A notícia da terra a um clique de você.
 
16/06/2016 08:33

Dilma será apenas uma nota de rodapé

Mário Sérgio Lorenzetto
Dilma será apenas uma nota de rodapé

Petistas e seus tentáculos em uma trincheira. Peemedebistas, tucanos e o novo centrão, na trincheira oposta. Quem ficará do lado certo da história? Aparentemente, isso não tem importância para eles. Só lhes interessa o cotidiano emburrecido dos poderosos de plantão. Com impeachment ou sem impeachment, esse é um debate quase ultrapassado, o governo Dilma não existe. Aliás, nunca existiu. É algo maior.

Veja Mais
Diga sim à vida. O aborto é inaceitável
EUA: a homeopatia terá de informar que não funciona

Há uma sensação de fim de regime, de ruptura, de um ponto onde não há mais retorno. É um sentimento tão profundo que a destituição de Dilma, talvez não seja uma nota de rodapé, mas também não será a manchete desta crise. É uma pedra, mais uma, de um imenso dominó que cai. Uma queda tão grande e vasta...

Dilma será apenas uma nota de rodapé

Quando comprar as passagens aéreas mais baratas.

Se fica frustrado ao ouvir o amigo gabar-se de ter conseguido uma passagem aérea daqui para São Paulo por apenas R$170 e nunca encontrou semelhantes preços, saiba que existem alguns truques razoavelmente eficazes para poupar nas tarifas.
Vários estudos foram feitos para descobrir a antecedência certa para a aquisição das passagens. Não ultrapassar os 57 dias de antecedência, de acordo com a Skyscanner ou 15 dias, segundo a Hopper.

Para os Estados Unidos, a recomendação é de comprar a passagem 59 dias antes da viagem internacional. Para os trechos "domésticos", de uma cidade norte-americana a outra, a data correta é de 32 dias antecedendo a viagem. Outra recomendação é de não comprar passagens para os EUA com 75 dias de antecedência.

Para a Europa há vários estudos realizados pela Skyscanner. As melhores datas de compra variam de um destino a outro. Londres e Bruxelas - dois meses de antecedência. Paris - 10 semanas. Roma e Amsterdã - 3 meses. Em regra, janeiro é o mês de viagem mais econômico para a quase totalidade dos destinos europeus. A exceção fica com Paris, onde novembro é o melhor mês.
Outra dica são as promoções relâmpago, mas essas ofertas de ultimo minuto já não são tão tentadoras como nos anos anteriores. Também são menos frequentes. E quanto ao melhor dia da semana para conseguir uma passagem barata? Os fins de semana são os melhores dias para comprar. Mas, atenção, não deixe de comprar uma passagem em promoção que conseguiu na quarta-feira para aguardar o sábado. No lado oposto, sexta-feira é um péssimo dia para comprar passagens aéreas.

Dilma será apenas uma nota de rodapé

Acabará a gratuidade no envio de malas nas viagens aéreas.

Nos Estados Unidos as malas pagam passagens aéreas. Na Europa, China e no Canadá o procedimento é o mesmo - você paga o embarque da mala de acordo com a pesagem. Esse foi o caminho encontrado para baratear as passagens aéreas para a maioria dos viajantes. Essa mudança originou as empresas aéreas "low cost" (passagens de "baixo custo"). A Agencia Nacional de Aviação Civil - Anac - liberará as empresas aéreas que trabalham no Brasil para essa mudança que afetará o costume, especialmente femininos, de viajar com malas imensas e muito pesadas. O limite para bagagem de mão subirá de 5 para 10 kg. Já o despacho será desregulamentado, equivale dizer: pagaremos pelo peso da mala transportada. A intenção é liberar já nos próximos dias a cobrança do envio das malas nos voos internacionais. Para os voos nacionais a ideia é liberar a cobrança somente em outubro de 2018.

Dilma será apenas uma nota de rodapé

O bichinho que colocou a genética evolucionista de cabeça para baixo.

Há muitos séculos acreditamos que estamos no ápice da pirâmide evolutiva. Somos os animais mais evoluídos, somos superiores. Temos a maior quantidade de genes que nos garantem o cume animal. Certo? Não. Está tudo errado. É o que garantem três laboratórios que estudam um bichinho marítimo denominado "Oikopleura dioica". Os laboratórios biológicos de Barcelona, Japão e Noruega estão colocando a genética evolucionista de cabeça para baixo. A ideia central é que não existem animais superiores e inferiores, geneticamente falando.

Todos nós pensávamos que evoluir era ganhar genes. Eles estão provando que é o contrário: perder genes. Tudo começou em 2006, quando os cientistas estudavam o papel de um derivado da vitamina A, o ácido retinóico, no desenvolvimento do embrião humano. Esse ácido determina às células do embrião o que devem fazer para converter-se em um corpo de uma criança recém-nascida. Ele ativa os genes necessários, por exemplo, para formar os braços e pernas, o coração, os olhos e as orelhas.

Os laboratórios estudavam esse ácido usando muitos animais. Até que chegaram no Oikopleura. Ficaram surpresos. Esse animal, de três milímetros, não usa o ácido retinóico, como os demais, para criar o coração, e eles têm coração de uma maneira ainda inexplicável. A comparação que os cientistas fizeram foi: "É como ver um carro sem rodas andando, nesse dia tua percepção das rodas, muda". Eles dizem que há 500 milhões de anos tínhamos a mesma quantidade de genes que o Oikopleura. O bichinho perdeu 30% dos genes desde então. E essa perda enorme foi exitosa. Na batalha da seleção natural o Oikopleura é um grande vencedor. E sua vitória é devida à perda de genes. Sua densidade no mar alcança até 20.000 indivíduos por cada metro cúbico de água. A teoria inteira acaba de ser publicada na revista científica Nature Genetics.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.