A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Setembro de 2016

21/06/2015 11:47

Sem perceber, cliente paga juros altos em crediário e prejudica o orçamento

Renata Volpe Haddad
Parcelamentos são atrativos para consumidores, mas os juros são altos. (Foto: Marcos Ermínio)Parcelamentos são atrativos para consumidores, mas os juros são altos. (Foto: Marcos Ermínio)

As opções de parcelamento são um atrativo para os consumidores, mas comprar no crediário ou cartão das lojas pode gerar juros de até 6,9% ao mês ou 122,71% por ano, isso se o consumidor decidir parcelar as compras em até 8 vezes sem entrada. Dependendo do valor total da compra, com os juros, é possível adquirir outro produto.

Veja Mais
Movimento aumenta e lojas esperam vender 25% mais este ano
Megaliquidação atrai consumidores 13 horas antes da abertura de lojas

Por exemplo, se o consumidor decidir parcelar uma compra de R$ 200 em 8 vezes no crediário de uma loja que cobra 5,99% de juros por mês. A parcela será de R$ 32,19 e o total da compra sai por R$ 257,56.

Já se os juros cobrados chegam a 6,99% ao mês. Fazendo uma compra também de R$ 200, a parcela será de R$ 33,48 e no final, o valor dos produtos custariam R$ 267,84.

Nas lojas pesquisadas pela reportagem, se comprar até 5 vezes sem juros, não há juros. E quanto maior o prazo para começar a pagar, maior são os juros. De acordo com o economista Sérgio Bastos, o ideal é sempre fazer economia para poder comprar à vista, mas não é o que acontece. “Muitas vezes as pessoas precisam do item e acabam comprando comprando no crediário, que compromete bastante a renda”, explica.

Ana Maria evita comprar no crediário, mas afirma que mesmo comprando no cartão de crédito, paga juros altos. (Foto: Marcelo Calazans)Ana Maria evita comprar no crediário, mas afirma que mesmo comprando no cartão de crédito, paga juros altos. (Foto: Marcelo Calazans)

Consumidores – Apesar de saberem que estão pagando juros altos, os consumidores acabam comprando, por não verem outra alternativa de pagar. Atualmente, a técnica de enfermagem, Ana Maria Gonçalves Bonatto, 43, comenta que evita comprar no crediário, mas usa o cartão de crédito. “Já comprei muito nos crediários e cartões das lojas e vi que os juros eram altos e resolvi parar. A dívida que eu faço é no cartão de crédito no máximo para 30 dias, e se eu atrasar, vou pagar duas vezes pela mesma coisa”, afirma.

A empregada doméstica Marilza Santos Ferreira, 37, fala que sabe que paga duas vezes pela mesmo produto. “Eu compro com frequência na loja de departamento Renner que é crediário, mas eu evito parcelas longas, pois os juros são maiores. Não tenho cartão de crédito porque acho que é uma bola de neve também”, conta.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions