A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

09/04/2012 08:17

Barulho e sujeira de oficinas mecânicas tiram o sono de vizinhos

Paula Vitorino
Oficinas são sinônimo de transtorno em diversos pontos da Capital. (Fotos: Pedro Peralta)Oficinas são sinônimo de transtorno em diversos pontos da Capital. (Fotos: Pedro Peralta)

Espalhadas por todos os bairros de Campo Grande, as oficinas mecânicas são o socorro dos motoristas, mas o pesadelo de quem mora ao lado. O barulho e a sujeira provocados pelo ofício diário dos estabelecimentos tiram o sono dos vizinhos durante a noite e causam transtornos durante o dia.

Veja Mais
Vizinhos reclamam, MPE vai atrás e igrejas se adaptam para evitar barulho
Vizinha alega som ensurdecedor e juiz suspende cultos em igreja evangélica

No bairro Guanandi, moradores contam que sofrem com a poluição sonora e ambiental há mais de 10 anos, provocadas por duas oficinas na região.

“É bateção o dia todo. E ainda tem a sujeira. A fuligem impregna tudo, se deixar um pouco de água parado já fica preto”, diz um dos vizinhos, que não quis se identificar.

Na tentativa de terminar com os problemas, os vizinhos já protocolaram denúncia no MPE (Ministério Público Estadual) e fizeram diversas reclamações para a Prefeitura.

“Se do lado de fora dá para escutar o barulho, imagina como é para quem vive aqui dentro. Pra mim é como se oficina funcionasse dentro da minha casa”, reclama outro vizinho, que preferiu não se identificar.

Na região do bairro São Bento, outro vizinho denuncia os transtornos de morar ao lado de uma oficina. “A gente não tem tranquilidade e não pode fazer nada”, diz.

Os vizinhos reclamam da falta de fiscalização e afirmam que acabam ficando “reféns” por medo de denunciar e sofrerem represálias.

“Só fiscalizam mediante denúncia, então, se vierem fiscalizar os proprietários vão saber que fui que denunciei, é claro”, diz.

Morador reclama de fuligem provocada por oficinas vizinhas. Morador reclama de fuligem provocada por oficinas vizinhas.

É legal? - A diretora do departamento de licenciamento e monitoramento ambiental da Semadur, Denise Name, explica que não existe equipe suficiente para fiscalizar todas as oficinas da Capital.

Por isso, os flagrantes podem acontecer durante fiscalizações de rotina em pontos da cidade, quando são encontradas irregularidades, ou mediante denúncias.

Ela também explica que a identificação do denunciante é fundamental para os fiscais verificarem dentro da residência a incidência do som e poluentes.

“O barulho que sai para a rua não é o mesmo que sai pro vizinho”, diz.

Ela também garante que todas as denúncias são checadas e caso seja encontrada alguma irregularidade os proprietários são notificados e multados, podendo até perder o alvará de funcionamento.

O que deve se feito - Os moradores questionam sobre as exigências para o funcionamento de oficinas em áreas residências.

A diretora esclarece que todos os estabelecimentos precisam ter licença ambiental, além disso os proprietários são orientados a afastar os equipamentos ruidosos das divisas dos terrenos ou colocar uma parede que minimize os ruídos.

As oficinas também precisam ter caixas separadoras de resíduos e equipamentos para evitar a dispersão de resíduos, como poeira e fuligem.

Ela ainda explica que o isolamento acústico depende do tipo de estabelecimento e do local em que está localizado. “Não podemos pedir o isolamento acústico pra todas as oficinas. A questão ambiental não pode chegar ao ponto de inviabilizar que as pessoas trabalhem”, diz.

Dependendo do tipo de serviço oferecido por cada oficina, é exigida uma licença específica, que é checada durante a fiscalização. Em 2011, foram aplicadas 805 multas por estabelecimentos funcionarem sem licença ou em desacordo com ela. O valor da multa varia de R$ 500 a R$ 3 mil.

Já por lançamentos de poluentes foram aplicadas 56 multas, que variam entre o valor de R$ 1.542,50 e R$ 6.170 mil.

As denúncias podem ser feitas pelo telefone 3314-3298. A diretora frisa que os denunciantes devem informar todos os dados para facilitar encontrar o local, como também o horário de maior incômodo da oficina.

“Dessa forma podemos ir ao local naquele horário específico e aumentar as chances de flagrar irregularidades”, diz.



Estou passando pelo mesmo problema de barulho de uma oficina ao lado de minha casa,já reclamei várias vezes na prefeitura,trouxeram até decibelímetro para medir o nível do barulho.A oficina foi multada,mas o gerente veio no portão de casa me afrontar,já até pensei em vender minha casa.
 
Teodoro Matos Neto em 25/09/2012 03:00:12
Eu estou passando pelo mesmo problema é barulho o dia inteiro,aquele que não passa nunca vai entender,antes era madereira era horrivel ,saíram por falta de pagamento do aluguel ,agora oficina de caminhões e é tudo aberto não tem telhado e eu moro logo acima e então j´viu o som vai tudo pra minha casa começa ás 5:40h e vai até 18hs.pimenta nos olhos dos outros é refresco.me ajudem !Moro eem VR
 
JULIANA ARAUJO em 27/04/2012 04:32:27
Realmente este problema e muitas vezes o derespeito é visível em diversos pontos da cidade. Cabe a prefeitura coibir isto e com obrigação de fiscalizar também as serralherias e marcenarias que comentem e incomodam do mesmo modo que as ofcinas e ferro velhos do Guanandi.
 
EDINALDO VIANA em 09/04/2012 10:26:32
Creio que sejam oficinas de funilaria ou que atuem nesta modalidade também. "Batição, fuligem..." realmente é bem complicado, mas a rigor, se fossem oficinas "mecânicas" de fato, o barulho seria apenas dos motores, até porque os sistemas hoje são eletrônicos....mora do lado de uma mecânica, a única coisa que incomoda mesmo é a falta de lugar para estacionar...
 
renato fane em 09/04/2012 09:44:21
Nunca vi oficina trabalhando a noite, como citado no início da matéria. E com relação aos ruídos se a pessoa que reclama tanto trabalhasse durante o dia com certeza não se incomodaria com o trabalho alheio.É incrível como pessoas ranzinzas encontram problema em tudo...se não fosse isso, seria outra coisa, só pra reclamar.
 
Mariana Rojas em 09/04/2012 09:41:32
olha não se deve falar que é oficina mecanica ... esse tipo de oficina é conhecida como "boqueta" pé sujo, oficina mecanica mesmo não é assim. Lógico que tem os lambões mas chamarem eles de oficina mecanica ou centro automotivos é pra acabar ...
 
wellington luxemburgo em 09/04/2012 02:13:34
AS PREFEITURAS SÃO DOTADAS DE PODERES DE POSTURAS, PORÉM DEVEM ACOMPANHAR A CONTENDO A EVOLUÇÃO DAS ATIVIDADES NOS PERÍMETROS URBANOS E RURAIS, ELAS TEM O PODER DE POLÍCIA, TERÃO QUE SER RESPEITADAS, MAS NÃO É O QUE ACONTECE EM CAMPO GRANDE MS, A COISA AQUI VAÍ MAL, PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA QUE ALEGA NÃO TER FUNCIONÁRIOS, ISTO É JUSTO, CUIDADO PREFEITO, O VOTO DE CONFIANÇA É UMA VEZ SÓ, FISCALIZ
 
PEDRO BRAGA em 09/04/2012 02:07:41
imagem transparente

Desenvolvido por Idalus Internet Solutions