A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

11/01/2017 11:47

Prefeitura promete mandar fiscal para verificar se área invadida é pública

Local é ao lado de onde seriam construídos residenciais da construtora Homex

Yarima Mecchi e Marcus Moura
Invasores continuavam limpando terreno na manhã de hoje. (Foto: Marcus Moura)Invasores continuavam limpando terreno na manhã de hoje. (Foto: Marcus Moura)

Um fiscal da Prefeitura de Campo Grande vai até a área invadida no Jardim Centro Oeste para verificar se o terreno é mesmo do Executivo Municipal ou de terceiros. De acordo com a assessoria, a demanda foi encaminhada para a fiscalização e em caso de área pública, a Prefeitura de Campo Grande notifica os invasores.

O local é ao lado de onde seriam construídos residenciais da construtora Homex e começou a ser invadido ontem (10) por moradores do bairro. O diretor-presidente da Emha (Agência Municipal de Habitação), Enéas José de Carvalho, disse que apenas auxiliar a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), mas que invasões não serão toleradas.

"Campo Grande está virando um núcleo de invasão de área públicas, onde pessoas invadem áreas e tiram o direito de quem está na fila para ter uma casa. As invasões não serão toleradas", afirmou.

A área invadida nos Jardim Centro-Oeste fica ao lado das obras do empreendimento Varandas do Campo, a ser executado pela construtora mexicana Homex, ainda no ano de 2012. No entanto, a empresa não cumpriu diversos acordos com a Caixa Econômica Federal, declarou falência e “sumiu do mapa” sem entregar boa parte das três mil casas da unidade.

A Caixa Econômica Federal foi procurada pela reportagem para se pronunciar sobre o assunto, mas não retornou a nossa demanda até o fechamento desta matéria. O responsável pela Semadur também foi procurado, mas não retornou nossas ligações.

Invasores - De acordo com Alba Santos, uma das invasores da área, além do terreno que está sendo lotado, outra área também será usada por eles."Nós vamos usar as áreas que estão abandonadas. Vamos nos organizar para construir, não queremos criar uma favela", destacou.

Ela disse ainda que por volta da 00h30 de hoje a Polícia Militar foi ao local porque moradores do condomínio ao lado ficaram com medo deles invadirem o residencial. "Não vamos invadir o residencial e nem as casas em construção. Vamos usar áreas vazias".

Nesta manhã mais pessoas estavam limpado os lotes marcados por eles. Segundo Evair Caus, cada pessoas está cuidando do seu lote e alguns moradores que limparam a área ontem perderam o local. "Tem família que limpou ontem, mas como não dormiu aqui veio outra e entrou no lote limpo. Cada um que cuida do seu".




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions