A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

23/11/2016 17:40

Vereadora é ferida com soco por colega depois de postagem no Facebook

Confusão começou com postagem da filha da parlamentar e foi parar em sala dentro da Câmara Municipal

Fernanda Yafusso
Soco dado por vereador deixou marca na região do tórax da vereadora Maria Donizete (Foto: Arquivo Pessoal)Soco dado por vereador deixou marca na região do tórax da vereadora Maria Donizete (Foto: Arquivo Pessoal)

A vereadora Maria Donizete dos Santos (PT) procurou a polícia, nesta quarta-feira (23), para denunciar que foi agredida fisicamente pelo também parlamentar Edicarlos Oliveira (PSDB), dentro da Câmara Municipal de Porto Murtinho, município 430 km a sudoeste de Campo Grande. O motivo da briga foi uma postagem da filha dela no Facebook.

Veja Mais
Advogado que acusou delegado de agressão é solto após ação na Justiça
Polícia pode indiciar mais cinco por agressão a rapaz

Os dois vereadores discutiram em uma sala da Câmara, nesta manhã. O bate boca foi registrado em áudio (confira no fim deste texto).

Tudo começou por que, no dia 3 de outubro, ou seja, um dia depois das eleições municipais, Ludemila Almeida, filha de Maria Donizete, postou uma crítica em sua página no Facebook, em que classifica Edicarlos, reeleito na ocasião, como "machista, oportunista, preconceituoso, mau caráter". Segundo ela, o parlamentar "não merecia ocupar a cadeira de um legislador da cidade".

Em seguida, Edicarlos teria falado em uma rádio sobre Ludemila, usando termos como "biscatinha" e "vagal" para se referir a ela. Hoje, a mãe teria ido cobrar satisfações do parlamentar.

No áudio enviado ao Campo Grande News, os vereadores discutem e, em determinado momento, a vereadora Maria Donizete grita para o vereador: "Se você está chamando a minha filha de biscatinha, assuma! Eu não tenho medo de você e nem ninguém. Não mexa com os meus filhos!". Após terminar a última frase, ouve-se um barulho e a discussão termina.

Ouvida pelo Campo Grande News, a vereadora Maria Donizete afirma que houve agressão física. Além disso, ela relata que o áudio divulgado foi manipulado, pois não aparece o momento em que o vereador ofende sua filha.

"Eu cheguei na minha sala e o vereador Edicarlos estava lá com o outro vereador, o Carlos Heitor (PT). Dei bom dia e perguntei se estava tudo bem. Foi quando percebi que o vereador Edicarlos me encarava de forma estranha e então eu disse: 'Então você chamou minha filha de biscatinha?'. Ele negou, dizendo que não, mas depois confirmou e ainda disse que chamaria quantas vezes precisasse. Depois disso, eu ia sair da sala quando ele se levantou e insinuou que eu ia fugir, eu voltei e então nos alteramos, ele me deu um soco no peito e me jogou no chão, é nesse momento que você escuta um barulho de queda", relata a parlamentar.

Postagem de filha da parlamentar na manhã de hoje em sua página do Facebook (Foto: Reprodução Facebook)Postagem de filha da parlamentar na manhã de hoje em sua página do Facebook (Foto: Reprodução Facebook)

Já o vereador Edicarlos Oliveira afirma que não houve agressão física ou verbal. E que todo o problema foi uma armação para lhe prejudicar perante a população de Porto Murtinho.

"Hoje pela manhã eu estava conversando com um outro vereador, do mesmo partido da vereadora Maria Donizete, e ela entrou na sala dizendo que eu não poderia ter feito aquilo e falado da filha dela. Mesmo justificando que as críticas que fiz no meu programa não foram para a filha dela, a vereadora continuou me agredindo verbalmente. E nesse momento ela se aproximou de mim e colocou o dedo na minha cara, enquanto eu estava sentado de frente para ela a meio metro de distância e próximo da porta de saída. Eu me levantei e então encostei no ombro dela com a mão esquerda para sair do seu alcance. Não sei se ela tropeçou na cadeira que estava logo atrás dela ou se desequilibrou, e caiu. Após isso saí da sala e fui imediatamente registrar um boletim de ocorrência".

No boletim registrado pela vereadora, ela relata que o vereador chamou seus filhos de mau educados, e que a mesma não soube educá-los. Ainda segundo o registro, após ter sido agredida pelo vereador Edicarlos, o outro vereador Carlos Heitor, que também estava no local, se levantou para protegê-la, pois segundo a vereadora, as agressões não iriam acabar.

O vereador Edicarlos diz que a colega de trabalho possui uma mágoa em relação a ele. "É devido às cobranças que eu fazia na época que ela era secretária de Educação do município. Querem tentar sujar meu nome perante a justiça. E eu entendo que isso tudo teve como um único objetivo me prejudicar politicamente".

Polícia pode indiciar mais cinco por agressão a rapaz
A conduta de quem presenciou o espancamento e não acionou a polícia está sendo investigada. A pena para omissão de socorro é de seis meses a um ano d...
Cinco pessoas são atingidas por raio em colheita de cana e uma morre
Um trabalhador rural identificado como Abmael Fernandes dos Santos, de 30 anos, morreu na tarde desta quarta-feira (7) ao ser atingido por um raio en...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions