A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2017

02/06/2014 19:11

Trem atropela carreta bitrem carregada com 37 toneladas de minério de ferro

Caroline Maldonado
O trecho é perigoso e quando há manobras de carregamentos pedestres tem que esperar 40 minutos para atravessar a via (Foto: Capital do Pantanal)O trecho é perigoso e quando há manobras de carregamentos pedestres tem que esperar 40 minutos para atravessar a via (Foto: Capital do Pantanal)

Um trem atropelou uma carreta bitrem carregada com 37 toneladas de minério de ferro, em Corumbá, nesse sábado (31), por volta das 18h30. O trem fazia o escoamento da produção das mineradoras, na região de Maria Coelho.

Veja Mais
Justiça determina que Sanesul repare danos em erosão causada por vazamento
Chuva alaga ruas em Paranaíba e deixa até camionete submersa em Chapadão

O condutor da carreta, José Tadeu dos Santos, 41 anos, contou ao jornal Capital do Pantanal que quando cruzou a linha férrea não viu sinalização e nem ouviu apito do trem. Questionada pelo jornal quanto a sinalização que é obrigatória, a concessionária ALL (América Latina Logística) informou que a sinalização é por conta da empresa Vale. Nessa manhã, um guincho foi contratado pela seguradora da empresa que presta serviço para a mineradora.

O motorista da carreta, que é morador de Tupã, município de São Paulo, não sofreu lesões no acidente e não recebeu nenhuma ajuda por parte da concessionária até a manhã desta segunda-feira (2). “Estou aqui desde quinta-feira e sem lugar para dormir, comer e sem tomar banho. Não há a menor infraestrutura para quem vem fazer o carregamento na Vale. Temos colegas que ficam aqui até sete dias e só conseguem ajuda do pessoal da Vetorial, que deixa que utilizemos seu banheiro”. José Tadeu está dormindo e comendo na carreta de um amigo próximo do cruzamento da linha férrea, onde o caminhão foi arrastado.

Conforme informações de moradores ao jornal, o trecho é perigoso e quando há manobras de carregamentos pedestres tem que esperar 40 minutos para atravessar a via. Em entrevista ao jornal, a proprietária de um balneário da região lembrou que a Vale prometeu construir um viaduto no local para facilitar o trânsito, mas nenhuma obra começou até então.

A reportagem do jornal Capital do Pantanal entrou em contato com a assessoria de imprensa da Vale em Belo Horizonte que informou que a responsabilidade é da ALL. A ALL se comprometeu em responder em nota esclarecendo sobre a falta de sinalização.

Base dos Bombeiros com 8 militares deve ser implantada até o meio do ano
Rio Brilhante - cidade localizada a 163 km de Campo Grande - deve ganhar em breve uma base do Corpo de Bombeiros. Foi publicado no DOE-MS (Diário Ofi...
Investimento em recuperação de rodovias no MS será de R$ 185,9 milhões
O Governo do Estado deve investir R$ 185,9 milhões para recuperar trechos das rodovias MS-156, MS-379 e MS-470, que ficam em maior parte na região de...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions