A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 29 de Setembro de 2016

07/06/2016 16:45

Mamão fica quase 30% mais barato com ajuda do clima na região Sul

Mariana Castelar
Preço do melão teve queda de 16,67% em quatro dias, conforme boletim da Ceasa-MS  (Foto: Alcides Neto)Preço do melão teve queda de 16,67% em quatro dias, conforme boletim da Ceasa-MS (Foto: Alcides Neto)

Apesar da chuva e da instabilidade climática dos últimos dias, várias frutas ficaram mais baratas. De acordo com boletim da Ceasa-MS (Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul), o preço do mamão papaya, por exemplo, teve queda de 28,57% nos últimos quatro dias.

Veja Mais
Governo prepara licitação da Ceasa para atender produtores de 40 cidades
Governo do Estado recebe escritura de área onde será construído novo Ceasa

Com exceção do tomate que subiu 10%, os produtos pesquisados tiveram queda ou estão com os mesmos preços da semana passada. Além do mamão, o melão e o jiló ficaram mais baratos, se comparado com a última pesquisa realizada pela Central, no dia 03 deste mês, e caíram 16,67% e 14,29%, respectivamente.

O motivo desta boa notícia para o consumidor, segundo o diretor de mercado da Ceasa-MS, Cristiano Chaves é a estiagem que ocorreu na Região Sul do país, local em que a maior parte dos produtos são comprados. “Não houve tanta chuva, com isso foi possível fazer carregamento e ter demanda no mercado”.

Por este motivo, o consumidor pode comprar o mamão formosa 12,50% mais barato, e a uva até 11,11%. A vagem, o quiabo e o repolho também tiveram quedas nos preços e é possível encontrar diferença de até R$ 1,50.

Apesar da queda, a expectativa de Chaves é de que o percentual poderia ter sido maior. No entanto, além do clima, que reflete quase que em tempo real no valor repassado para o consumidor, plantar está mais caro, em relação ao ano passado. “O valor do adubo, semente, insumo é tudo cotado em dólar. Antes, o produtor até conseguia absorver este custo, agora ele acaba tendo que repassar para o consumidor”.

O diretor de mercado da Ceasa reforça que estes preços podem aumentar, caso a chuva não dê uma trégua. “Os fatores climáticos refletem imediatamente no campo, por isso, se continuar chovendo, os produtos terão seus produtos reajustados”.

O quilo da uva também teve queda e é possível encontrar por R$ 6O quilo da uva também teve queda e é possível encontrar por R$ 6
Governo do Estado recebe escritura de área onde será construído novo Ceasa
A escritura do terreno onde o Governo do Estado construirá o Ceasa (Central de Abastecimento de Hortifrutigranjeiros) de Dourados - cidade localizada...
Homens armados roubam mulher de 54 anos dentro do Ceasa
Uma mulher de 54 anos foi roubada por dois homens, um deles armado, por volta das 4h de hoje (11), no Ceasa (Central de Abastecimento de MS), no Conj...



hahaha Melão sendo chamado mamão, pode isso redação?
 
alessandra lima em 08/06/2016 09:28:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions