A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

17/08/2015 17:13

Com tempo seco, venda de água mineral cresce 50% nas distribuidoras

Mariana Rodrigues
Claudemir Aires aumentou em 40% as vendas neste mês, para dar conta da demanda ele aumentou a frota para fazer entregas. (Foto: Marcos Ermínio)Claudemir Aires aumentou em 40% as vendas neste mês, para dar conta da demanda ele aumentou a frota para fazer entregas. (Foto: Marcos Ermínio)

Em meio ao calor e estiagem que atinge Campo Grande há cerca de 30 dias, o consumo de água tem aumentado. Em algumas distribuidoras de água mineral, as vendas tiveram um aumento de até 50% em média, com relação aos meses com temperaturas mais amenas, que registraram períodos de chuva como os meses de junho e julho.

Veja Mais
Mecanismo criado por detento economiza água e será analisado por concessionária
Com energia e água mais caras, inflação sobe 0,52% e atinge teto da meta

Na distribuidora Água Mineral Central, o aumento das vendas foi em média 40%, conforme informações do proprietário Claudemir Aires. Para atender a demanda ele teve que reajustar o preço. "Tivemos que subir o preço dos galões em 5%, por conta da matéria prima que subiu". Antes a distribuidora vendia os galões de vinte litros, que são os que mais saem por R$ 7,50 e agora com o reajuste, é comercializado por R$ 8 em média.

Claudemir conta ainda que precisou investir para dar conta da demanda que aumentou. Como antes atendia com dois carros, agora ele precisou comprar mais um veículo para dar conta das entregas que atende a região central e bairros das imediações.

Na Casa D'agua Distribuidora, localizada no bairro Monte Líbano, o aumento de vendas foi de 30% em média, porém o preço dos galões está sendo mantido. "Não é porque o tempo está quente que vamos aumentar o preço", comenta o proprietário Mario Sena Pacchi Campos.

Segundo Mário, só neste mês, ele está vendendo entre 200 a 250 galões de água por dia, devido ao tempo seco. "Diariamente sai mais os galões de 20 litros, isso representa 90% das minhas vendas diárias, os outros 10% são os outros tipos de galões", conta.

Em algumas distribuidoras o aumento foi de até 50%, sendo vendidos cerca de 200 galões por dia. (Foto: Marcos Ermínio)Em algumas distribuidoras o aumento foi de até 50%, sendo vendidos cerca de 200 galões por dia. (Foto: Marcos Ermínio)

Com uma demanda maior, Mario disse que precisou se adaptar aumentando a frota de entrega e horário de funcionamento. "Geralmente estamos fazendo entregas até às 20h, às vezes até às 21h, durante os dias de semana, aos sábado estamos atendendo até às 18h para dar conta de fazer todas as entregas", explica.

No bairro Monte Carlo, a Distribuidora de Água Mineral Oásis, o aumento chegou a 50% com relação aos meses de junho e julho, que registou chuvas e temperaturas mais amenas com relação ao mês de agosto. Mas de acordo com o proprietário, José Eduardo Cescato Theodoro, não há previsão de reajuste no valor dos galões. "Como não ouve aumento de custo, não é pelo aumento de consumo, que vamos aumentar o preço, tendo o produto não temos por que aumentar".

José diz que vende cerca de 60 unidades de galões por dia, que custam entre R$ 9 e R$ 10. O atendimento em sua maioria é para residências da região, mas para dar conta da demanda, ele comenta que procura atender de forma organizada para não deixar de atender nenhum cliente.

Clima - Em Campo Grande não chove há 30 dias, segundo previsão do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), somente na próxima sexta-feira (21) deve chover na Capital. Já conforme informações do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos), a umidade relativa do ar deve continuar baixa, oscilando entre 30% e 50%.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions