A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

15/10/2013 19:26

Após suposto conflito, PF reforça segurança em fazenda invadida em Miranda

Zana Zaidan

Homens da Polícia Federal reforçaram a segurança da chácara Boa Esperança, em Miranda, a 201 quilômetros de Campo Grande, invadida desde a última quarta-feira (10) por cerca de 300 índios terena da aldeia Moreira.

Veja Mais
Indígenas ampliam invasão e mantêm trabalhador refém em Japorã
André diz que União deve se responsabilizar por conflitos em Miranda

A equipe chegou à propriedade no dia seguinte à invasão, e hoje houve reforço no efetivo. Conforme a assessoria de imprensa da PF, os policiais permanecem no local para evitar “conflito entre as partes”.

A chegada da PF aconteceu depois de o líder indígena da aldeia, Paulino Terena, alegar que na quinta-feira homens passaram em uma caminhonete e teriam atirado em direção às famílias acampadas. Os disparos, segundo Terena, atingiram a sede da Trator Mil, empresa que funciona na chácara, de propriedade do filho do dono Boa Esperança, Fernando Miliani.

A Polícia Federal não confirma que houve os disparos, mas ressalta que a equipe continuará no local por tempo indeterminado, a fim de evitar “tensão” entre produtores rurais e índios.

Milani, por sua vez, afirma que foi informado do episódio por funcionários do Sindicato Rural de Miranda. “Me ligaram para avisar. Não sei se realmente aconteceu, mas pode ser verdade, porque os produtores rurais da região estão nervosos com toda essa situação. Não temos como confirmar porque todos nós, eu, meu pai e funcionários da fazenda e da empresa, estamos impedidos de entrar”, explica.

Segundo Milani, o advogado da família já foi acionado e deu entrada no pedido de reintegração de posse hoje. Esta foi a primeira que a Boa Esperança foi invadida, desde que a família Milani adquiriu a propriedade, em 1991.

Conflito agrário – Apesar do acordo firmado em junho deste ano com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) de cessar as invasões para que uma solução concreta fosse apresentada pelo Governo Federal, 14 novas áreas privadas foram tomadas, de acordo com a Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS). Atualmente, o Estado soma 70 propriedades rurais invadidas por indígenas.

Na semana passada, além da invasão da Boa Esperança, no município de Miranda, foi registrada a invasão da propriedade Baía dos Carneiros, em Corumbá, e da fazenda São Jorge, em Japorã.

Indígenas ampliam invasão e mantêm trabalhador refém em Japorã
Os Guaranis Kaiowás ampliaram de 168 para aproximadamente 370 hectares a área invadida na Fazenda São Jorge, em Japorã, cidade distante 487 km de Cam...
Mais de 300 índios invadem fazenda próximo a Miranda
Cerca de 300 índios da etnia terena, da aldeia Moreira, invadiram no início da manhã de hoje (9), por volta das 5 horas, a fazenda Trator Mil de 3,2 ...
Cinco pessoas são atingidas por raio em colheita de cana e uma morre
Um trabalhador rural identificado como Abmael Fernandes dos Santos, de 30 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (7) ao ser atingido por um raio en...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions