A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

25/04/2014 12:47

Capital produzirá índices econômicos para atrair investimento de empresários

Luciana Brazil
Prefeito participou da inauguração da nova sede do Corecon. (Foto: Marcelo Vitor)Prefeito participou da inauguração da nova sede do Corecon. (Foto: Marcelo Vitor)

A partir de agosto deste ano começarão a ser divulgados os índices econômicos de Campo Grande que serão utilizados como informação por empreendedores que queiram investir na Capital. O estudo é resultado da parceria pioneira no país entre o Corecon (Conselho Regional de Economia) e a prefeitura - por meio da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Econômico, Ciência e Tecnologia, Turismo e Agronegócio).

Veja Mais
Paralisação dos bancários completa 20 dias sem previsão de término
Entre a novidade e a decadência, quadrilátero é retrato do comércio

O protocolo de cooperação foi assinado hoje (25), durante a inauguração da nova sede do Conselho na Capital. A ferramenta será apresentada, oficialmente, em novembro durante o 10° encontro de economistas do centro-oeste.

A ideia principal, segundo o presidente do Conselho, Jorge Veneza, é reunir todos os indicadores econômicos de Campo Grande e atualizá-los o mais próximo possível da realidade.

“O empresário terá esse instrumento para tomada de decisão em todas as áreas. O objetivo é estimular e dar maior clareza ao empresário que vai investir na Capital. Esse é o primeiro passo e queremos ampliar para os outros municípios”.

O Conselho de Mato Grosso do Sul é o primeiro no país a firmar a parceria com a prefeitura. O levantamento, já realizado em alguns estados, também é novidade na Capital.

Conforme Jorge, tomando a decisão mais rapidamente, o empreendedor vai gerar emprego e movimentar a economia da cidade. “Ele não fará um investimento no escuro, ele terá certeza de retorno com maior tranquilidade”, garante Jorge.

O prefeito Gilmar Olarte (PP) citou a importância da parceria entre a entidade e o Executivo.

"O empresário precisa de número exatos, levantamentos precisos, e o Conselho é o ente mais indicado para fazer esse estudo. Esse Termo deixa claro que o município quer essa parceria. Campo Grande é a bola da vez no Brasil, ela tem tudo para se desenvolver com indústrias e em outras áreas, inclusive com a indústria do turismo, que é um sonho meu, desenvolver a indústria do turismo".

Segundo o titular da Sedesc, Edil Albuquerque, o município não teria condições financeiras de realizar este tipo de levantamento. “O Conselho vai ajudar na prática, nos fornecendo os dados de todas as áreas”.

Conforme Edil, um economista da prefeitura fará o elo entre a Sedesc e Conselho. Também será necessária a criação de sistemas com cruzamento de dados. O secretário aproveitou para frisar o posicionamento da Capital diante do cenário nacional.

“Campo Grande tem saúde financeira porque faz bons projetos e manda para Brasília. Os recursos que vem de Brasília são frutos de uma cidade organizada. Hoje a nossa capacidade empresarial está acima da média nacional. Isso é reflexo desse trabalho. Campo Grande é uma cidade privilegiada que se destaca em alguns indicadores”.

O presidente do Cofecon (Conselho Federal de Economia), Paulo Dantas, fez questão de ressaltar a iniciativa do Estado na fusão entre município e Conselho. "Isso pode despertar o interesse de outros municípios e também despertar ações de outras naturezas", comentou.

Solenidade- Durante a assinatura do Termo, o Conselho inaugurou a Galeria de Homenageados. Entre eles, está o empresário Ueze Zahran, que participou do evento. 

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions