A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

30/01/2015 12:44

Caçadores se perdem no Pantanal e após 2 dias são resgatados e presos

Viviane Oliveira
Familiares recebem trio que estava desaparecido desde o dia 27. (Foto: divulgação/PMA)Familiares recebem trio que estava desaparecido desde o dia 27. (Foto: divulgação/PMA)

Três caçadores ficaram perdidos durante 50 horas no Pantanal, foram resgatados e presos pela PMA (Polícia Militar Ambiental). O trio estava caçando em um fazenda distante 5 quilômetros da Fundação Bradesco, a 60 quilômetros de Miranda, quando se perderam. A polícia foi acionada pelos familiares dos caçadores que ficaram preocupados com a falta de notícia.

Veja Mais
Pistoleiro executa morador em acerto de tráfico de drogas na fronteira
Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS

Os parentes preocupados com o sumiço do trio acionaram a polícia, que iniciou as buscas junto com voluntários. Os familiares relataram que os homens saíram para caçar na última terça-feira (27), com armas e com cachorros.

Ontem (29), os militares, junto com o Corpo de Bombeiros, localizaram por volta das 11h20 os desaparecidos. Depois de ficar quase 50 horas sem água e alimentação, o trio estava debilitado. Os homens foram encontrados em uma propriedade relativamente distante do local que haviam partido. Os caçadores de 54 anos, 20 e 26 anos confessaram que estavam praticando a caça predatória. A polícia encontrou com eles três armas, duas espingardas calibre 36 e uma calibre 22, além de duas facas e três cartuchos deflagrados.

Os caçadores contaram que não abateram nenhum animal silvestre, mas que perseguiram um cateto, uma queixada e atiraram em um porco monteiro, antes de perceberam que estavam perdidos no interior da mata. Os homens se alimentaram de brotos de bacuris e passaram a noite em cima de árvores, porque na região tem muita onça pintada.

Os três foram levados para uma unidade de saúde de Miranda e, em seguida foram para a Delegacia de Polícia Civil. O trio vai responder por caça sem autorização do órgão ambiental e por porte ilegal de armas. Se condenados, poderão pegar de dois a quatro anos de reclusão pelo porte ilegal de arma e mais de seis meses a um ano de detenção pelo crime ambiental. Os infratores ainda receberam multa individual correspondente a R$ 1,5 mil.

Boliviana indiciada após tragédia com voo da Chape pede refúgio em MS
A boliviana Celia Castedo Monasterio, indiciada pelo Ministério Público de seu país por ter autorizado o plano de voo da Chapecoense, com saída em Sa...
Hospital Universitário de Dourados alerta para golpe do falso médico
Falso médico estaria agindo em nome do HU-UFGD (Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados) e nesta segunda-feira entrou em co...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions