A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

09/11/2015 09:54

Apesar de exportações em queda, milho aumenta negociações em 100%

Caroline Maldonado
Terceiro maior produto na lista dos exportados, milho em grão aumentou exportação em 100% (Foto: Divulgação/Famasul)Terceiro maior produto na lista dos exportados, milho em grão aumentou exportação em 100% (Foto: Divulgação/Famasul)

As exportações de Mato Grosso do Sul continuam em queda. Em setembro, a retração foi de 6,5% e em outubro, as indústrias do Estado exportaram o equivalente a U$ 374,9 milhões, o que representa queda de 1,9% em relação aos U$ 382,6 milhões em produtos exportados no mesmo período de 2014. Apenas os produtores de milho em grão e papel em fribra têm contabilizado aumento expressivo nas negociações com países do exterior. 

Veja Mais
Colheita do milho safrinha termina com recorde de 9 milhões de t
Tempo ajuda e colheita do milho ultrapassa 50% na região norte

De setembro para outubro deste ano, no entanto, foi registrada alta de 9% nas exportações e as importações caíram 4%, de U$ 256 milhões para U$ 246 milhões. Com isso, a balança comercial tem saldo positivo de U$ 128,6 milhões.

Levantamento do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) mostra que entre janeiro e outubro, as exportações já caíram 13,6%. A retração não é maior em função do terceiro maior produto na lista dos exportados, o milho.

As vendas de milho em grão aumentaram 100%, em comparação com o mesmo intervalo de 2014, passando de U$ 162,5 milhões para U$ 325,9 milhões. Na safra 2014/15, o milho atingiu recorde de produção, com 9 milhões de toneladas e produtividade de 88 sacas por hectares, garantindo super safra, conforme a Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de MS). 

O produto que lidera o ranking é a soja, com exportação de U$ 1,2 bilhão, valor que representa alta de apenas 0,73% nas exportações, em relação a janeiro-outubro do ano passado. O segundo produto da lista, pasta química de madeira, diminuiu as vendas externas em 9%, de U$ 897,9 milhões para U$ 816,5 milhões.

As exportações de carnes desossadas de bovino e congeladas caiu 42%, de U$ 505 milhões para U$ 290 milhões. As vedas de açúcar de cana diminuíram 5%, de U$ 296 milhões para U$ 281 milhões.

Pedaços e miudezas de galinha também tiveram queda na exportação, de U$ 264 milhões para U$ 220 milhões, o que significa menos 16,5% e o minério de ferro sofreu retração de 71%, de U$ 427 milhões para U$ 122 milhões.

Empresas – Apesar da retração, as três empresas que mais exportam de Mato Grosso do Sul, se matêm com crescimento no saldo, ainda que tímido. São elas, a Eldorado Brasil, com alta de 2,4%; a ADM do Brasil, com aumento de 11% e a Bunge Alimentos S/A, com alta de 1,7%.

O frigorífico JBS, por sua vez, diminuiu as exportações em 38% no período de janeiro a outubro, na comparação com 2014. O valor exportado passou de U$ 474 milhões para U$ 292 milhões, conforme o Mdic. A Fibria, produtora de celulose, derrubou as vendas em 23%, de U$ 291 milhões para U$ 195 milhões.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions