A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

30/09/2014 14:47

Intenção de consumo das famílias tem redução de 10% em doze meses

Priscilla Peres
Queda na intenção do consumo se reflete no comércio da Capital. (Foto: Marcelo Victor)Queda na intenção do consumo se reflete no comércio da Capital. (Foto: Marcelo Victor)

A Intenção de Consumo das Famílias de Campo Grande caiu 10% no último ano, passando de 135,9 em setembro de 2013 para 121,9 no mesmo mês de 2014. Conforme o relatório de ICF de setembro a queda é maior para a categoria que abrange a população com renda acima de 10 salários mínimos e chega a 24% enquanto que para quem recebe até 10 salários mínimos, a redução no período é de 8%.

Veja Mais
Prefeitos vão a Brasília para cobrar liberação de recursos federais
Greve dos bancários completa 24 dias e já é a maior dos últimos 11 anos

Apesar da queda acentuada da intenção de consumo entre as famílias com renda superior a 10 salário mínimos, a categoria apresenta níveis maiores que a outra. Em setembro de 2013 o índice era de 159 um ano depois é de 127,8, enquanto que para renda menor de 10 salários o nível em setembro deste ano é de 120,7.

De acordo com a superintendente do IPF (Instituto de Pesquisa da Fecomércio MS), Regiane Dede, em períodos sazonais como janeiro o índice cai para as duas categorias. "A queda não é exatamente proporcional, mas é significativa. Porém para quem ganha mais de 10 salários sempre o consumo vai estar mais alto", explica.

Em relação a renda familiar, a categoria de até 10 sm 60% diz ter melhorado 60% e piorado 17,3%, enquanto que para quem recebe mais de 10 sm o índice melhorou para 65,6% e piorou para 17,7%. Quanto ao consumo, 47,9% da categoria mais de 10 sm, afirma estar comprando mais enquanto que para quem recebe até 10 sm, 36,3% dizem que aumentaram as compras.

Regiane destaca que o relatório mostra o comportamento do consumidor e isso é importante para os empresários. "Muitas vezes as empresas tem a percepção de que o comércio não vendeu bem e comprova esse desempenho com o relatório. No geral o consumidor não esta propenso a comprar em nenhuma categoria", destaca a economista.

Prefeitos vão a Brasília para cobrar liberação de recursos federais
O repasse do FEX (Fundo de Auxílio aos Estados e Municípios Exportadores) ainda não foi feito em 2016 pelo Governo Federal e as prefeituras de Mato G...
Bancos repetem proposta de reajuste de 7% e negociação prossegue
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) e o Comando Nacional dos Bancários retomaram a 9ª rodada de negociações nesta quarta-feira (28) em São Paul...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions