A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

02/01/2015 06:45

Há 5 anos, aves têm endereço na Vila Alba, com direito a casa na árvore e comida

Aline Araújo
(Foto: Marcos Ermínio)(Foto: Marcos Ermínio)
(Foto: Marcos Ermínio)(Foto: Marcos Ermínio)

Não tem como não chamar atenção. Os passarinhos vão chegando e se aglomerando para comer os farelos de arroz e de milho, enquanto Rubens Camargo, 73, e a esposa Atrea Camargo, de 71, ficam sentados na frente de casa observando os pássaros comerem. A cena virou rotina há cinco anos na Vila Alba.

Veja Mais
Astrologia védica mostra o futuro, mas também ensina a aceitar o destino
Como mágica, o amor encontrou o palhaço e romance vive liberdade em belas fotos

E não é só pombinha que passa por lá, são várias espécies de passarinhos, os xodós do casal, desse jeito livre, indo e vindo, voando quando os carros passam e voltando para o asfalto para continuar a comer.

Os dois adoram aves, fizeram até casinha para elas na árvore em frente de casa. Por dia, jogam mais de três quilos de arroz para alimentar os pássaros. “Tem época que as frutas diminuem, eles ficam sem alimento, então a gente não tem dó de gastar”, comenta Rubens.

Tem joão de barro que rouba comida na cozinha e passarinho que se machuca e fica na caixa até se recuperar para voltar à natureza, o amor que o casala tem pelos passarinhos está por toda a casa. Do bebedor para o beija-flor, ao suporte para comida no alto da casa.

Endereço certo dos pássaros no fim da tarde da Vila Alba. (Foto: Marcos Ermínio)Endereço certo dos pássaros no fim da tarde da Vila Alba. (Foto: Marcos Ermínio)

A retribuição vem cedinho. “Nós acordamos com a serenata dos pássaros e adoramos”, conta Atrea.

Casamos há 58 anos , com quatro filhos, o amor pelas aves veio do tempo que seu Rubens morou em Santa Catarina. “Lá é comum as pessoas alimentarem os pássaros na janela”, lembra.

O costume aqui começou quando a esposa colocou farelos de pão sobre o muro. Ai, começou a tradição.

Agora, em dias de sol, no entardecer, os dois levam as cadeiras para frente da casa azul na esquina da avenida Madri com Rua Berilo. Colocam comida para os passarinhos, sentam e ficam em silêncio para observar todos chegarem e fazerem a festa por ali.

“Acho que eu tenho um espirito forte, porque eles gostam de mim!”, brinca Rubens




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.