A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

06/10/2012 17:10

Força Nacional faz operação em área de conflito entre índios e fazendeiros

Aline dos Santos
Operação começou ontem e deve durar 60 dias. (Foto: Hédio Fazan)Operação começou ontem e deve durar 60 dias. (Foto: Hédio Fazan)

A Força Nacional chegou a Paranhos para diminuir a violência na região, onde três áreas são disputadas por índios e fazendeiros. A operação Guarani teve início ontem. O deslocamento do efetivo foi determinada pelo Ministério da Justiça a pedido da Funai (Fundação Nacional do Índio) de Ponta Porã.

Veja Mais
Guarani-caiuá ocupam há 30 dias área em Paranhos e relatam novos ataques
MPF mostra situação precária de índios em fazenda de Paranhos

De acordo com a chefe do serviço de gestão ambiental e territorial da Funai, a indigenista Juliana Mello Vieira,os policiais vão permanecer 60 dias na região. Uma base será montada em Amambai. Ela explica que, inicialmente, a prioridade será a região de conflito nas áreas Potrero, Arroyo Kora e Ypo’i. Em agosto, na briga por 7.500 hectares, os guaranis invadiram a fazenda Eliane.

Eles relataram ataques de pistoleiro e o desaparecimento de um indígena. Segundo Juliana, até ontem os índios denunciaram intimidações, como disparos e ameaças.

A 469 km de Campo Grande, o município, na fronteira com o Paraguai, foi o local de outro conflito envolvendo a disputa por terra. Em 2009, os professores indígenas Jenivaldo Vera e Rolindo Vera desapareceram em ataque na fazenda São Luiz, denominada de Ypo’i. O corpo de Jenivaldo foi localizado dias depois, em um córrego próximo ao conflito. O corpo de Rolindo não foi encontrado.

Para amanhã, dia das eleições municipais, as aldeias da região Sul terão reforço de fiscalização da Polícia Federal. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions