A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

05/02/2014 11:39

Simulador encarece CNH em R$ 285, mas início depende de vistoria

Aline dos Santos
Com três telas, sumulador reproduz cenários no entorno de veículo. (Foto: Marcos Ermínio)Com três telas, sumulador reproduz cenários no entorno de veículo. (Foto: Marcos Ermínio)

As autoescolas à espera do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito), que aguarda vistoria de equipe técnica do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). Esta é a crônica do uso dos simuladores de direção veicular em Mato Grosso do Sul. Os equipamentos passaram a ser exigidos neste ano pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

Veja Mais
Autoescola não tem simulador em MS, mas CNH vai ficar até R$ 300 mais cara
Candidato a motorista terá de usar simulador antes das aulas práticas

Contudo, além de não ter data certa para, finalmente, entrar em uso, a novidade para quem iniciou em 2014 o processo de obtenção de CNH (Carteira Nacional de Habilitação), categoria B, afeta o bolso. O custo por cinco aulas de trinta minutos será de R$ 285. Ou seja, R$ 114 a hora.

No CBC (Centro Brasileiro de Condutores), que tem média de 600 alunos por mês, foram instalados dois equipamentos, mas, por enquanto, estão disponíveis somente para testes de cinco minutos. Com três telas, o simulador reproduz o ambiente no entorno do carro.

Na tela, o sistema informa o condutor sobre os erros cometidos. O volante é sensível, uma torção mais forte já faz carro invadir a contramão. Ao redor, veículos e motos em alta velocidade.

“Foi minha primeira experiência de direção, mas só olhei para frente”, conta Aline Viviane Sena Souza, de 30 anos, sobre a dificuldade em assimilar todo o cenário recriado ao redor do veículo. Ainda na etapa de aula teórica, ela diz que por sorte abriu o processo no ano passado, ficando de fora da exigência do uso do simulador. “Graças a Deus, fica muito pesado no nosso orçamento”, conta Aline, que já desembolsou R$ 1.013 na autoescola.

Já Eliezer Santos da Silva, de 18 anos, se prepara para arcar com o novo custo. “Mas acho importante, para ter mais noção sobre o carro”, diz.

Segundo a diretora de ensino e administradora do CBC, Adilma Ferreira de Almeida, os alunos, principalmente os mais jovens, aceitaram bem o simulador. A cada meia hora de aula, é preciso descanso de 30 minutos. As aulas não têm reprovação e só são liberadas mediante identificação biométrica do aluno.

O centro aguarda receber mais quatro equipamentos. As aulas no simulador devem ser feitas antes dos alunos irem para as ruas. Enquanto o equipamento não entra de fato no processo de formação dos condutores, os aprovados no exame teórico seguem direto para a aula prática.

No entanto, o Detran informa que somente terá aluno apto para a aula no simulador a partir do dia 15 de fevereiro. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão de trânsito, equipe do Denatran virá a Mato Grosso do Sul para visita técnica. A vistoria estava marcada para hoje, mas foi cancelada e uma nova data será agendada.

A partir do aval do departamento nacional, o Detran publicará portaria regulamentando o uso dos simuladores. Em seguidas, as autoescolas devem enviar certificado de homologação do aparelho e certificado de treinamento dos instrutores. Cumprida essas exigências, o Detran faz visita técnica e libera o sistema.

 




Acho que estes equipamentos deveriam ser doados pelas seguradoras, INSS, DETRAN. Os custos dos acidentes, feridos, internações iriam diminuir com os alunos bem treinados.
 
Orlando Santos em 05/02/2014 16:55:04
Melhor comprar um playstation IV e comprar um game de como dirigir um carro. Palhaçada da grande, e como vão fazer com os motoqueiros vão colocar um moto de mentirinha também, por que vão precisar com certeza ampliar o hospital do trauma em pelo menos mais uns 300 leitos. O tanto de barbeiro que tem em nossa cidade e ainda achando que são os cara, rapaz é o bicho.
 
jose carlos em 05/02/2014 15:26:59
Desde que saiam condutores qualificados e decentes, pode ser caro!
 
Anderson Silva em 05/02/2014 14:10:27
É ridiculo as pessoas terem que pagar a mais por uma exigencia do CBC, acho que, já que o detentor do equipamento não é a auto escola, a aula teria que ser grátis.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 05/02/2014 13:48:57
esses simuladores não contam nada para mim o que os alunos de auto escola precisam mesmo de aulas na rua mesmo pois escondidos assim vai acabar que eles vão se acostumar a acidentes podendo voltar pelo simulador transformando as ruas em um verdadeiro carmagedom. Não sou a favor dos simuladores.
 
Eduardo Lemos em 05/02/2014 12:53:04
Tinha que ficar mais caro ainda, os exames para habilitação deveriam ser mais exigentes, os cursos que são dados nos CFC´s em nada auxiliam na formação do condutor, só enfiam decoreba na cabeça dos alunos, e a direção prática, eles aprendem circulando nas vias e fazendo barbaridades no trânsito... Muitos motorista habilitados há muitos anos deveria passar por cursos práticos de direção defensiva e até esportiva também, um automóvel nas mão de pessoas inaptas, é uma arma, um médico para operar ele tem uma arma letal nas mãos um bisturi, mas como é habilitado para exercer a cirurgia o bisturi salva vidas, e quantos anos ele se preparou para ser médico?? Agora para tirar habilitação e dirigir uma arma, em 90 dias o inculto e incauto motorista, já sai barbarizando ou babeirizando pelas ruas..
 
Ricardo Siarom em 05/02/2014 12:50:01
É só mais um jeito de amealhar de maneira vergonhosa nosso suado dinheiro, enquanto uma aula "na real" com o veículo nas ruas está por volta de 45,00 a hora-aula, cobrar 114,00 para jogar um vídeo-game marombado é um acinte!
 
Marcos Rumolli em 05/02/2014 12:44:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions