A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

09/05/2011 13:10

Projeto internacional de segurança no trânsito será lançado na Capital

Paula Vitorino

Ações pretendem diminuir acidentes com vítimas fatais e conscientizar motoristas sobre trânsito seguro

Integrantes do GGIT apresentaram ações para o projeto. (Foto: João Garrigó)Integrantes do GGIT apresentaram ações para o projeto. (Foto: João Garrigó)

Nesta quarta-feira (11), Campo Grande será uma das sedes para o lançamento do projeto “Década de Ação pela Segurança Viária”, desenvolvido pela ONU em ao menos 17 países. Entre as metas e propostas do programa na Capital, está a redução anual de 6% dos acidentes com mortes e, principalmente, a mudança de pensamento dos órgãos de segurança de trânsito e dos motoristas em relação aos acidentes de trânsito.

O ano de 2010 terminou com 56 vítimas fatais em acidentes de trânsito. Em 2011, nos primeiros quatro meses, já foram registradas nove mortes. O número, segundo a Ciptran, representa uma diminuição de cerca de 30% em relação ao mesmo período do passado.

De acordo com o comandante da Ciptran (Companhia Independente de Policiamento de Trânsito), Alírio Villasanti Romero, o foco das ações será a prevenção e formação, principalmente, do jovem condutor – entre 18 e 25 anos – e dos motociclistas, que estão envolvidos em cerca de 80% dos acidentes na Capital, segundo a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Dados da ONU revelam que a violência no trânsito é a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, além de matar mais crianças entre 5 e 14 anos em todo o mundo do que doenças como a Aids ou Malária.

As ações na Capital serão desenvolvidas pelo GGIT (Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito), formado por representantes de diversos setores com envolvimento direto no trânsito. A proposta é que todos os órgãos estejam envolvidos e empenhados nas atividades, que vão desde as escolas do ensino fundamental até as ações da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Até o dia 11, a Agetran vai finalizar a pintura de 55 estrelas em cada local onde houve um acidente com vítima fatal no ano passado – dois dos acidentes aconteceram no mesmo local.

“As estrelas vão servir como um sinal de alerta para as pessoas que passarem pelo local. Assim, elas vão lembrar que ali morreu uma pessoa em um acidente que poderia ter sido evitado, reduzindo a velocidade e respeitando a sinalização”, ressalta o diretor-presidente da Agetran, Rudel Trindade.

A Agência também fará a distribuição do jornal do clube do Setinha diretamente nas residências das crianças associadas. A Capital ainda passará a contar com o “placar da vida” nos órgãos de trânsito, saúde e educação. O placar vai contabilizar as vidas perdidas no trânsito.

Monitoramento - Por meio de um painel de monitoramento, instalado na Agetran, os responsáveis pela Agência irão poder acompanhar em tempo real os acidentes que estiverem acontecendo em toda a Capital.

Rudel explica que o sistema vai possibilitar medidas mais precisas e rápidas nos locais de acidente. “Vou conseguir ter acesso aos acidentes da minha sala e poder agilizar providências necessárias de imediato. Isso vai mudar o jeito de pensar e armazenar as estatísticas”,diz.

A proposta do GGIT também é unificar as estatísticas sobre a violência no trânsito da Capital entre todos os setores responsáveis.

Serviço - O lançamento do projeto “Década de Ação pela Segurança Viária” será na Cidade do Trânsito, no Parque das Naações, às 9h




Tenho projetos que com certeza, se postos em prática, reduzirão os acidentes de trânsito no mundo inteiro. Já contactei alguns programas de TV e aguardo resposta. Anseio ser convidado a participar de matérias sobre o tema para expor minhas idéias e ajudar imensamente nesse projeto nacional de segurança no trânsito. Um dos meus projetos pode exatamente beneficiar a periferia, local mais vulnerável
 
José Da Costa Borges em 15/01/2012 04:13:43
Tudo o que vier para evitar mortes no trânsito é bem vindo. Mas há coisas que não precisam de estatisticas e técnicos especializados para se saber que devem ser implementadas. Um exemplo disso é a o gradil protetor no córrego prosa. Por que a Prefeitura não resolveu isso até hoje? Quantos ainda precisarão morrer para sensibilizar a municipalidade? Outra questao evidente é que os acidentes fatais ocorrem mais na periferia do que no centro da cidade. Por que o policiamento de trânsito só ocorre no centro da cidade? Dá a impressão que suburbanos podem morrer à vontade.
 
antonio benedito de oliveira em 10/05/2011 08:37:12
é realmente incrivel,projeto no transito da nossa cidade é realmente algo muito importante mas começa q as autoridades tem q ter mais responsabilidade pois a maioria dos acidentes acontece por falta de sinalização no meu bairro por ex. algumas ruas são sinalizadas a maioria não os moradores antigos sabem quais são as ruas q tem de ter mais atenção,mas qm esta passando não conhece acaba se envolvendo e isso é em toda cidade,fez asfalto tem q sinalizar fica a dica ai,planejamento seguro.
 
renato ribeiro em 10/05/2011 05:53:48
Não é so uma estrela que tem que ser pintada no local do acidente. Tem que colocar uma cruz, flores e um descarrego, por que os motoristas estão possuidos pelo capeta da carteira comprada.
 
Gilberto DIAS em 10/05/2011 02:25:03
APENAS UMA PERGUNTA: PORQUE ATE AGORA NAO SE COLOCARAM RADARES (PELO MENOS UNS 8) NOS ALTOS DA AFONSO PENA? E NAQUELA AVENIDA QUE VAI PARA O AEROPORTO?
 
LUCIANO MARQUES em 09/05/2011 11:02:12
Costumo dizer que a maioria das pessoas dirige de acordo com seu estado de espírito/interesse, muito longe de obsevar/respeitar as leis de trânsito acima de tudo a vida. Concordo com o comentário do Jose Antonio, nosso pessoal da Agetran fica de cabeça baixa caneta e bloqueto na mão multando os carros que não colocaram o Flex Park. No cruzamento da cel Antonino com a rua do Rosário, quando o semáfaro fecha na coronel os da Rua do Rosário tanto do lado esquerdo da coronel antonino como o da direita abrem ao mesmo tempo. Tenho que passar pela rua do rosário e entrar na cel Antonino e tenho que esperar um oportunidade para isso fica uma confusão só, motorista se xingam, quase batemos. Enviei solicitação a Agetran solicitando a sincronização destes semáfaros e recebi uma resposta dizendo que ""estudos serão realizados no local para verificar a necessidade"". Vão esperar morrer gente...e desenhar mais uma estrela???
 
Marluce Lira em 09/05/2011 08:25:27
Se o motorista de Campo Grande é igual aos dos outros estados, as estatísticas também eram para ser iguais, se os acidentes aqui são maiores é então por falta de investimentos no trânsito. Enquanto isso a Agetran só multa por estacionamento do Flex Park, nós precisamos de fiscalização para a conduta na direção dos veículos, com certeza isso iria coibir as infrações que provocam acidente, essas de entrar a direita ou esquerda sem dar seta, fazer conversões proibidas, parar em fila dupla, trafegar lentamente do lado esquerdo da via, usar do telefone celular no volante, fumar, lanchar no volante, esses dias eu vi uma moça que estava andando devagar ziguezagueando no meio da rua, quando eu consegui ultrapassa-la percebi que ela estava conferindo o extrato bancário.
 
jose antonio em 09/05/2011 02:56:54
Tô fazendo torcida organizada pra que essa ação dê certo. O número de acidentes e mortes no trânsito daqui é alarmante, lembro bem duma matéria do Fantástico que citou nossas péssimas estatísticas. Enfim, o motorista de campo-grande é habilitado tal qual em outras cidades, mas se acha no direito de infringir regras a seu bel prazer, o que é um absurdo. Diariamente a gente lê notícias de mortes e acidentes graves, carros que vão parar em córregos... Esta ação da Agetran tem tudo para dar certo e tentar resolver essa péssima característica dos condutores campo-grandenses. Aliás, vou orar pra isso!
 
Simone Oliveira em 09/05/2011 02:07:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions