A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

24/03/2016 10:42

Com valor da terra nua indicado por municípios, receita cresceu 319%

Montante arrecadado em 2015 ultrapassa a arrecadação com IPI e representa mais da metade do arrecadado com o IPVA em MS

Caroline Maldonado
Arrecadação subiu de R$ 44,8 milhões para R$ 188 milhões, em oito anos (Foto: Marcos Ermínio)Arrecadação subiu de R$ 44,8 milhões para R$ 188 milhões, em oito anos (Foto: Marcos Ermínio)

Entre 2008 e 2015, cresceu 319% o valor arrecadado pelas prefeituras de Mato Grosso do Sul com o ITR (Imposto Territorial Rural), conforme dados da Receita Federal, divulgados pelo Valor Econômico. O aumento é resultado da indicação do VTN (Valor da Terra Nua) pelas prefeituras, que desde 2005 recebem o total da arrecadação do tributo. Os municípios consideram valores maiores do que os apontados pelos proprietários, que acabam caindo na malha fina em função da contradição.

Veja Mais
Para aumentar receita, prefeituras elevam valor de imposto rural
Termina hoje prazo de entrega da declaração do Imposto Territorial Rural

A lista dos municípios que têm esse convênio com a Receita Federal é liderada por MS, que tem todas as 79 cidades inclusas e fez subir de R$ 44,8 milhões para R$ 188 milhões a arrecadação do ITR, nos últimos oito anos.

Nos cálculos do Valor, deflacionada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a alta chega a quase 170%. O montante arrecadado em 2015 é tão alto que ultrapassa a arrecadação total do Estado com o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que foi de R$ 78 milhões e chega a representar mais da metade dos R$ 351 milhões do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), do ano passado.

O convênio entre a Receita e prefeituras foi criado devido a falta de condições do Governo Federal para definir preços de terras e fiscalizar Estados com muitas diferenças no que se refere a produção agropecuária. Alguns municípios utilizam tabela divulgada pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) para informar o VTR à Receita. Especialistas, consultados pelo Valor, destacaram que neste cenário houve uma “subvalorização crônica do preço da terra nua declarada pelos produtores”.

Com valor da terra nua indicado por municípios, receita cresceu 319%

Discussão – Os municípios têm até 30 de julho para informar à Receita os valores das terras. Os produtores estão atentos e esperam mudanças neste ano. Em Ponta Porã, onde proprietários reclamaram de alta de 300% no imposto de 2015, a prefeitura utilizou a tabela do Incra e alegou que não havia prejuízo aos donos de terras. Neste ano, representantes dos produtores devem se reunir com a administração da cidade para discutir o assunto, segundo o presidente do Sindicato Rural, Jean Pierre Paes Martins.

“A prefeitura procurou o sindicato propondo uma reunião para apresentar informações da Receita sobre a declaração e discutir a questão do valor da terra. Com isso, esperamos chegar a uma solução, pois no ano passado pressionamos não só aqui, mas no Estado inteiro”, comentou o presidente da entidade. Segundo ele, a classe planeja criar uma comissão para tratar do assunto em todos os municípios.

Em São Gabriel do Oeste, já acontece o diálogo com a prefeitura, segundo o presidente do Sindicato Rural, Júlio César Bortoline. “Com a arrecadação total para as prefeituras criou-se expectativa de receita grande e os prefeitos esqueceram que o campo está sendo penalizado, mas aqui na cidade temos diálogo com o prefeito. Cada município está fazendo de um jeito diferente”. Segundo Júlio, de 2010 para 2015, o imposto subiu 495% na região.

Conforme o Sindicato Rural de Douradina, os proprietários não tiveram grandes perdas na declaração de 2015. Por lá, há concordância entre a administração e a classe produtora, na avaliação do presidente do Sindicato Rural, Cláudio Fradela. “Temos uma tabela que se enquadra bem no valor de mercado. Ela tem várias classificações e contempla todo mundo. Ninguém reclamou”, disse.

VTN – O Valor da Terra Nua é informado pelas prefeituras à Receita Federal por meio de seis classificações. São elas, lavoura de aptidão boa, lavoura de aptidão irregular, lavoura de aptidão restrita, pastagem plantada, silvicultura ou pastagem natural e preservação da fauna e flora. Cada um desses itens, tem um valor diferente.

Termina hoje prazo de entrega da declaração do Imposto Territorial Rural
Termina hoje (30) o prazo para entrega da declaração do Imposto Territorial Rural (ITR). De acordo com o último balanço, 5.052.993 declarações foram ...
Receita disponibiliza programa para Imposto Territorial Rural
A Receita Federal vai disponibilizar, a partir de 17 de agosto, o programa para preenchimento da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territoria...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions