A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 28 de Setembro de 2016

08/06/2016 10:41

Reinaldo se reúne com Janot e pede liberação de R$ 78 mi do Banco Rural

Priscilla Peres e Leonardo Rocha
Unidade do banco em Campo Grande fechou as portas em 2013. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Unidade do banco em Campo Grande fechou as portas em 2013. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)
Reinaldo detalhou hoje a reunião com o procurador-geral Rodrigo Janot, que aconteceu ontem. (Foto: Fernando Antunes)Reinaldo detalhou hoje a reunião com o procurador-geral Rodrigo Janot, que aconteceu ontem. (Foto: Fernando Antunes)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) tenta liberar ainda este ano, R$ 78,8 milhões pertencentes ao governo estadual que estão bloqueados no Banco Rural, desde sua liquidação em agosto de 2013.

Veja Mais
Banco Central manda investigar contas da Prefeitura no Banco Rural
MP vai investigar o que foi feito com R$ 78 milhões depositados no Banco Rural

Ontem, Reinaldo se reuniu com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot em Brasília para pedir a liberação do recurso, que há três anos está bloqueado e em processo judicial, já que a União também requer o montante.

Recentemente, segundo o governador, houve uma decisão favorável na justiça para a liberação. "Porém, o Banco Central e a União recorreram ao Supremo Tribunal Federal e agora cabe ao Janot dar o parecer sobre esse assunto", afirmou.

Ele afirma que a reunião foi positiva a espera, em breve, um parecer do procurados-geral. Para Azambuja, os recursos bloqueados são "um bem público de MS e que deve ser liberado para ser investido no Estado".

O governo do Estado movimentava a conta no Banco Rural há 20 anos, quando em 2013 foi dada a liquidação da instituição, ou seja, a falência já que não havia mais recursos disponíveis para continuar atuando ou se recuperar da crise.

Desenrolar - Em setembro de 2015, o MPE/MS (Ministério Público Estadual) instaurou inquérito para investigar o que foi feito com os R$ 78,8 milhões do governo do Estado, que estavam depositados em conta do Banco Rural em 2013, quando foi decretada sua falência.

O inquérito civil é da 30ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e encabeçada pelo promotor Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions