A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

21/06/2013 11:57

MST diz que foi incentivador da onda de protesto e cobra reforma agrária já

Jéssica Benitez e Paula Maciulevicius
MST entra na onda de protesto e bloqueia BR - 163 (Foto: Cleber Gellio)MST entra na onda de protesto e bloqueia BR - 163 (Foto: Cleber Gellio)

Integrantes do MST (Movimento Sem Terra) entraram na onda de protesto espalhada por todo o País e fecharam a BR-163, próximo ao distrito de Anhanduí, com objetivo de chamar a atenção do Governo Federal acerca da tão sonhada reforma agrária. Na concepção deles, o momento histórico vivido pela população brasileira foi desencadeada após o MST caminhar de Anhanduí até Campo Grande no último dia 03.

Veja Mais
Protesto do MST causa congestionamento apesar de liberação a cada 21 minutos
Fetagri diz que manifestação do MST é isolada, mas pode se estender

Hoje, eles se concentram nas proximidades do assentamento Joaquim Pereira Veraz onde aguardam a liberação da Fazenda Nazaré, com quase 2.500 hectares de terra, há 5 anos. Segundo um dos coordenares da manifestação, Dinho Lopes, o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) já comprou o espaço, porém, aguarda emissão de posse por parte da Justiça.

“Estamos aqui para protestar sobre várias coisas, inclusive a morosidade em aplicar, de fato, a reforma agrária no País. E também a forma como os trabalhadores são tratados pelo governo. Por que não fazem uma reforma no padrão Fifa?”, questionou fazendo referência aos gastos exorbitantes com a realização da Copa do Mundo.

A demarcação das terras indígenas também se inclui na lista de reivindicações, além disso, melhorias nas áreas da saúde e educação, como em todo o Brasil, estão na pauta do protesto. Para evitar congestionamento total da rodovia, eles liberam o trânsito de 21 em 21 minutos. O tempo é em alusão ao número de mortos no episódio que ficou conhecido como “Massacre do Carajás”.

Em abril de 1996, 21 integrantes do MST foram mortos pela Polícia Militar do Estado do Pará. O confronto ocorreu quando 1.500 sem-terra que estavam acampados na região decidiram fazer uma marcha em protesto contra a demora da desapropriação de terras, principalmente as da Fazenda Macaxeira. A Polícia Militar foi encarregada de tirá-los do local, porque estariam obstruindo a rodovia BR-155, que liga a capital do estado Belém ao sul do estado.

Fetagri diz que manifestação do MST é isolada, mas pode se estender
O coordenador da Fetagri - MS (Federação dos Trabalhadores na Agricultura MS), Adão de Souza Cruz, ressaltou que esta manifestação do MST (Movimento ...
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...



Por que o MST não se manifesta sobre a venda descarada de lote da reforma agraria na Fazenda Itamarati? Será que eles querem terra pra trabalhar ou pra vende-las?
 
ronei fuchs em 22/06/2013 10:34:45
até parece que depois que eles vieram a Campo Grande , que começaram os protestos.Os verdadeiros trabalhadores rurais já receberam as suas terras.Alguem sabe quantos mil hectares já foram destinados para reforma agraria?
 
paulo belle em 21/06/2013 17:58:48
APROVEITADORES NACIONAIS, É O QUE O MST É. SAO GRILEIROS, DISFARÇADOS. E QUEM INCENTIVOU A ONDA DE PROTESTOS FOI A DILMA, COM ESSA MANEIRA DE GOVERNAR, VISANDO SOMENTE IMPOSTOS E LIDERANDO A CORRUPÇÃO. E O MST, COMO SEMPRE, NAO PERDE UMA CHANCE DE USAR DE SEUS MEIOS DE APARECER.
 
LUCIANO MARQUES em 21/06/2013 17:20:51
Assim como alguns candidatos comunistas,... bando de oportunistas.
 
Eduardo Semir em 21/06/2013 14:57:07
Toda vez é isso, esse povo o MST deveria ser punido. Sempre oportunistas. Sempre fazendo baderna
 
Cyro Chan em 21/06/2013 12:43:04
Mas é cada uma que aparece. O MST age só em benefício próprio. Nada em interesse da população, como foi o protesto de ontem.
 
Everton Rocha em 21/06/2013 12:24:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions