A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

09/09/2015 08:32

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara vai a Douradina

Paulo Pimenta chegou ontem à noite a Mato Grosso do Sul e nesta quarta se reúne com índios expulsos por fazendeiros de uma área ocupada na semana passada; amanhã vai a Antonio João

Helio de Freitas, de Dourados

O presidente da CDHM (Comissão de Direitos Humanos e Minorias) da Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (PT/RS), segue neste momento para o município de Douradina, a 196 km de Campo Grande, para se encontrar com índios que lutam pela demarcação do território Panambi/Lagoa Rica, de 12.900 hectares.

Veja Mais
Presidente da CDHM da Câmara retorna a MS e vai a Antonio João e Douradina
MPF determina inquérito para investigar milícia de produtores contra índios

Pimenta chegou ontem à noite a Mato Grosso do Sul e nesta quarta visita a aldeia dos guarani-kaiowá localizada nas proximidades do distrito de Bocajá. No sábado (5), produtores rurais expulsaram os 50 índios que ocupavam há dois dias uma fazenda que fica dentro da área reivindicada pelos indígenas.

De acordo com a assessoria, Pimenta é escoltado por policiais rodoviários federais e deve chegar por volta de 10h ao distrito de Bocajá, de onde segue para a aldeia Guyra Kamby´i.

Amanhã, o congressista gaúcho vai ao município de Antonio João, a 279 km da Capital, na fronteira com o Paraguai, onde os índios reivindicam a demarcação de 9.300 hectares do território Ñanderú Marangatú. Atualmente eles ocupam três das sete fazendas que ficam na área.

No dia 29 de agosto, o índio Simeão Fernandes Vilhalva, 24, morreu durante tentativa dos produtores de desocuparem por conta própria uma das fazendas.

Paulo Pimenta disse que volta a MS a pedido de lideranças indígenas “para que seja restabelecido o diálogo e a paz nas áreas de conflito e para descartar qualquer ação pelo uso da força”.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions