antigo da Agetran. O centro irá propiciar uma gestão sobre todos os ônibus da frota e todos os semáforos, aumentando o conforto e a velocidade operacional”.

Este será o primeiro centro de controle em tempo real do Brasil. “Nós nos baseamos no sistema da Europa, pois é a infraestrutura que mais se assemelha com a do nosso país. Campo Grande será o primeiro local com um sistema em tempo real”, explica Kátia, que foi exonerada ontem para dar a vaga para o engenheiro civil Jean Saliba, indicado pelo PTB. 

O projeto também visa expandir a quantidade de corredores exclusivos em Campo Grande, principalmente nas ruas Cônsul Assaf Trad, Gury Marques e Rui Barbosa e avenidas Mato Grosso e Calógeras. “Serão quase 40 km de corredores na capital, sendo que três deles serão BRT, que são feitos junto ao canteiro central, ficando sem interferência de veículos convergindo”, explica a ex-diretora presidente.

Com o centro de controle instalado, segundo Kátia Castilho, o usuário do transporte coletivo terá mais conforto na hora de pegar o ônibus. “Nós lançaremos um smartphone para celular, que avisa o horário certo que o ônibus chegará. Por exemplo, se o aplicativo disser que a linha ‘X’ chegará as no horário ‘X’, e ele irá chegar nesse horário, além de mostrar a rota mais viável, com tempo menor”, promete.

Mas a implementação desse projeto só será feito entre 2014 e 2015. “O termo de referência está pronto, será entregue a Brasília, então é só esperar a liberação do dinheiro, que até Março o sistema já estará licitado, em 2014 a 2015 será feita a implementação do projeto”, afirma Kátia.

O investimento do PAC 50 será de R$ 70 milhões, mas Kátia relata que não é um valor alto. “O orçamento da iluminação da rua 14 de Julho foi de R$ 40 milhões, então eu não acho que esse projeto está caro, pois o custo benefício dele é muito maior”.

Ela ainda comenta que por conta dessas melhorias no sistema de transporte urbano, as pessoas utilizarão mais o ônibus em Campo Grande. “Hoje as pessoas migraram do ônibus para moto, mas a partir do lançamento do sistema, com certeza as pessoas voltarão a utilizar o transporte”, constata ex-dirigente, que pode virar consultora da Agetran.

Mais quatro terminais de transbordo serão construídos em Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)Mais quatro terminais de transbordo serão construídos em Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)
Kátia comenta que mais 40 km de corredores exclusivos serão criados em Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)Kátia comenta que mais 40 km de corredores exclusivos serão criados em Campo Grande (Foto: Cleber Gellio)



Mas a reclamação não é somente para os motoristas dos ônibus, mas para todos, pois assim como alguns ônibus ainda transitam em outras vias mesmo tendo os seus corredores, muitos motoristas de carro de passeio e principalmente motos utilizam indevidamente as vias exclusivas, muitas vezes impedindo a passagem de quem nela deveria transitar.
 
yasmin aline em 27/12/2013 15:37:58
aqui na rui barbosa ,centro os onibus usam alem de sua via exclusiva como tambem as 2 demais . provo com fotos e videos oque aqui digo. fica a reclamaçao ao sr motoristas . ¨tem mais alguns carros precisando transitar na rui barbosa¨.
 
janilson cavalcante em 27/12/2013 11:45:31
O projeto é interessante, parece que pode trazer melhorias, mas na mão do atual prefeito acredito que não vai funcionar, o Bernal tem uma equipe despreparada e sem experiencia.
 
Marcos Wild em 27/12/2013 10:15:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions