A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

21/10/2016 09:12

Ventos de até 59 km/h derrubaram sete árvores em Campo Grande

Viviane Oliveira e Júlia Kaifanny
Hoje de manhã ainda saía fumaça da árvore que pegou fogo durante o temporal de ontem. (Foto: Fernando Antunes) Hoje de manhã ainda saía fumaça da árvore que pegou fogo durante o temporal de ontem. (Foto: Fernando Antunes)

No balanço pós-temporal, o Corpo de Bombeiros informa que atendeu pelo menos sete ocorrências de quedas de árvores, na tarde de quarta-feira (20), em Campo Grande. Os ventos de 59,4 km/h também destelharam três casas no Vespasiano Martins – um dos loteamentos construídos para abrigar moradores da antiga favela Cidade de Deus.

Veja Mais
Com dois voos cancelados, aeroporto continua fechado por causa do mau tempo
Apesar da chuva, duas cidades de MS entram na lista das mais quentes

Na Vila Jacy, por exemplo, uma figueira de grande porte caiu dentro do antigo laticínio e pegou fogo na rua Iporã com a José Paes de Farias, na região Sul. Por causa do vento, os galhos da árvore encostaram na fiação de transmissão de energia elétrica e provocou um curto-circuito.

Os moradores da região ficaram sem energia, que foi restabelecida por volta das 5h20 de hoje. Além de ter ficado no escuro, o comerciante Ilson Benites, 38 anos, reclama do prejuízo. “Um galho caiu e quebrou o telhado da minha casa e do meu estabelecimento”, reclama. O empresário mora em um sobrado e, na parte de baixo funciona o comércio dele.

Segundo ele, os moradores já havia pedido em janeiro deste ano o corte da árvore para a Prefeitura, mas nunca tiveram o retorno. “Toda vez que chove, os galhos encostam na fiação. Essa não foi a primeira vez”, lamenta. Ilson reclama que até agora está sem telefone e internet. 

Dono de caminhonete teve prejuízo com queda de árvore na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz. (Foto: Direto das Ruas) Dono de caminhonete teve prejuízo com queda de árvore na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz. (Foto: Direto das Ruas)

A dona de casa Mariles Soquete, 51 anos, mora há quatro anos no bairro e conta que desde que o laticínio fechou, a árvore se tornou um problema. “Antes eles cuidavam e faziam a poda. Agora, toda vez que chove com vento forte a gente fica preocupada e com medo de algo pior acontecer”, conta. Hoje de manhã, ainda havia muitos galhos espalhados na rua.

O Corpo de Bombeiros também registrou queda de árvore na rua Alagoas, entre a Eduardo Santos Pereira e a Espírito Santos, no Bairro Jardim dos Estados, na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz e no bairro Dom Antônio Barbosa.

Conforme o meteorologista da Uniderp, Natálio Abrão, a média de chuva na Capital foi de 27,4 milímetros com ventos de 59,4 km/h. Só na região do Shopping Norte Sul Plaza choveu 39,5 milímetros. Por causa do temporal de ontem, o Aeroporto Internacional de Campo Grande amanheceu fechado.

Moradores amanheceram arrumando as casas que foram destelhadas no Vespasiano Martins. (Foto: Fernando Antunes) Moradores amanheceram arrumando as casas que foram destelhadas no Vespasiano Martins. (Foto: Fernando Antunes)
Apesar da chuva, duas cidades de MS entram na lista das mais quentes
A chuva de ontem amenizou o calor na maior parte do Estado, mas não foi suficiente para tirar Mato Grosso do Sul da lista de cidades com as temperatu...
Após temporal, aeroporto amanhece fechado para pousos e decolagens
Devido o mau tempo, o Aeroporto Internacional de Campo Grande amanheceu fechado para pousos e decolagens. Conforme o site da Infraero (Empresa Brasil...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions