A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

16/09/2011 08:00

Escola invicta entre melhores no Enem diz que aprovação não é só para ricos

Ângela Kempfer
Fotos: João Garrigó)Fotos: João Garrigó)

De cinco turmas avaliadas anualmente pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), por 3 vezes a escola Bionatus ficou entre as 20 melhores do País. O colégio de “gente rica” (definição contestada pela direção) faz tudo, sem deixar para a família responsabilidades como tarefa de casa ou o estudo extra.

O título de primeiro lugar dentre todas em Mato Grosso do Sul em apenas 6 anos de existência empolga, mas já nem tanto. A escola prefere falar que é a melhor entre todas as das regiões Centro-Oeste, Norte e agora até do Sul.

Entender o título, que por anos consecutivos é conquistado, levou o Lado B à escola, localizada no Jardim dos Estados, bairro nobre de Campo Grande. Famosa não pelo Enem, mas por ter uma das mensalidades mais caras da cidade, o conceito que faz a diferença no Bionatus, na avaliação dos coordenadores, é o ritmo de estudo.

Os alunos ficam o dia todo no colégio, não param nem aos feriados e têm apenas três semanas de folga ao ano, já contando com as férias de julho. “Mas saem daqui e não têm mais nada para fazer em casa, só descansar”, argumenta a coordenadora Roseli Camargo.

“Mesmo quem não tem o perfil, entra aqui sem querer estudar, acaba pegando o ritmo gradativamente, empurrados pelos colegas”, avalia.

O custo é R$ 1,2 mil por mês, valor considerado justo pela escola, que tem 9 dos 20 professores exclusivos e garante dispensar a necessidade de qualquer cursinho ou custo extra para os alunos. “Não é uma escola de ricos. É uma escola para quem quer investir na educação e prioriza isso”, justifica a diretora pedagógica, Maristela Franco.

À questão sobre preparar para o vestibular sem o incentivo as vocações de cada um, Maristela responde com outra pergunta: “Mas o que é preparar para a vida? Não é ensinar responsabilidade, disciplina?”.

O modelo traz alunos de Chapadão do Sul, Corumbá, Rondonópolis (MT) e interior do Paraná.

A rigidez começa na hora de entrada, apesar de o uniforme admitir até bermuda e chinelo de dedos. Quem se atrasa por minutos perde toda a primeira disciplina do dia, com o agravante de que o tempo de aula dura uma hora e meia, quase o dobro das escolas convencionais, que é de 50 minutos.

“Quanto sai da minha antiga escola e vim para cá, os amigos falavam que eu era louco, mas não é tudo isso que eles falam não”, diz Felipe Gomes, de 17 anos.

Cabine de estudos, até às 21 horas para os mais estudiosos. Cabine de estudos, até às 21 horas para os mais estudiosos.

No período da tarde, a presença é obrigatória, com a disciplina de Redação como carro chefe. A matéria de maior peso nos vestibulares e no Enem é também a maior preocupação na hora de emplacar estudantes nas melhores universidades do Brasil, como a USP.

Para ensinar a escrever bem, há reforço em conteúdos como interpretação de textos, raciocínio lógico e a implantação de disciplinas como Geopolítica e Atualidades do Enem.

A cada 15 dias, um simulado é feito aos sábados, e também compõe a nota bimestral.

A escola, onde a disciplina é comparada pela própria direção com a militar, também produz diferenciação de acordo com o desempenho. As turmas são divididas em A, B e C, com a pontuação dos alunos estampada já na entrada do prédio. Os piores vão para a C, mas a ascensão pode ser rápida.

“Fiquei duas semanas na C porque faltei ao simulado e minha nota geral caiu, mas agora já estou na A de novo”, explica Gilber Gouveia, de 17 anos.

Na sala dele, 80% pensavam em fazer Medicina quando entraram no Bionatus. No terceiro ano é assim, ou ser médico, talvez engenheiro, ou advogado. É como se fosse um desperdício estudar tanto para fazer um curso menos concorrido, como “Moda”, cutuca Gilber.

Beatriz Rache, também de 17, é uma das exceções, decidiu por Relações Internacionais ou Economia. “É o que eu quero, ao contrário da maioria”, diz.

Sobre a pressão pelo rendimento, o coordenador Jamal Aparecido dos Santos assegura que há limites. “A cobrança parte muito deles mesmo, mas quando vemos que os pais estão cobrando demais a gente logo avisa que o aluno está fazendo o máximo que pode, que é para ter calma”.

Na sala do terceiro ano A, as notas mostram um desempenho incrível. Com 97 pontos na redação, 93% das questões das provas respondidas corretamente.

Sala de aulas tem em média 50 alunos no 3º ano.Sala de aulas tem em média 50 alunos no 3º ano.

Na conversa com os professores uma palavra atiça a curiosidade. Fora do horário de aulas, os meninos estudam em “cabines”. Com a fama de rigidez, logo se imagina os estudantes fechados em minúsculos espaços, como de centrais telefônicas, cheios de livros.

A previsão quase se confirma. Na verdade, são cabines como as de biblioteca, individuais, pequenas, onde os alunos se revezam sobre as apostilas, elaboradas pela própria escola. Alguns com fones nos ouvidos.

Os mais aplicados podem ficar até as 21 horas no local, sem incomôdo, mas também sem conversinhas ou passeio pelo pátio.

“Agora estamos construindo uma sede própria e os planos são ampliar para o Ensino Fundamental. Percebemos que muitos chegam sem a base e queremos mudar isso”, comenta o coordenador Jamal.

O conceito não é uma coincidência com o terceiro colocado no Exame no Estado, o Colégio Militar. As duas escolas estão no topo do ranking quando analisada a melhor pontuação. O Bionatus teve 718,25 pontos e o Colégio Militar 700,99. O segundo colocado em Mato Grosso do Sul foi o Colégio Alexander Fleming, com 717 pontos.




Quantos comentarios sem fundamentos, o problema do Brasil e o contexto social da população impulsionado obviamente pelo economico, o colegio bionatos poderia vir a ser publico com a mesma estrutura e professores que la esta hoje, mas ser frequentado por alunos de "classe baixa", que come mal, dorme mal, nada iria adinatar, quem esta la e pq tem tudo a seu dispor, melhores comidas, viajem, carro ...
 
patricia mara em 10/11/2011 02:12:32
Andrea Azevedo, observe os índices antes de falar alguma besteira! O Alexander Flemimg não possui nem a metade de alunos participantes do Enem. É fácil uma escola escolher a nata do estabelecimento para fazer a prova. Já o Bionatus foram 153 participantes tem um média de jus ao meio brasileiro! Orgulho de estudar no Bionatus, colégio de exelência que vem recebendo seus resultados!
 
Igor Henrique Nunes Assis em 21/09/2011 10:52:31
Parabens, não ao Bionatus, mas aos seus alunos, pois o colégio foi criado para atender à demanda de bons alunos que pensam no futuro, e dão valor em cada real que seus pais investem, estudando com afinco. Pois existem varios colegios particulares que se empenham em dar um bom ensino mas estão infestados de alunos indisciplinados, baderneiros e descomprometidos e jogam o dinheiro dos pais no lixo!
 
Tadia Evelyn em 19/09/2011 10:00:16
Pena, que o ensino de qualidade ainda é para poucos, no país em que vivemos, quantos pais gostaria com certeza de fazer este tipo de investimento em seus filhos, mas 1200,00 reais realmente é apenas para a parcela da sociedade mais abastada.
 
Alexandro Pastick de Carvalo em 19/09/2011 05:52:25
É muito bom esses comentários em que vemos a rela face do povo campograndense.
 
Juarez de Souza em 18/09/2011 05:40:31
Parabéns a toda equipe do Bionatus e aos seus alunos, parabéns aos pais que tem condiçoes financeiras para pagar e vêem na escola uma oportunidade melhor aos seus filhos, MAS Parabéns também aqueles pais que mesmo sem ter as condições financeiras dos primeiros, matriculam seus filhos em escolas públicas e os cobram diariamente por melhores notas e por mais conhecimento intelectual !!!....
 
Ari Weis em 18/09/2011 03:58:31
O sistema de ensino da escola citada na reportagem merece parabéns. Deveria ser modelo para todas as escolas do Brasil. Parabéns tb a repórter pela matéria.
 
Clayton B. de Oliveira em 17/09/2011 12:26:52
Uma sugestão: peguem os alunos de uma escola pública e coloquem no bionatus por um ano, com os mesmos professores e com o mesmo número de alunos por sala, e esperem pelo resultado do bionatus, que verão que uma boa escola se faz com bons professores, mas TAMBÉM com alunos que querem aprender, ou que seus pais queiram que eles aprendam.
 
andréia laura em 17/09/2011 10:53:52
Parabens aos professores ,coordenadores e aos estudantes...a participação de todos
é importante para a conquista da escola !
Vale cada centavo pago em um estudo de qualidade e dedicação...

 
Cleo de Moraes em 17/09/2011 10:39:44
Estudo no bionatus e concordo plenamente com a senhora Andréia Laura, o que faz a escola não são apenas bons professores e boa infraestrutura, o mais importante nesse processo todo é a vontade e determinação do aluno com perfil bionatus, aqueles que realmente se dedicam, correndo atras de seus sonhos e visando as melhores universidades do pais, seja para medicina, moda, engenharia...
 
josé miguel em 17/09/2011 08:57:19
O ministro da Educação deveria ler essa matéria e pegar esse exemplo para todas as escolas publicas do Brasil, isso nada mias é do que o lema da Bandeira Nacional Ordem e Progresso.
 
Alex Pedro da Silva Rodrigues em 17/09/2011 08:56:58
Realmente, não adianta nos iludir, os alunos que estão neste lugar tem objetivo, comparar Bionatus com escola publica não dá mesmo, onde os pais só vão a escola quando há um problema grave com seu filho, ou quando seu filho vai reprovar, isso para discutir com os professores. Bionatus não é uma escola para todos, e sim uma escola para quem quer realmente aprender, com objetividade. Parabéns
 
Marc Valente em 17/09/2011 04:00:20
Como o pobre que ganha mínimo pode pagar 1200 por mês?
Não sou contra esta escola, pelo contrário parabenizo-a.
Mas como fica que não pode pagar, temos que mobilizar a população para mudar urgentemente o sistema de ensino, melhorar a remuneração dos professores, e exigir tempo integral de estudo, aliado a outras atividades ludicas esportivas, para que os nossos filhos não fiquem na rua ou ocioso
 
mateus costa em 16/09/2011 12:37:07
Elismar, não querendo discordar de você... Claro que há alunos da rede pública na UFMS, porque realmente dedicam-se. Mas a questão aí deveria ser a rede pública se inspirar no exemplo do padrão do Colégio Bionatus, que para muitos não é acessível, e implantar o período integral, melhorando e modificando a forma de ensino, para aptidão não apenas na UFMS, mas nas melhores UF'S do país!
 
Simone Marchewicz em 16/09/2011 11:59:49
Conheço muita gente que estudou no Bionatus.. Admiro e MUITO o método de ensino deles. Concordo que a mensalidade deles é cara, mas é um investimento e tanto. Pra quem tem condições é o melhor a se fazer. E o bom de tudo é que os alunos que estão ali ESTUDAM mesmo! Tem um objetivo e vão atrás, assim valorizando o "valor" das mensalidades. (...)
 
Paulinha Salviano em 16/09/2011 11:38:25
E daí conheço aluno que estudou só em escola pública e esta na UFMS!!!
O que manda é o ALUNO e não a ESCOLA !!!!!!!!!!
As vezes querem fazer muita "moda" e "status"!!!!!!!
 
Elismar Fernandes Rocha em 16/09/2011 10:39:15
É verdade não e escola somente para milionários ou ricos pobres também podem estudar lá, só vai precisar digamos de uns três meses de trabalho para assegurar o pagamento de uma mensalidade. Só para lembra quanto é o salário miiiiiiiiinino mesmo?
 
jose carlos em 16/09/2011 10:23:12
o que falta na maioria das escolas atualmente é disciplina, que acaba prejudicando os estudos!!
 
professor rick em 16/09/2011 10:10:19
Toda pessoa que quer aprender hoje aprende independente de Escola ou professor, a facilidade é grande em tudo. A classe média em geral tem acesso a internet e os demais tem tudo de facilidade como : passe, refeição e material; basta não querer ser escravo que aprende e se destaca
 
luiz alves pereira em 16/09/2011 09:40:47
É isso que precisamos nas escolas municipais e estaduais, aluno tem que estar em horário integral na escola e de segunda a sabádo, só um turno não dá tempo pra ver tudo, sem falar que ainda tem: planejamento, passeio, recreação fora da escola e nas sextas feira, geralmente saem no intervalo, e a maioria das mães não levam seus filhos. A senhora Maristela disse tudo em poucas palavras.
 
Rozeneide Cirino em 16/09/2011 09:17:19
O meu salário e de r$l 1.200,00 reais. pago aluguel etc ... meu sonho e fazer educação física, mas é em torno de R$700,00 a r$800,00 a vida e assim , estamos presos no sistema, paga quem pode, obedece quem tem juizo !!!!!
 
ronaldo tardin em 16/09/2011 08:30:13
Parabéns! Não pelo 1º lugar,pq hoje é ela e o ano que vem poderá ser qquer outra q invista igualmente, porém pq consegue colocar disciplina e consciencia na cabeça destes alunos p/estudarem!
Zero p/ o aluno q falou desmerecendo outros cursos, como "moda". Fique ele sabendo q o mais importante é fazer um curso q te realize. Talvez não verei o nome dele na lista de medicina/2012.
 
Paulo Roberto Silva Bitencourt em 16/09/2011 07:15:50
Se realmente olharmos o percentual de alunos do Bionatus que fizeram a prova do Enem veremos que não foi os 100%, por isso o primeiro lugar. Mas vejam quantos do Alexander Flemimg fizeram?? 100%, daí o segundo lugar. Sem dúvida é uma boa escola, mas o Alexander Flemimg é quem deveria ter o primeiro lugar novamente, como no ano passado e que ficou entre as 5 melhores do centro-oeste.
 
Andrea Azevedo em 16/09/2011 03:15:58
NA REALIDADE O QUE FALTA É RESPONSABILIDADE POR PARTE DOS PAIS, POR EXEMPLO: POR UM ACASO OS PAIS DE ALUNOS "POBRE" NÃO TEM NOÇÃO DE COMO É A VIDA ESCOLAR DE SEU FILHO ENQUANTO QUE O PAI RICO VIVE DENTRO DA ESCOLA, OU SEJA, A PARTICIPAÇÃO DOS PAIS PARA O APRENDIZADO É ESSENCIAL, MAS ACHA QUE OS PAIS POBRES VÃO PERDER A SESSÃO DA TARDE PARA IREM À ESCOLA SABER COMO ANDA O DESEMPENHO DE SEUS FILHO?
 
GISELE MARQUES em 16/09/2011 01:39:04
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.