A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

08/02/2011 10:30

Impasses e desafios para a pesquisa agropecuária

Vicente Almeida (*)

Com a posse da nova Presidência da República, abrem-se possibilidades de mudanças no rumo institucional, inclusive, com a constituição de uma nova diretoria para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Temos clareza que enquanto a Embrapa permanecer subordinada ao Ministério da Agricultura e este continuar atrelado umbilicalmente aos interesses do agronegócio, poucas coisas poderão avançar no sentido de uma pesquisa agropecuária e florestal isenta de pressões do capital, repetindo o modelo a que estamos assistindo desde a fundação da Embrapa, em 1973.

É claro que as instituições não se constituem em um bloco homogêneo e que o fato de existir uma linha hegemônica na instituição alinhada ao capital agroindustrial não anulou, historicamente, construções do conhecimento comprometidas com a maioria dos agricultores de base familiar do país.

Nesse aspecto, sempre sob tensão, linhas de pesquisa e até um programa específico para agricultura familiar foram sendo construídos e conquistados, adquirindo um status cada vez maior, com mais qualidade e mais competitividade interna.

Os movimentos sociais e demais organizações populares serviram como veículos de pressão e, em muitos casos, como catalisadores na forma de geração desses novos conhecimentos.

A agroecologia e os sistemas agroflorestais são exemplos de espaços que andaram muito mais velozes fora do circuito oficial de pesquisa. Não que não existissem pesquisadores preocupados com essas questões e produzindo ciência para os "pequenos" e/ou excluídos.

Hoje, em função dessas demandas, já acumulamos massa cinzenta nessas áreas do conhecimento, haja vista o número de artigos científicos e tecnologias voltadas para este segmento da sociedade.

Outro aspecto que deve ser destacado é o paradoxo existente entre o discurso e a prática da Embrapa. O moderno, o esperado, o que dá ibope, o que mantém o Globo Rural e seus congêneres, é a agricultura familiar, a agricultura verde, sem venenos, limpa, que apropria o camponês em toda a sua dimensão. Mas o que sustenta a empresa, como bem colocado pelo pesquisador Horácio Martins, é o aporte relacional com as indústrias transnacionais de agrotóxicos.

Infelizmente, ainda somos poucos pesquisadores envolvidos e com dedicação exclusiva para essa questão. Também não existem canais apropriados de pressão popular junto à diretoria da Embrapa, em Brasília, e juntos às unidades descentralizadas.

Programas para a pesquisa da agricultura

No Programa Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento da Agropecuária - Pronapa 2008 podemos relacionar os diversos recursos (custeios e investimento) a serem executadas, ano a ano, até 2012.

Para facilitar o entendimento, os objetivos dos seis Macro Programas (MPs) estão reunidos abaixo. Chama a atenção o fato de apenas o MP 6 ser destinado à Agricultura Familiar (AF). Isso não quer dizer que muitas pesquisas alocadas nos demais MPs não possam beneficiar direta ou indiretamente a AF.

Macroprograma 1 – Grandes Desafios Nacionais (grandes redes complexas, engenharia genética, transgênicos e outros temas)

Objetiva a gestão de projetos de P&D de base científica elevada, de caráter transdisciplinar e multi-institucional, que abordam pesquisas estratégicas e exigem para sua execução arranjos institucionais complexos ou grandes redes, bem como aplicação intensiva de recursos.

Buscam alcançar avanços tecnológicos radicais e estabelecer novos paradigmas para o conhecimento do agronegócio brasileiro, assim como superar desequilíbrios sociais e alcançar ou consolidar vantagens competitivas,alcançar ou consolidar vantagens competitivas e sustentabilidade no agronegócio brasileiro.

Macroprograma 2 - Competitividade e Sustentabilidade Setorial (pequena redes menos complexas, transgênicos e outros)

Objetiva a gestão de projetos de P&D de base científica aplicada, que abordam pesquisas estratégicas ou eventualmente básicas, de natureza temática ou interdisciplinar, que exigem a organização de clusters, equipes interativas e redes.

Buscam alcançar, a médio prazo, avanços tecnológicos significativos e inovadores no conhecimento do agronegócio para subsidiar políticas públicas que estimulam a competitividade, a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico e social do País.

Macroprograma 3: Desenvolvimento Agronegócio Tecnológico Incremental (envolve projetos individuais, de curto prazo e pouco recurso)

Objetiva a gestão de projetos de P&D em transferência de tecnologia, organização de informação e viabilização de contratos de prestação de serviços técnicos não rotineiros. Prioriza o apoio aos projetos finalísticos que possibilitam a concretização dos impactos da pesquisa desenvolvida, em redes pelas equipes do SNPA. Baseiam-se no conhecimento tecnológico existente e são executados por arranjos simples de curto ou médio prazo.

Enfatizam as atividades de desenvolvimento, validação e acabamento de tecnologias, protótipos, unidades demonstrativas e outras que não sejam de caráter contínuo ou rotineiro. Incluem, também, ações inovadoras de organização de informação tecnológica, que demandem a participação de pesquisadores, bem como as previstas em contratos de prestação de serviços técnicos.

Todos os projetos destinam-se ao aperfeiçoamento tecnológico contínuo do agronegócio e atividades correlatas que demandam pouco recurso.

Macroprograma 4 - Transferência de Tecnologia e Comunicação Empresarial

Objetiva a gestão de projetos e de processos de transferência de tecnologia e de comunicação empresarial para desenvolver a integração entre a atividade de P&D e o mercado e para aprimorar o relacionamento da Embrapa com seus públicos de interesse.

Os projetos abrigam iniciativas de caráter aplicado, de natureza temática ou interdisciplinar, que priorizam na sua execução e organização em núcleos especializados, equipes interativas ou redes, de acordo com seu grau de complexidade e abrangência.

Macroprograma 5 – Desenvolvimento Institucional

Tem como objetivo gerir projetos e processos que visem a consolidação e atualização dos instrumentos de gestão estratégica da Embrapa (Planos Diretores, Agenda Institucional e Modelo de Gestão Estratégica Corporativo); a melhoria dos resultados e o aumento da efetividade organizacional, por meio do desenvolvimento de novos processos ou da melhoria incremental ou inovadora dos processos técnicos/administrativos da Unidade/Empresa; o desenvolvimento e a utilização plena do potencial dos talentos humanos da Empresa; a implantação da gestão por processo na Empresa e a realização de ações que visem a adoção dessa forma de organização e divisão do trabalho.

Os projetos de desenvolvimento institucional priorizam ações corporativas voltadas à melhoria da gestão, a partir da proposição de metodologias, sistemas ou à criação e inovação dos processos institucionais. Também visam a racionalização e potencialização de recursos, implementação e sistematização de melhorias, incluindo a automação e o monitoramento por meio de indicadores de desempenho; bem com a elaboração de metodologias/procedimentos focalizados no desenvolvimento institucional e humano.

Macroprograma 6 – Apoio ao Desenvolvimento da Agricultura Familiar e à Sustentabilidade do Meio Rural

Objetiva a gestão de projetos para fornecer suporte a iniciativas de desenvolvimento sustentável da Agricultura Familiar e de comunidades tradicionais, na perspectiva de agregação de valor e, prioritariamente, com abordagem territorial.

Os projetos são de caráter multiistitucional e interdisciplinar destinados a: fornecer os elementos estruturantes (métodos, instrumentos e meios) para apoiar políticas públicas e programas mais específicos de desenvolvimento, fomento, capacitação e socialização de conhecimentos e tecnologias agropecuárias e não agropecuárias, que visem a inclusão social dos segmentos sociais envolvidos com a produção de base familiar, os assentamentos de reforma agrária e comunidades tradicionais; executar pesquisa científica e tecnológica para geração, adaptação, validação e disponibilização de conhecimentos, tecnologias e sistemas de agregação de valor às atividades e aos espaços produtivos da agricultura de base familiar, dos assentamentos de reforma agrária, de comunidades tradicionais e de empreendimentos agropecuários e agroindustriais de pequeno porte, com ênfase em métodos participativos e abordagem, preferencialmente, voltada a territórios; e apoiar diretamente as iniciativas de desenvolvimento, por meio de transferência de conhecimento e de tecnologia, em parceria com instituições públicas e privadas de fomento e assistência técnica.

Análise do volume de recursos para cada programa

A situação da pesquisa em agricultura familiar fica mais visível nas páginas 36 e 37 do Pronapa 2008, quando se observa os quadros com os "Números do Sistema Embrapa de Gestão –SEG", nos dois editais que juntos acumulam recursos de R$ 109.622.000, para ser executado no período de 2008 a 2012.

1- Volume de recursos agregados, alocados efetivamente em projetos de pesquisa em todos os MPs, por ano de atividade (agregando-se os dois editais):

 Impasses e desafios para a pesquisa agropecuária

2- Volume de recursos agregados por Macro Programas para todo o período de 5 anos nos dois editais:

 Impasses e desafios para a pesquisa agropecuária

Nesses 109 milhões não estão os recursos para pagamento de salários, encargos, serviços da dívida.

Um percentual do recurso de cada projeto é sacado para a manutenção e despesas gerais das Unidades.

3- Com relação ao número de projetos, os números falam por si.

 Impasses e desafios para a pesquisa agropecuária

A análise dos programas e dos recursos alocados deixa clara a prioridade da Embrapa. Basta observar os dados para concluir: a agricultura familiar é a que recebe menos recursos e menos projetos procuram aprofundar seu papel estratégico para o desenvolvimento do país.

(*) Vicente Almeida é presidente do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (Sinpaf)

A força da mulher no campo
Em rotina de propriedade leiteira a mulher tem se destacado em alguns setores, ordenha e cuidados de bezerros já são áreas, na produção leiteira, que...
Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions