A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

16/10/2015 10:59

Sem dinheiro para pagar 13º, prefeitura corta salários de servidores

Liana Feitosa
Ao Campo Grande News, prefeito Ari Basso afirmou que a ideia é cortar não só as horas extras. (Foto: Sidrolândia News)Ao Campo Grande News, prefeito Ari Basso afirmou que a ideia é cortar não só as horas extras. (Foto: Sidrolândia News)

A prefeitura de Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, vai reduzir a jornada de trabalho de funcionários de diversos setores para evitar a incidência de horas extras, principalmente em dezembro, o mês usado como base de cálculo para o 13º salário.

Veja Mais
Para aumentar receita, prefeituras elevam valor de imposto rural
Secretário admite que prefeitura só paga o 13º se tiver receita extra

De acordo com o chefe do setor do Rrcursos humanos da prefeitura, David Maia de Deus, o corte de horas extras ocasionará redução dos salário e, consequentemente, reduzirá a base de cálculo do benefício anual.

Segundo o site Sidrolândia News, o motivo que gerou os cortes é a crise financeira enfrentada pelos municípios brasileiros. Para a administração de Sidrolândia, faltam de recursos financeiros e, para não deixar de pagar o 13º salário dos servidores públicos municipais, será preciso reduzir custos.

Atualmente, a folha mensal chega a R$ 5,3 milhões, segundo o site, e a expectativa é que a medida gere redução 35%, ou seja, uma economia de cerca de R$ 2 milhões.

Ao Campo Grande News, o prefeito da cidade, Ari Basso, afirmou que a ideia é cortar não só as horas extras. "Sidrolândia não vive situação diferente que os demais municípios do país e do Estado. Então estamos fazendo a nossa parte enxugando onde tudo que der, diminuindo despesas, bonificações, alugueis e cortando horas extras", explica.

De acordo com o gestor municipal, ele tem se reunido regularmente com secretários e a controladoria para analisar tudo o que for viável. "Queremos realizar muitos cortes, mas nem tudo é autorizado por lei, então estamos cuidando da parte legal para ver o que podemos fazer", completa.

"Nosso objetivo é fazer a folha de pagamento municipal chegar em até R$ 4,3 milhões, mas o ideal mesmo é diminuir para até R$ 3,8 milhões, vamos tentar esse número, senão as contas não vão fechar", finaliza.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions