A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

29/04/2016 08:48

Momento grave no Brasil e no mundo

Por Benedicto Ismael Camargo Dutra (*)

Há uma forte efervescência no mundo. No Brasil, ela é particularmente mais grave devido à displicência de acreditar que tudo deva cair do céu sem esforço. Em grande parte, os governantes pouco primaram pelo desenvolvimento e fortalecimento da população. Todos tiveram oportunidades de agir e contribuir; muitos falharam, levados pelas cobiças pessoais. Sabotadores, especuladores, falsos líderes e corruptos atrasaram a nação e o povo em seu desenvolvimento natural.

O Estado se tornou perdulário com contratações políticas e compras sem critério, atendendo a interesses particulares. As receitas são consumidas no custeio, nos gastos sociais, descontrole e superfaturamento. Nada sobra para investimentos. Desde longa data têm faltado estadistas e empresários empenhados no bem geral da nação. Com a globalização, ficou ainda pior, pois não há compromisso com o país; interessa apenas poder dispor dos recursos estratégicos e lucrativos e vantagens da especulação financeira.

O Estado vai inchando. Obras superfaturadas. Dívidas e juros aumentando. Não há responsabilidade com o futuro. Déficits internos e externos. As contas estouram. Atrasados, os emergentes tendem a decair. Faltam interesse, empenho e responsabilidade. Não há mais equilíbrio, apenas a busca por vantagens. O arcabouço financeiro tornou-se dominante, estabelecendo mecanismos que asseguram o fortalecimento próprio e independente. Produzir para atender às necessidades e obter ganhos ou produzir ganhos atendendo às necessidades?

O crédito foi uma boa invenção para promover o desenvolvimento, mas, dominante, suplantou o lado humano. O sistema levou séculos para chegar à forma atual. Poder e dinheiro desumanizaram a vida, eliminando os alvos elevados de aprimoramento; tudo converge para a obtenção do ganho financeiro. Não há boa vontade. Mercado e Estado se afastaram do real objetivo da vida. É necessário combater a decadência, a droga, a criminalidade e promover a responsabilidade e o real interesse pela vida. A polêmica ideológica nada resolve.

Sem um objetivo comum de elevar a qualidade de vida, sempre haverá essa busca de dominação e vantagens. Com a perda do alvo elevado e sufocamento do impulso para a busca do sentido da vida, a sociedade também se acomodou aos ditames da cultura mercantilista. Surgiu o cenário de vida aborrecida e difícil, cuja tensão induz à busca de antidepressivos e compensação nas drogas, na sexualidade casual.

No passado, havia um projeto de vida voltado para o aprimoramento e fortalecimento das individualidades. Tudo foi ficando igual, com a antena do idealismo nobre voltada para baixo. O ideal cultivado atualmente é o da fruição do prazer imediato, dando o mínimo espaço ao eu interior para se desenvolver. Forma vazia de viver que cria desinteresse e aumento da criminalidade.

O Brasil está decaindo muito. Do jeito que está não dá para continuar. Qual é plano de recuperação? Como incentivar os empresários a investir e produzir? Como revitalizar a indústria e gerar empregos? Como dar ânimo às novas gerações? Na economia, a palavra-chave também deveria ser renovação. O dinheiro tem de circular e recircular na produção, emprego, comércio, consumo. A recuperação depende do esforço de todos.

O que está em jogo é o futuro do país. Se o Brasil continuar sendo posto de lado por seus governantes, não seria o caso de organizar eleição geral para o país readquirir a credibilidade? Os seres humanos são dotados da capacidade de livre resolução, mas devido ao funcionamento das leis cósmicas, sempre ficam sujeitos às consequências. O Brasil e seu povo têm de se esforçar para renascer e alcançar o seu destino para escapar da decadência e ruína.

(*) Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo; articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida; coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”,“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” e “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”.

A força da mulher no campo
Em rotina de propriedade leiteira a mulher tem se destacado em alguns setores, ordenha e cuidados de bezerros já são áreas, na produção leiteira, que...
Sobre o mercado e o governo
O homem primitivo acordava de manhã, saía para coletar frutas, abater animais e pescar peixes, e assim ele se alimentava. Ao fim do dia, cobria-se co...
Logística reversa: pensamento sustentável pelas gerações futuras
Incertezas são o que mais temos, porém ideias norteadoras e essenciais para a construção de um futuro mais sustentável já existem. Não podemos ignora...
Quando, também na escola, se dialoga sobre as religiões
Temos percebido uma crescente preocupação acerca do papel social da escola e da educação que acontece neste espaçotempo. Numa perspectiva de sociedad...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions