A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 30 de Setembro de 2016

17/04/2016 16:00

Trabalhadores aproveitam votação e viram ambulantes por um dia

Renata Volpe, Guilherme Henri e Mariana Castelar
Para garantir dinheiro extra, o mecânico Rogério Rojas está na Afonso Pena vendendo água, refrigerante e cerveja. (Foto: Fernando Antunes)Para garantir dinheiro extra, o mecânico Rogério Rojas está na Afonso Pena vendendo água, refrigerante e cerveja. (Foto: Fernando Antunes)

Aproveitando a votação do impeachment que acontece neste domingo (17) na Câmara dos Deputados, trabalhadores aproveitam a concentração de pessoas nas praças e avenidas de Campo Grande e se tornam ambulantes por um dia para garantir uma renda extra.

Veja Mais
Ex-governador Puccinelli acompanha sessão de impeachment em Brasília
Com sol escaldante, sombra é alívio para quem acompanha a votação

O mecânico Rogério Rojas, 31, aproveitou que aproximadamente 100 pessoas acompanham por um telão a votação em frente ao MPF (Ministério Público Federal), localizado na avenida Afonso Pena, e está vendendo água, cerveja e refrigerante.

"Como eu sabia que hoje teria muito movimento nas avenidas, aproveitei para ganhar um dinheiro extra e para vender líquidos, já que hoje está bem quente", conta ele.

O trabalhador espera que até o fim do dia, o movimento fique maior e venda mais. Os produtos variam de R$ 2,50 a R$ 6, que é o copão de cerveja.

A aposentada Marlei Vieira, 57, também está em frente ao MPF vendendo bebidas. Ela conta que pegou um isopor em casa, comprou água, refrigerante, cerveja e água de coco para tentar complementar a renda do mês.

"Eu acho que volto com o isopor vazio para casa. Com esse sol, o que eu vendo mais é água", alega.

Ambulantes venderam até a manhã deste domingo (17) 30 bandeiras. (Foto: Alan Nantes)Ambulantes venderam até a manhã deste domingo (17) 30 bandeiras. (Foto: Alan Nantes)

Bandeiras – E não é apenas a venda de bebidas que garante dinheiro extra para os trabalhadores de Campo Grande, mas também a venda de bandeiras, chapéus do Brasil, apitos, produtos que estavam no estoque, desde a Copa do Mundo.

Exemplo disso é o vendedor de roupas, Rommennigue Batista. Neste domingo, ele resolveu sair de casa para vender bandeiras do Brasil na praça do Rádio Clube, região central.

"É a primeira vez que saio para vender assim e já consegui comercializar 10 bandeiras, acho que o movimento está muito bom, e dependendo, vendo mais barato o produto, já que ele estava estocado em casa", comenta.

Edval José Antônio, está na avenida Afonso Pena, esquina com rua José Antônio, mas na rua desde às 7h deste domingo vendendo bandeiras. "Estava na Ceará com a Mato Grosso e fiquei até 12h, vendi 30 bandeiras no custo de R$ 15 cada e espero vender mais 30 até o fim do dia, aqui na Afonso Pena", afirma.

Achando o movimento fraco na Afonso Pena com Pedro Celestino, os irmãos Gabriel Vieira e Thaynara Vieira, venderam 30 bandeiras nesta manhã.

"Ontem vendemos 60 bandeiras e estamos indo para o Parque das Nações para ver se conseguimos lucrar mais", informa.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions