A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

09/12/2013 11:43

Laudo pericial diz que meninas que acusaram “pai” de estupro são virgens

Graziela Rezende

O laudo pericial realizado nas adolescentes de 12, 14 e 16 anos, que acusaram o padrasto de estupro em Sidrolândia, a 71 quilômetros da Capital, apontou que todas são virgens. O homem de 48 anos é pai biológico apenas da mais velha. Segundo a delegada Deborah Mazzola, responsável pelas investigações, o documento é incontestável e prova que não houve este tipo de crime.

Veja Mais
Padrasto abusou de três "filhas" de 12, 14 e 16 anos em Sidrolândia
Fiems pede que governo mantenha contratos de incentivos fiscais

“O médico ressaltou que não houve estupro e a prova é incontestável. Ainda realizamos diligências, além do levantamento com testemunhas que presenciaram, em via pública, apenas um beijo na boca entre o pai e a filha. Ele responderá por este ato obsceno, cuja pena varia de três meses a um ano”, afirma a delegada.

Com relação às enteadas, a de 12 anos comentou que não houve abusos. A adolescente de 14 anos, no entanto, garantiu que há dois anos foi obrigada a praticar sexo oral no padrasto. Para a conselheira tutelar Aide Barbosa, a vítima ainda disse que era abusada desde os cinco anos de idade.

“A menina contou que o fato ocorreu quando a família morava no Rio de Janeiro. Agora será enviada uma cópia do procedimento para aquele município e lá o pai pode responder por estupro”, comenta a delegada. Considerado hediondo, a pena para o crime varia de oito a quinze anos de reclusão.

Com relação a mãe, uma auxiliar de limpeza de 50 anos, a Polícia a qualificou como testemunha. “Ela declarou que tinha medo das ameaças do autor e que, quando se sentiu segura, procurou a Polícia para denunciar o crime”, diz a delegada.

Além dos crimes citados, o suspeito ainda será indiciado por coação no curso do processo. “Ele ficou sabendo que uma testemunha viria até a delegacia e a ameaçou, dizendo: cuidado com o que você vai falar, isso pode ser muito ruim pra você. Dessa maneira, também responderá por este crime, cuja pena varia de um a quatro anos”, explica a delegada.

O TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), noticiando os fatos, será em breve enviado ao Juizado Especial.

Padrasto abusou de três "filhas" de 12, 14 e 16 anos em Sidrolândia
Informações do boletim de ocorrências registrado às 17h da segunda-feira (2) na Delegacia de Polícia Civil de Sidrolândia, a 71 quilômetros de Campo ...
Homem tem pescoço cortado e é encontrado morto em rodoviária
Diones Luiz Pedrosa Farias, 21, foi encontrado morto com o pescoço cortado com uma faca, na rodoviária de Amambai, distante 366 km de Campo Grande, n...



Agora toda e qualquer acusação destas filhas ou da delegada contra este cidadão perde credibilidade.
 
Marcelo do Nascimento em 10/12/2013 15:24:17
A delegada quer fazer o cara culpado na marra, sabe porque? Porque não tem humildade de pedir desculpa para ele, além de estar com medo dele correr atrás dos direitos agora. Já ví este filme antes. Abra o olho corregedoria!!!!
 
Marcelo do Nascimento em 10/12/2013 14:57:19
Tem que ter muito cuidado com essas acusações,hoje em dia apesar de serem jovens,a maioria assiste novela da globo e acabam ficando bem espertinhas, para acusar sem prova é um pio....
 
agusto barbosa em 09/12/2013 17:06:11
Precisa apurar muito bem, não é só pq o exame acusam que não houve a penetração que não houve crime de estupro: "Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso"
 
Mayara Campos em 09/12/2013 14:53:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions