A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 26 de Setembro de 2016

25/01/2016 13:13

Marinha marca para a próxima quarta-feira reabertura da Hidrovia Tietê-Paraná

Caroline Maldonado
Operação da hidrovia com capacidade máxima depende de estabilização em nível da água (Foto: A Tribuna)Operação da hidrovia com capacidade máxima depende de estabilização em nível da água (Foto: A Tribuna)

Depois de um ano e oito meses interditada, a hidrovia Tietê-Paraná será reaberta na próxima quarta-feira (27), segundo a Marinha do Brasil. Anteriormente, o DH (Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo) informou que o procedimento estava previsto para fevereiro, porém a Marinha garantiu a reativação nesta semana. 

Veja Mais
Navegação na Tietê-Paraná volta em fevereiro, se a chuva colaborar
Hidrovia Tietê-Paraná, que passa por MS, já dá prejuízo de R$ 30 milhões

Deve ser reaberto a partir das 10h o trecho do Rio Tietê, entre o Km 99,5 do reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava, no Município de Buritama, em São Paulo. A data ficou definida em função das informações sobre os níveis dos reservatórios divulgadas pelo ONS (Operador do Nacional Sistema Elétrico) e pelo Departamento Hidroviário.

Após desinterditado o trecho na sede da Capitania Fluvial do Tietê-Paraná, em Barra Bonita-SP, na quinta-feira (21), foi realizada reunião com representantes do DH, das concessionárias das usinas AES TIETÊ e TIJOÁ, do SINDASP (Sindicato de Armadores de Navegação Fluvial do Estado de São Paulo), do SINDFLUPE (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Fluviais no Estado de São Paulo), de empresas de transporte comercial de carga, de comandantes de embarcações, entre outros atores que atuam na hidrovia.

Segundo o Comando do 8º Distrito Naval da Marinha, na reunião foram abordados “aspectos relevantes para a segurança da navegação, salvaguarda da vida humana e prevenção da poluição hídrica, com ênfase para a importância do cumprimento do preconizado nas NORMAM (Normas da Autoridade Marítima), da DPC (Diretoria de Portos e Costas) e nas NPCF (Normas e Procedimentos da Capitania Fluvial) do Tietê-Paraná”.

Na semana passada, o DH ponderou que, apesar das chuvas das últimas semanas, que permitiram alcançar a cota de 326,60 metros na reserva de Três Irmãos, a reativação da navegação está condicionada a estabilização da cota em 325,40 metros. Caso o nível se mantenha, a hidrovia poderá operar com plena capacidade, segundo o departamento que pertence a Secretaria de Logística e Transportes de São Paulo.

Hoje (25), o DH informou que não foi informado oficialmente sobre a previsão da Marinha, mas admitiu que cabe a ela a decisão para reabertura da hidrovia. 

Seca  - A navegação foi suspensa pela Marinha, em maio de 2014, no trecho entre o km 99,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa de Nova Avanhandava, em função do baixo nível de água. No entanto, já havia restrições no trecho, desde fevereiro de 2014, por causa do uso da água para a geração de energia. A falta de chuvas agravou a situação e com a hidrovia fechada há cerca de um ano e oito meses, rodovias estão sobrecarregadas.

Mato Grosso do Sul já deixou de trasportar mais de 4 milhões de toneladas pela hidrovia, bloqueada em função da estiagem e do uso de reservas de água para geração de energia.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions