A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 01 de Outubro de 2016

19/05/2016 16:22

Para negociar caminhonete, garagista aceita até troca por gado ou moto

Renata Volpe Haddad
Estacionada há uma semana na Calógeras, dono de camionete aceita até gado na troca.  (Foto: Pedro Peralta)Estacionada há uma semana na Calógeras, dono de camionete aceita até gado na troca. (Foto: Pedro Peralta)

Devido a crise financeira, Luiz Fernandes, 51, largou tudo em Aquidauana, distante 135 km de Campo Grande, para conseguir vender uma camionete em Campo Grande. Para negociar o veículo ele aceita "qualquer negócio". Além da venda, a troca também é uma opção e pode ser por outro carro, moto ou até cabeças de gado.

Veja Mais
Delcídio diz que Dilma acreditava que crise política não chegaria a ela
5 ações para manter o orçamento em dia na crise

Fernandes é garagista e alega que os negócios no interior estão muito fracos, por isso, resolveu tentar a sorte em Campo Grande. "Eu peguei o veículo em uma troca e hoje com a crise econômica que estamos vivendo, se a gente não souber negociar não vive. Para os garagistas, a palavra da vez é troca", afirma. 

A camionete está estacionada há uma semana na avenida Calógeras e já tem proposta. "Mas é para trocar por outra camionete. Eu estou vendendo bem abaixo do valor de mercado, pois ela vale R$ 40 mil e eu quero R$ 30 mil".

Luiz mostra a camionete por dentro. (Foto: Pedro Peralta)Luiz mostra a camionete por dentro. (Foto: Pedro Peralta)

O garagista conta que aceita trocar por carro, moto e até gado, se o cliente quiser. "Se a pessoa chegar aqui com as três opções eu troco também. O gado é bom porque é mais fácil de negociar, mas tem que ser animal bonito, não adianta ser de qualidade ruim porque aí não consigo vender", enfatiza.

O ano do veículo é 1998/99 e por isso não aceita financiamento. "Mas se a pessoa pagar à vista eu consigo tirar R$ 2 mil do preço e encaro qualquer negócio. É uma camionete conservada e com um motor que dura muito ainda".

E enquanto não conseguir vender, Luiz afirma que não vai embora da Capital. "Eu estou na casa de amigos, no domingo vou até o feirão da rua Maracaju e estou fazendo o possível para vender, porque as contas estão chegando". 

Os interessados em falar com Luiz Fernandes podem entrar em contato pelo telefone (67) 9974-0323.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions