A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

25/02/2015 22:52

PMA prende caçador com arma e carne de anta e pescadora com arma

Daniel Machado
Foram encontrados uma espingarda calibre 36 e dois cartuchos do mesmo calibre, além de pescados e apetrechos proibidos de pesca (Foto: Divulgação)Foram encontrados uma espingarda calibre 36 e dois cartuchos do mesmo calibre, além de pescados e apetrechos proibidos de pesca (Foto: Divulgação)

Uma equipe de policiais militares ambientais de Cassilândia realizava fiscalização hoje nas propriedades rurais do município de Paraíso das Águas, (MS) quando recebeu denúncias de que funcionários de uma fazenda praticariam caça e pesca predatória na propriedade rural.

Veja Mais
Crescimento populacional eleva repasse de FPM para 4 cidades de MS
Sem vagas em Unei, adolescentes que estupraram garoto estão em liberdade

Ao chegar à fazenda os policiais encontraram um homem de 40 anos com uma espingarda calibre 36 e dois cartuchos do mesmo calibre, sem documentação.

O homem confessou que teria carne de anta em sua geladeira, que teria caçado. As armas e munições e 3,5 quilos de carne do animal silvestre da espécie anta foram apreendidos.

Em frente da residência de uma mulher de 33 anos os policiais encontraram duas redes de pesca (petrechos proibidos). A infratora afirmou possuir peixes que havia capturado durante a piracema e a PMA apreendeu no freezer 9 quilos de pescado.

A PMA também encontrou uma espingarda calibre 28 com três cartuchos, que não possuía documentação. Todo o material foi apreendido.

Os infratores receberam voz de prisão e foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas, onde foram autuados em flagrante e saíram depois de pagar fiança de R$ 1.000, cada um.

O infrator responderá por posse ilegal de arma e por crime ambiental de caça. A pena para a posse de arma é de um a três anos de detenção. Pelo crime ambiental de caça ilegal, a pena é de seis meses a um ano e meio de detenção, visto que a anta está na lista de espécies em extinção.

Ele foi multado administrativamente em R$ 5.000 pela caça do animal silvestre.

A mulher também responderá por posse ilegal de arma e por pesca e armazenamento de produtos da pesca predatória.

A pena para cada crime é de um a três anos de detenção. Ela foi multada administrativamente em R$ 880 pela pesca predatória.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PMA.

Crescimento populacional eleva repasse de FPM para 4 cidades de MS
As prefeituras de Angélica, Nova Andradina, Paranhos e Três Lagoas, terão aumento em 2017, no repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), ...
Vendedor é esfaqueado nas costas durante briga por espaço
Uma rixa antiga, de pelo menos três meses, acabou com o vendedor de espetinho, Ramão Antônio Gomes, 42, gravemente ferido ao ser esfaqueado duas veze...



Esse é o Brasil, uma grande piada. Que mal essas pessoas que moram em fazendas fazem ao cidadão de bem? Matar um animal para se alimentar ou pescar uns peixinhos para dar de comer aos filhos, é pecado? Prender as pessoas por porte de espingardas em fazendas? Enquanto isso, somos reféns da bandidagem nas grandes cidades e você não vê à noite, NENHUMA viatura da PM , ninguém nas ruas dando proteção ao cidadão!
É para rir ou para chorar?
 
Barbarossa em 26/02/2015 09:20:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions