A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

16/07/2013 07:01

Rádio Clube ganha bar do motociclista, loft do universo masculino e da blogueira

Paula Maciulevicius
A fachada, tombada como patrimônio cultural será no máximo revitalizada, mas choperia, restaurante e salão vão ganhar cara nova e criativa. (Fotos: Cleber Gellio)A fachada, tombada como patrimônio cultural será no máximo revitalizada, mas choperia, restaurante e salão vão ganhar cara nova e criativa. (Fotos: Cleber Gellio)

Este ano a mostra de arquitetura Morar Mais por Menos vai trabalhar projetos de restaurantes, choperia e salões de festa, mas sem deixar os cômodos de uma casa de lado. O cenário da arquitetura, decoração e paisagismo é o Rádio Clube cidade, tradicional em Campo Grande, com quase 90 anos de história. A edição 2013 vai trazer o bar do motociclista, criado pelo arquiteto Luis Pedro Scalise e o restaurante "Era Uma Vez", operacionalizado pela rotisseria La Buona Cucina. Além de lofts com os temas "Universo Masculino" e o "Apartamento da Blogueira".

Veja Mais
Traços da nossa arquitetura, desde o “Gabinete Téchnico de Desenho" na Calógeras
Casa de madeira mantém as lembranças de 92 anos de dona Nazira na 14 de Julho

Dos 3,3 mil metros quadrados que foram divididos em 53 ambientes, a área do Rádio Clube destinada à mostra é da piscina para baixo, que engloba salas de aula de dança, parte administrativa, salão de festa, restaurante e choperia. Do total, cerca de 1,8 mil metros será voltado para criação de salas de estar, jantar, quartos e lofts. O restante, é aproveitar a estrutura da lazer oferecida pelo clube e deixar benfeitorias ao prédio.

Os 53 ambientes começam a ser comercializados hoje para arquitetos e empresas parceiras. No entanto, 30% do espaço já está reservado. A diretora-executiva da mostra, Iara Diniz, explica que o projeto inicialmente feito atende às necessidades do próprio clube. "Fizemos uma planta para eles e em cima dela vamos nos adequando", diz. As intervenções estruturais vão ficar como benfeitorias quando a mostra chegar ao fim.

Há tempos que o prédio não passava por uma reforma, logo, tudo é muito antigo. As divisórias da parte administrativa vão dar lugar à paredes e onde sócios viam lutas de judô ou passos de ballet, serão as salas dos sonhos de muita gente. Cada espaço depende da criatividade do arquiteto e como eles ainda não estão todos vendidos, o Lado B antecipa o 'geral' da mostra. É que só a partir do dia 19 de agosto é que a mostra vai ganhando a cara de quem vai expor o trabalho, quando as obras das empresas parceiras começam.

Há tempos que o prédio não passava por uma reforma, logo, tudo é muito antigo. Ao fim da mostra, benfeitorias vão ficar ao Rádio Clube. Há tempos que o prédio não passava por uma reforma, logo, tudo é muito antigo. Ao fim da mostra, benfeitorias vão ficar ao Rádio Clube.

O salão de festa será dividido entre quatro ou cinco camarotes na lateral da área, serão áreas individuais, como se vê na casa noturna sertaneja Valley. O palco ficará a cargo do Sesc que vai preencher de cultura o que tanto precisa ser revitalizado. O bar vai funcionar na parte debaixo de onde é o restaurante e em cima será o "Era Uma Vez".

A fachada, tombada como patrimônio cultural será no máximo revitalizada, sem mudar as características iniciais de um clube que viveu a época de ouro em Campo Grande. As salas de reuniões e da Presidência vão ser homenagens aos nomes que fizeram história na Capital e também no Rádio Clube. A área da piscina, cerca de 600 metros quadrados será revitalizada por completo.

A repercussão expressiva da edição passada, realizada em dois imóveis na rua Da Paz, no Jardim dos Estados, fez com que a mostra dessa vez ganhasse patrocínio nacional da Lorenzetti, Caixa Econômica Federal, Eucaflor e dos Correios.

Para relembrar os bons tempos de Rádio Clube, um baile de máscaras abre a mostra, no dia 6 de novembro. "O público só tem a ganhar, escolhemos o local para levar um público específico, incentivar e revitalizar, para que o clube viva de novo", comenta Iara Diniz.

A mostra será aberta no dia 7 de novembro e irá até 15 de dezembro, no prédio do cruzamento das ruas Padre João Crippa com a Barão do Rio Branco. O valor da entrada é de R$ 20.

Morar Mais por Menos - Será a segunda edição da mostra que trabalha os conceitos sustentabilidade, inclusão social, brasilidade, customização, vendas, tecnologia e inovação e a expectativa é atrair, pelo menos, 40 mil pessoas. A mostra tem a ideia de apresentar ambientes bem projetados, com beleza, estilo, alma, mas por um valor acessível, com alternativas mais baratas ou menos agressivas ao meio ambiente, pregando uma decoração viável, com itens de valor menor, apesar de elaborada e criativa. Informações de valores e datas da comercialização de espaços, podem ser obtidas pelo telefone 3028-4377.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.