A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

08/01/2016 09:38

Inflação cai em dezembro, mas fecha 2015 em 9,9% em Campo Grande

Energia elétrica, etanol e gasolina são os itens que mais encareceram

Caroline Maldonado
Energia elétrica, que está 35,5% mais cara, foi o item que mais impactou bolso do consumidor em 2015 (Foto: Energia elétrica, que está 35,5% mais cara, foi o item que mais impactou bolso do consumidor em 2015 (Foto:

Em dezembro de 2015, a inflação teve variação menor em relação ao mês anterior, em Campo Grande. No entanto, no acumulado do ano a alta ficou em 9,96%, ou seja, acima do teto da meta, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em novembro, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) subiu 1,29% e no mês seguinte foi elevado em 0,91%.

Veja Mais
Alimentação pesa no bolso e inflação de 2015 fecha em 11,41%
FGV revela o porquê de a inflação de 2015 ser de chorar

Com isso, a cidade tem a sexta menor variação do índice anual, na lista das 13 Capitais pesquisadas pelo instituto. Os itens que mais impactaram o bolso do consumidor em 2015 foram a energia elétrica, que está 35,5% mais cara; o etanol, com alta de 28,7% e a gasolina, com aumento de 10,8%.

Gastos com alimentação e bebidas tiveram alta de 13%. Comer em casa está 14,4% mais caro, enquanto quem se alimenta fora paga 9,6% a mais do que em 2014.

Ranking - O município com a menor inflação é Belo Horizonte, em Minas Gerais, cujo índice teve alta de 9,22% no ano passado. Em seguida, está Vitória, no Espírito Santo, com elevação de 9,45% e a terceira Capital com menor inflação é Brasília, com 9,67%.

A Capital que fechou 2015 com o maior custo de vida é Curitiba, no Paraná, com elevação de 12,58% no índice usado para calcular a inflação. Em seguida, tem-se Fortaleza, no Ceará, com alta de 11,43% e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, cuja variação foi de 11,22%.

Brasil – Em todo o país, o IPCA de dezembro variou 0,96% e ficou 0,05% abaixo da taxa de novembro, que foi de 1,01%. Ainda assim, essa foi a taxa mensal mais alta para o mês de dezembro desde 2002, quando a variação foi de 2,10%. Em dezembro de 2014, a taxa foi de 0,78%.

No ano, o índice acumulou alta de 10,67%, contra 6,41% em 2014, conforme o IBGE. Entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, os dois maiores resultados foram de Alimentação e Bebidas (1,50%) e Transportes (1,36%) que, juntos, constituem 66% do IPCA de dezembro.

FGV revela o porquê de a inflação de 2015 ser de chorar
Alta – Paralelamente à notícia de queda de 21% nas vendas de veículos em 2015, foi divulgada na quarta-feira (6) a inflação no mesmo período na camad...
Com projeção de 10,8%, inflação não chegava a dois dígitos desde 2002
Os consumidores enfrentaram em 2015 um forte aumento dos preços, principalmente os administrados pelo governo, como energia elétrica, gasolina, gás, ...
Inflação deve chegar a 10,8% este ano e a 6,2% em 2016
A inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), este ano vai chegar a dois dígitos e passar longe do teto da meta de 6,...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions