A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

12/09/2012 23:06

Famílias de mortos em Paranhos veem motivação fútil em duplo homicídio

Luciana Brazil
Irmão de Devanir, candidato a vice-prefeito, acredita que crime não teve motivação política. (Foto:Rodrigo Pazinato)Irmão de Devanir, candidato a vice-prefeito, acredita que crime não teve motivação política. (Foto:Rodrigo Pazinato)

No velório de Devanir Viaro, 40 anos, e de Jorge Ilário Achucarro Romã, 50 anos, assassinados em Paranhos na tarde da última terça-feira (11), era possível perceber que parentes e amigos continuavam sem entender o motivou fútil que teria causado o crime.

Veja Mais
Autor de duplo homicídio em Paranhos presta depoimento e será transferido hoje
Dois são mortos em Paranhos, entre eles irmão de candidato

“A gente não sabe o que pode ter acontecido. O que sabemos é que a discussão foi por causa de um cavalo. Não tinha ninguém lá, como vamos saber?”, questionou Donizete Viaro, irmão de Devanir, que é também candidato a vice-prefeito da cidade pelo PMDB e presidente da Câmara de Vereadores.

O autor do crime, o capataz Carmo Casturino Machado, 55 anos, preso em flagrante no mesmo dia do assassinato, era amigo das vítimas e considerado por muitos como um homem “tranquilo”. “Ele era conhecido do meu irmão e um homem sossegado”, afirmou Donizete.

As famílias, bastante abaladas, acreditam que as mortes não tenham acontecido por motivos políticos e ainda afirmaram que os índios guarani-kaiowás, que há mais de um mês ocupam duas fazendas na região, não teriam ligação com o assassinato. Cerca de 700 índios reivindicam por terras.

Porém, um parente de Devanir, que preferiu não se identificar, afirmou que a ocupação indígena teria feito Carmo Casturino pedir, recentemente, demissão da fazenda, já que estaria com medo de continuar no local com a família. Mas apesar disso, o clima tenso da ocupação das terras seria a única influência no crime, de acordo com o familiar.

Devanir era genro da dona da fazenda Porto Domingo, onde aconteceu o assassinato. Jorge e Carmo, trabalhavam na propriedade.

Política: Segundo Donizete, o irmão da vítima, logo após o crime, o deputado estadual Geraldo Rezende (PMDB) quis se certificar de que as mortes não tinham envolvimento com a candidatura de Donizete. “Ele me ligou e queria acionar Brasília, mas eu disse que não tinha nada a ver com minha campanha”, contou.

A desconfiança do deputado teria fundamento, já que a campanha na cidade tem sido marcada por ameaças, segundo o candidato do PMDB.

O enterro das vítimas está marcado para às 8 horas desta quinta-feira. Devanir será enterrado em Paranhos, já Jorge Ilário, que era paraguaio, será enterrado no país vizinho.

Dois são mortos em Paranhos, entre eles irmão de candidato
Devanir Viaro, 40 anos, irmão do candidato a vice-prefeito de Paranhos e presidente da Câmara de Vereadores, Donizete Viaro, foi morto a tiros nest...
Índios ocupam fazenda em Paranhos para cobrar demarcação de terra
Índios guarani kaiowá e nhandeva ocuparam esta manhã (3) uma fazenda instalada em área declarada indígena em abril de 2000. A propriedade fica a cerc...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions