A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

02/07/2013 12:10

Operários de obras da Petrobras fazem quebra-quebra em alojamento

Francisco Júnior
Pelo 80 operários participaram do quebra-quebra. (Foto: Perfil News)Pelo 80 operários participaram do quebra-quebra. (Foto: Perfil News)
Tropa de choque foi acionada. (Foto: Perfil News)Tropa de choque foi acionada. (Foto: Perfil News)

Em greve, operários que trabalham na empresa UFN3, que presta serviço para a Petrobras na construção da fábrica de fertilizantes, em Três Lagoas, promoveram um quebra-quebra na noite de ontem (1) no alojamento localizado na BR-158.

Veja Mais
Com sítio invadido por índios, família está há nove meses fora de casa
Pistoleiro preso “some” e prefeito de Pedro Juan cobra polícia paraguaia

Os protestos continuaram hoje pela manhã, quando o grupo incendiou ônibus e um caminhão próximo ao alojamento.

De acordo com o site Perfil News, um grupo composto de mais de 80 trabalhadores iniciaram tumulto ontem no interior do alojamento e quebraram portas e janelas, além de atear fogo em colchões de alguns apartamentos.

Conforme o site, a confusão aconteceu por volta das 22h30 horas, quando alguns trabalhadores ficaram sabendo do resultado da audiência realizada na manhã de ontem (1) na sede do TRT em Campo Grande.

Vendo que as reivindicações do movimento grevista não avançaram, os empregados ficaram revoltados. Para conter a desordem, um grupo de seguranças do local, conseguiu conter os ânimos até a chegada da Polícia Militar, com reforço da tropa de choque da Rotai e Cigcoe.

Depois de controlado o tumulto, equipes do Corpo de Bombeiros foram até o local, mas constataram que não havia a necessidade de intervenção, permanecendo apenas como apoios aos policiais.

 

Operários colocaram fogo em ônibus e caminhão. (Foto: Perfil News)Operários colocaram fogo em ônibus e caminhão. (Foto: Perfil News)

A empresa informou que um representante negociou com os trabalhadores e que ficou acordado que nenhum colaborador permaneceria nos quadros da empresa a contragosto.

Para aqueles que desejassem se desligar dos quadros de funcionários foi montanda uma estrutura de Recursos Humanos para atender a solicitação em maneira emergencial.

Àqueles que preferiram continuar, retornaram aos aposentos que não foram destruídos. Alguns foram alojados em outras unidades da empresa instalados na cidade.

Nesta terça-feira uma nova assembleia será realizada para decidir os rumos da greve.

Na semana passada, os operários bloquearam a BR-158 por cerca de 6 horas.




olá boa noite,amigos internautas,sou soldador e sei muito bem o que está se passando com tantas greves pelo país nas construções civil,estamos sendo tratado como cachorro vira-lata.para se ter uma ideia o salário que eu ganhava ha cinco anos atrás estou ganhando hoje.é salário baixo,é os empresário ganhando bilhões em cima de nós e os preços das coisas sendo subindo diariamente e ninguem faz nada.ainda vem um safado publicar que deveria descontar este quebra-quebra no contra cheque do operário safado tú mereçe levar um montão de porrada no xifre se é que tem mulher,que eu até duvido que tenha.taí pelo brasil inteiro as passiata.contra os polit~icos ladrões.
 
josé carlos bispo dos santos em 26/07/2013 18:43:13
É UMA PENA OS COMENTÁRIOS Q VEJO AI FALANDO DOS FUNCIONÁRIOS, PENA PQ SÓ QM ESTÃO NA SITUAÇÃO SABEM OQ ESTÃO PASSANDO, SOU DE TRES LAGOAS, TRABALHO NA UFN3 E SE ALGUM DE VOCES Q FIZERAM COMENTÁRIOS CONTRA OS FUNCIONÁRIOS, CERTO Q HOUVE EXAGEROS MAS FOI O Q A EMPRESA PEDIU PQ ELA EM NENHUM MOMENTO PAROU PRA NOS OUVIR,O CONTRÁRIO Q ELA ANDA DIVULGANDO Q ESTA SEMPRE ABERTA AO DIALOGO. PENA E TORÇO PRA Q UM VCS NÃO VENHA A PASSAR POR SITUAÇÃO IGUAL OU PARECIDA.
 
FLLAWIO ORRLINK em 03/07/2013 21:33:50
Cobrar melhorias nas condições de trabalho,querer salário melhor,tudo bem,mas tem alguns que resolvem destruir o seu próprio material de trabalho e patrimônio publico que vai sair dos nossos bolsos depois,isso deve ser considerado crime porque já virou baderna e deveriam ser punidos retirando dos seus proventos o valor de tudo que destruíram.
 
Teresa Moura em 03/07/2013 10:06:30
É bem comentário de quem nunca foi subjulgado por ninguém, Desconta do salário(kkkkkk) é uma piada né. Esses caras trabalham longas jornadas, longe da família por dias, se alimentam de ração(por que o que comem não pode ser chamado de alimento) vivem em alojamentos comparados a canils, são tratados como escravos e recebem um salário minimo e ai vem um ser humano e diz que esses caras são baderneiros. Eles simplesmente cansaram de ser humilhados e estão lutando pelo que eles tem direito. Porquê a justiça quando teve oportunidade, tirou mais uma vez a razão de quem só faz é trabalhar e pagar impostos enquanto os deputados estaduais e federais estão comendo do bom e do melhor. E ninguém fala dos senhores deputados estaduais que por sua vez estão quietinhos.
 
Rodrigo Rocha em 03/07/2013 07:55:13
Cada cidadão , que tem um emprego deve agradecer a Deus por estar tirando o sustento de sua família, se quer melhoras de salário se qualifique, não é quebrando tudo que vai resolver,democracia é uma coisa baderna é outra. Nosso Pais perdeu a governabilidade,estamos em um barco a deriva, ou nosso governo central toma medidas enérgicas e urgentes ou poderá ser tarde demais.
 
porfirio vilela em 03/07/2013 07:01:53
Tem gente e partido politico provando de seu próprio veneno. MST não pode invadir, depredar, incendiar impunemente? Milicias armadas indígenas não fazem o mesmo e são absolvidos pelo conceito fundado pelo MPF, de "retomada"? Com tantos exemplos "positivos", aí estamos. Quem transporta por até 800 Km, índios para interromper Belo Monte? E para invadir o Congresso? Exemplo é exemplo!
 
Valfrido M. Chaves em 03/07/2013 00:15:07
Ta faltando mais informação da real situação que levou a essa greve. Que pena
Quanto aos outros saibam que o consórcio UFN3 ja cancelou o vale alimentaçao, suspendeu o pagamento e já esta demitindo os funcionários em massa por justa causa.
Só lembrando que os trabalhadores estavam tentando negociar com o Consórcio a mais de 10 dias de maneira pacífica! Mas infelizmente um grupo isolado de trabalhadores não aceitou a decisão da justiça em retornarem ao trabalho sem nenhum aumento, sendo assim levando a esse vandalismo.
 
Alisson velasques em 02/07/2013 22:34:25
Esse negócio de protesto já está demais! Quebra-quebra, apurrinhação, bloqueio de vias, etc. Acho que já chega!
 
João Dias em 02/07/2013 19:04:39
Ta faltando AUTORIDADE competente neste Pais!!!! Estas badernas que representam prejuizos a população ao qual empregam quanta gente tem que ser imediatamente descontadas no salário ou na recisão de contrato.
 
Ado Filho em 02/07/2013 17:39:38
Comecem a descontar no salário deles pra ver se vão colocar fogo. de novo.
 
Placida Barros em 02/07/2013 14:39:14
BRASIL, UM PAÍS DO FUTURO!!...E POE FUTURO NISSO.
 
Paulenir de Barros em 02/07/2013 12:55:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions