A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

16/01/2012 18:29

Mato Grosso do Sul é um dos campeões em malucos por trabalho

Ângela Kempfer
Croacy montou o escritório ao lado de casa e só o que faz é trabalhar. (Foto: Simão Nogueira).Croacy montou o escritório ao lado de casa e só o que faz é trabalhar. (Foto: Simão Nogueira).

"Workaholics", malucos por trabalho, gente que vive entre telefonemas e papelada. Esse tipo de pessoa é cada vez mais comum por aqui e faz de Mato Grosso do Sul o terceiro no Brasil em quantidade de horas dedicadas pelo trabalhador ao serviço.

Veja Mais
Aos 56 anos, Márcia é parceira do filho do tênis de LED ao Pokémon Go
Papai é a estrela, mas Mamãe Noel pode fazer toda diferença no Natal

Croacy Borba de Farias ganhou o título de "workaholic” quando resolveu montar o escritório ao lado de casa, no bairro Coronel Antonino. Aos 56 anos, o representante comercial fica 24 horas a disposição dos clientes.

“Tento ter uma hora e meia de almoço, mas se alguém liga, não dá para não atender. É raro quando isso não acontece”, justifica.

O filho mais velho, Vitor, de 11 anos, é o que mais reclama. “Quer brincar, quer atenção, mas tem horas que não dá”, diz o pai.

A tecnologia criada para facilitar as coisas é aliada, mas também reduz ainda mais o tempo de folga. “Não tem hora para receber e-mail, né? Tenho de olhar sempre e encaminhar as propostas às empresas e aos clientes. Eu não paro”, comenta Croacy.

Outra dificuldade é a diferença nos horários comerciais em relação a estados como São Paulo. “Eles trabalham justo na hora do meu almoço, porque lá é uma hora a mais”, lembra.

Ele acorda todos os dias às 6h e quarenta minutos depois já está no escritório. Por dia, são cerca de 20 clientes ligando ou recebendo propostas do representante comercial que atua no setor de material elétrico. “Gosto do que faço. Não tem outro jeito, outra forma de trabalhar menos”, argumenta.

Levantamento feito pela Agência Estado, com base em dados do IBGE de 2010, acabou com a fama de São Paulo no quesito dedicação ao trabalho.

Os"workaholics" do País estão na região Centro-Oeste. O primeiro lugar é de Goiás, onde 32,6% das pessoas trabalham mais de 45 horas por semana. Em segundo fica o Mato Grosso ( 30,5%) e terceiro lugar Mato Grosso do Sul (29,1%).

Apesar de remeter ao cenário mais urbano, o fator responsável seria a alta concentração de de trabalhadores nas zonas rurais e a falta de sindicatos estruturados que cobre o cumprimento de carga horária adequada.

As regiões Norte e Nordeste são onde proporcionalmente há menor dedicação ao trabalho, com o maior índice de pessoas trabalhando menos de 14 horas por semana.

O líder é o Maranhão, com 11,8% dos trabalhadores, seguido por Acre, Pará, Amazonas, Bahia e Pernambuco. Os motivos são o trabalho temporário em atividades extrativistas ou na agricultura de subsistência. (Com informações do Jornal Estado de São Paulo).




Ja tive esse disturbio, depois de muita reza, algumas ervas, alguns santos, e uns banhos aromatizados, buzios, taro e alguns pai e mães de santo me livrei dessa droga. kakakakakakakakkakakak
 
jose carlos em 17/01/2012 11:53:48
trabalha muito deixa filhos e esposa em ksa dai o ricardao vira"workaholics" tbem dai nao adianta reclamar........muitas vezes o dihiero que se ganha nao paga a felicidade com as pessoas ki vç ama
 
ANDRE LUIZ em 17/01/2012 11:51:23
Bem foi dito do centro Oeste onde foi feito a pesquisa, povo do mato grosso do sul não gosta de trabalhar, agora líder no Brasil em questão de trabalho é Curitiba, Porto Alegre, e não é atoa que é uma região mais desenvolvida e rica.
 
Priscila silva em 17/01/2012 11:30:54
Aos trabalhadores de plantão: o tempo passa, a juventude passa, tudo passa e a velhice chega e aí? Tarde demais para arrependimentos... filhos, esposa(o), amigos, Deus, etc.
No fim, o mais prejudicado é a própria pessoa, quando se der conta que passou uma VIDA tendo como companheiros as máquinas de trabalho!
Nada contra o trabalho, apenas, pelo discernimento, há momentos para tudo na vida!
Divina
 
Divina Lemos em 17/01/2012 10:01:25
Graças a Deus eu não sofro disso.
 
Caio Souza em 17/01/2012 09:54:24
Concordo com Maria Antonieta a maioria dos workaholics que conheço, não são viciados por trabalhos mas por necessidade.O caso do representante comercial citado na reportagem é que este é um ramo do qual ele tem que estar sempre a disposição p/ não perder venda.
 
Romildo Fagundes em 17/01/2012 09:23:36
É interessante também saber qual é a colocação de MS no ranking nacional de infartos..
 
Boni Miranda em 16/01/2012 09:30:56
Não vejo ser vantajoso em ser reconhecido de ter mais tempo de trabalho do que São Paulo , a verdade é que as empresas sérias e grandes entendem que nao é a quantidade de horas que se trabalha e sim a qualidade do tempo de trabalho.
 
JOAO TARCISO em 16/01/2012 09:03:17
tá explicado o porque destas leis de não vender bebida em aglomerações e condenação de festas no centro... o povo de campo grande ; materialista, só pensa em trabalhar e dormir, trabalhar e dormir, proibindo assim, aqueles que querem se divertir...
 
jorge mendes em 16/01/2012 07:35:18
Como conseguir apenas em 08 horas por dia resolver tudo, é difícil mesmo, dizem que o dia foi feito de 08 horas para trabalho, 08 para dormir e 08 pra diversão, no caso das mulheres por exemplo isso nunca foi possível, se vc é executiva e trabalha fora, vai chegar em casa e vai ter uma série de coisas que não são diversão, e sim trabalho, fazer o quê. Não é loucas por trabalho é necessidade.

 
maria antonia ribeiro gonçalves em 16/01/2012 07:26:09
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.