A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

12/09/2014 17:42

Concessionária alerta DNIT sobre ameaça de caminhoneiros de parar BR-262

Priscilla Peres e Caroline Maldonado
Acidente aconteceu no dia 26 de agosto, quando um barco bateu na ponte. (Foto: Diário Online)Acidente aconteceu no dia 26 de agosto, quando um barco bateu na ponte. (Foto: Diário Online)

A concessionária Porto Morrinho, responsável pela administração da ponte da BR-262 sob o rio Paraguai, solicitou o apoio da PRF (Polícia Rodoviária Federal) para ajudar a manter "a ordem pública e livre trânsito de veículos". A medida ocorre por que motoristas de caminhões que passam pelo local ameaçaram entrar em greve.

Veja Mais
Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento

A ponte está com o trânsito parcialmente restrito desde o dia 26 de agosto, quando um barco empurrador causou estragos na parte submersa da ponte, localizada na região de Porto Morrinho, em Corumbá - distante 419 km de Campo Grande. Hoje, o governo federal reconheceu a situação de emergência em Corumbá e Ladário devido ao acidente.

De acordo com o ofício feito pela concessionária, a vistoria determinou a restrição do tráfego na ponte para carretas com mais de 6 eixos e peso total de 45 toneladas. Nesses casos o condutor precisa desmembrar a carreta e passar uma parte de cada vez, sendo que na segunda ida, não será cobrado pedágio.

O tráfego de bitrem carregado está proibido. A concessionária acredita que as condições para passagem na ponte permaneça até o fim deste ano.

A PRF que atua no posto policial da região afirma que os motoristas reclamam sobre o retorno da normalidade do tráfego, mas não houve nenhuma reclamação formal ou ameaça de manifestação, até o momento. "Não podemos dizer quando terminam as restrições porque não temos essa informação. Só sabemos que os técnicos farão outra vistoria para ver a parte que está abaixo da água e temos que esperar".

Emergência - A portaria, assinada pelo secretário nacional da Defesa Civil, Adriano Pereira Júnior, foi publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União. As prefeituras de Corumbá, Ladário e o governo do Estado já haviam decretado a situação de emergência.

De acordo com o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte (PT), a expectativa é que venham recursos para a reconstrução de um dolfin, estrutura de proteção. A obra deve custar R$ 4 milhões.

Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
O comércio de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - irá funcionar em horário especial neste fim de ano. Os horários e dias foram ...
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento
A esposa de um detento de Itaquiraí, distante 410 km de Campo Grande, foi presa na tarde de ontem (7) tentando entregar um pão recheado com maconha p...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions