A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


24/08/2015 08:23

Como acompanhar seus investimentos: dicas importantes!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Muitas vezes os investidores, após as escolhas e as aplicações iniciais, não sabem como acompanhar suas carteiras, muito menos que atitudes devem tomar em momentos desfavoráveis. Esse processo tem um importante papel para o bom desempenho dos investimentos. Vamos agora explicar como acompanhar seus ativos de forma a ter a melhor rentabilidade possível.

Veja Mais
Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?

Plano: Estudos provam que quem segue um plano sem mudá-lo por impulso atinge seus objetivos de forma mais eficaz. O ideal é que o planejamento só seja ajustado em avaliações anuais ou, pelo menos, semestrais.Caso mude seu plano com muita frequência pode acabar cometendo um grande erro, que é estar sempre na contramão, sempre chegando depois, atrasado, no momento errado. Consequentemente, não obtém a rentabilidade desejada.

Para elaborar um plano devemos pensar em diversos pontos, como: 1) quanto quero ter em recursos de curto prazo, renda fixa ou ações, risco moderado, alto risco e 2) quais os objetivos com o dinheiro.O perfil mais comum do investidor brasileiro é fazer investimentos em um horizonte mais curto. Nesse caso, é preciso ter um cuidado ainda maior, preferindo investimentos com mais liquidez e menos risco.

Periodicidade: Um investidor com plano de médio/longo prazo não precisa acompanhar seus rendimentos de forma tão assídua. Olhar uma vez por mês está mais que bom. Uma avaliação semestral também é adequada. Verificar anualmente é imprescindível.Não é necessário, e pode ser muito ruim, olhar todos os dias ou com muita frequência seus investimentos. Mais que uma vez por mês pode causar ansiedade e nervosismo, o que faz com que o investidor tome atitudes que podem influenciar negativamente seus investimentos.

Um exemplo: se nos depararmos com um dia de queda forte podemos, por impulso, fazer a retirada e encerrar o investimento. Nesse momento, você pode estar jogando fora a chance de obter uma boa rentabilidade: muitas vezes, um dia não interfere no resultado final.O importante é perceber se coisas estão indo conforme o planejado. Se não, aí sim, podemos pensar em mudanças a cada seis meses.

Benchmark (Referência): Ao acompanhar nossos investimentos, devemos sempre compará-los com uma referência, um indicador relacionado a seu tipo de investimento. O CDI, por exemplo, vai servir como forma de comparação para produtos de renda fixa e multimercado. Já o Ibovespa é uma das referências quando se aplica em ações.

Quando comparamos nossas aplicações com o CDI, é preciso ter em mente que é uma variação bruta. Já os produtos têm sempre algum custo ou imposto. Quando o risco é maior, a rentabilidade pode até superar o CDI. Produtos de renda fixa (lista de títulos), no entanto, normalmente vão ficar bem perto ou um pouco abaixo do índice, justamente por causa de custos e taxas.

Rentabilidade: A análise da rentabilidade deve levar em conta o nível de risco e a volatilidade do ativo. Por exemplo, se um fundo tem uma volatilidade de 5%, e caiu 1%, podemos dizer que está tudo bem, ou seja, isso é o esperado para aquele produto.Por isso, precisamos sempre balancear o risco e a volatilidade para tomar decisões. Às vezes, o retorno pode até não ser o que você deseja, mas é o esperado para o perfil daquele investimento.

A revisão semestral é importante neste momento. Um fundo que está em queda há seis meses pode ser motivo de análise para retirada. Quando isso acontece, devemos tentar entender o que mudou. Se algum gestor saiu, se a estrutura está diferente ou se alguma outra coisa explica o rendimento ruim. Pode ser somente reflexo de uma alteração conjuntural do mercado.

Fonte: dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.*Deseja mais informações ou ainda ampliar seus conhecimentos em investimentos. Acesse o site: www.opatriarca.com.br, ou ligue no Tel: (67) 3306-3613 e solicite a visita de um de nossos consultores certificados pela CVM.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen, criador do portal www.mayel.com.br

Analfabetismo financeiro em alta na era da informação
Vamos fazer uma viagem ao passado? Anos 70, que tal? Neil Armstrong chegará à Lua.“Um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade”....
Armadilha das promoções: qual a lógica do “tão barato”?
Semana começando! E essa, em especial, após a “black friday”! E aí? Rolando uma “black ressaca” financeira, ou você conseguiu controlar esses instint...
Não supervalorize coisas
Um experimento social muito famoso, executado em diversos países e no Brasil, relaciona dois grupos de indivíduos: o primeiro grupo ganha um objeto e...
O brasileiro nasce, cresce, põe o nome no Serasa e morre?
A pergunta do título é, na verdade, uma piada (de mau gosto) antiga que circula no Brasil. Com as taxas de juros que praticamos aqui, é muito fácil s...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions