A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

30/09/2014 13:56

Comércio espera vendas de R$ 167 milhões no Dia das Crianças em MS

Helio de Freitas e Luciana Brazil
casal quer gastar, no máximo, R$ 500. (Foto: Marcelo Calazans)casal quer gastar, no máximo, R$ 500. (Foto: Marcelo Calazans)
Helena gostou da bateria para neta, mas disse que vai amadurecer a ideia da compra. (Foto: Marcelo Calazans)Helena gostou da bateria para neta, mas disse que vai amadurecer a ideia da compra. (Foto: Marcelo Calazans)

O comércio de Mato Grosso do Sul está otimista com o faturamento em vendas para o Dia das Crianças deste ano. A intenção de 80% da população em presentear filhos, netos, sobrinhos e afiliados deve injetar R$ 167 milhões na economia estadual, projeta a Fecomércio (Federação do Comércio de MS). O valor é apenas R$ 4 milhões maior do que no mesmo período do ano passado.

Veja Mais
Lojistas poderão negociar adiantamento de vendas no cartão com mais de um banco
Refrigerante de erva mate e palestra foram novidades em feira de negócios

Pesquisa realizada pela Fecomércio em parceria com a Universidade Uniderp-Anhanguera e Fundação Manoel de Barros revela que preço médio do presente será de R$ 130,00. Cada consumidor deve comprar em média dois presentes.

Em Campo Grande, o comércio deve movimentar em torno de R$ 47,9 milhões em compras e o valor médio do presente deve ficar em R$ 150,00. A pesquisa revela que 80% da população da capital vai presentear as crianças em outubro.

Já em Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, o Dia das Crianças deve movimentar R$ 9,3 milhões em compras. A pesquisa da Fecomércio mostrou que o douradense pretende gastar em média R$ 117,00 no presente e 81% da população deve ir às compras.

Conforme o presidente do Sistema Fecomércio MS, Edison Araújo, o valor a ser gasto em presentes neste ano é pouco superior ao ano passado (foi de R$ 119,00), mas se for levada em conta a correção monetária o a valor permanece muito próximo. Em 2013, o montante de vendas estimado para o mesmo período foi de R$ 163 milhões.

Na avaliação de Edison Araújo, a estabilidade relativa das compras observada na maioria das cidades pesquisadas ocorre pelo comprometimento de parte dos recursos familiares em bens adquiridos ao longo dos dois últimos anos, além de inflação acima da meta e alto preço dos alimentos.

Outro detalhe importante revelado na pesquisa é que 55% dos consumidores vão pagar o presente à vista com dinheiro, outros 6% vão optar pelo cartão de débito e 7% com cartão de crédito. Já o pagamento parcelado pelo cartão de crédito será usado por 17% dos compradores e 11% afirmam que vão dividir a compra no crediário da própria loja.

"A escolha do presente estará condicionada ao preço (32%), à promoção do produto (25%) e ao atendimento da loja (18%). A diminuição do riso de venda está associada à forma de pagamento do comprador. Como usarão cartão, diminui-se o risco e a inadimplência", comenta o pesquisador José Francisco dos Reis Neto.

Onde vai comprar – Em Campo Grande, os entrevistados afirmaram que vão fazer as compras nas lojas do centro (42% das pessoas), lojas do Shopping Campo Grande e Norte Sul Plaza (14% em cada local), camelódromo (13%), lojas de bairros (9%), lojas do Shopping Bosque dos Ipês (2%) e lojas virtuais (1,3%).

Em Dourados, 56% dos entrevistados vão comprar nas lojas do centro, 20% no Shopping Avenida Center, 7% nos supermercados, 4% nas lojas de bairro e 6% vão adquirir os presentes pela internet. Em Corumbá 23% dos consumidores vão às lojas da Bolívia e em Ponta Porã 43% comprarão no Paraguai, dinheiro que deixa de entrar na economia local. "É necessário que os lojistas do lado de cá do país atentem-se para estratégias de venda diferenciadas para atrair esse consumidor", afirma a superintendente do Instituto de Pesquisa Fecomércio (IPF), Regiane Dede.

Ainda de acordo com a pesquisa, os filhos (43%), sobrinhos (21%), netos (13%) e crianças de orfanatos ou creches (4%) serão os presenteados no Dia das Crianças deste ano. Brinquedo será o presente preferido para 48% dos consumidores, 29% vão comprar roupas e 2% calçados e acessórios.

Foram entrevistadas duas mil pessoas entre os dias 15 a 22 de setembro em Campo Grande, Aparecida do Taboado, Aquidauana/Anastácio, Chapadão do Sul, Corumbá/Ladário, Dourados, Naviraí, Paranaíba, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas.

Consumidores- Acostumada a aproveitar as promoções, a dona de casa Helena Laporte, 63 anos, gosta de parcelar a compra, no entanto, sem perder as parcelas de vista. "Sempre aproveito promoções, acho ótimo. Mas quando divido a compra não gosto de parcelar em muitas vezes".

No Dia Das Crianças, o bolso fica comprometido, já que são quatro netos para presentear. "Eu tenho que dar presente para os quatro, e um deles tem 17 anos, o que já é mais difícil para dar presente". Hoje pela manhã, ela pesquisava o preço de uma bateria elétrica para a neta de quatro anos. "Ela gosta e sempre incentivamos presentes musicais. Ainda não sei quanto vou gastar", disse. 

Sobre a bateria, a venda por R$ 469,00, Helena prefere pensar antes da compra. "Vou pensar", disse à vendedora. 

Para agradar as crianças da Aldeia Cachoeirinha, em Miranda, a 201 quilômetros de Campo Grande, o casal Nelson Gonçalves, 43, e Cleize Victor, 22, vão doar vários brinquedos no Dia das Crianças. Eles querem gastar, no máximo R$ 500. Como são muitas crianças, 100, eles pretendem fazer um sorteio para entregar os presentes. "Nem todo mundo vai ganhar porque é muita gente, não temos como dar para todas".

 Na segunda loja que entraram, os dois gostaram do preço. "Aqui está barato. Nós já vamos comprar agora. Não vamos esperar promoção", disse Nelson.

Veja o quanto o comércio espera vender nas cidades pesquisadas:

Campo Grande: R$ 47 milhões
Dourados:
R$ 9,2 milhões

Três Lagoas: R$ 4,8 milhões

Corumbá e Ladário: R$ 4,5 milhões

Ponta Porã: 3,9 milhões:

 

Lojistas poderão negociar adiantamento de vendas no cartão com mais de um banco
Lojistas poderão negociar o adiantamento das vendas a prazo feitas com cartão de crédito com vários bancos. Para isso, o BC (Banco Central) publicou ...
Em queda de 0,5%, dólar comercial fecha cotado a R$ 3,23 nesta terça-feira
Cotado a R$ 3,231 na venda, o dólar comercial fechou a terça-feira (27) em queda de 0,5%. Na véspera, a moeda havia terminado o dia praticamente está...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions