A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

04/09/2012 13:37

De agasalho a guarda-chuva, feirão da AACC vende peças a preço de fronteira

Mariana Lopes
Maria Salete aproveitou o horário do almoço e correu para conferir os produtos (Fotos: Minamar Júnior)Maria Salete aproveitou o horário do almoço e correu para conferir os produtos (Fotos: Minamar Júnior)

Agasalhos, camisas, blusas, meias, cintos, calça jeans e até guarda-chuva. São cerca de 7 mil peças vendidas a preço de fronteira durante hoje e amanhã no Feirão da AACC (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer). Assim como os produtos, os preços também são bem variados, vão de R$ 1 a R$ 50.

Veja Mais
De super-herói a câmera analógica, presentes para nerds estão em alta
Oficina oferece de graça curso básico sobre veículos para mulheres

As peças que chamam mais a atenção das pessoas são os abrigos, de casaco e calça de moletom, tanto de adultos, que saem por R$ 50, quanto os infantis, que estão pela metade do preço, a R$ 25.

As calças jeans, com o preço único de R$ 35, também são bem visadas por quem passa pela feira, e opção de modelos é o que não falta, tem para todos os gostos, das mais claras às mais escuras.

Outra opção de roupa que é a cara do campo-grandense é a camisa xadrez, tanto masculina, que custa R$ 35, quanto a feminina, que no Feirão sai por R$ 20. Fora as roupas, a feira tem ainda toalhas, redes, desodorantes e os guarda-chuvas estão por R$ 8. O produto mais barato são as meias, que custam apenas R$ 1 o par.

 De agasalho a guarda-chuva, feirão da AACC vende peças a preço de fronteira

“Os preços compensam muito, além de ajudar a AACC”, comenta a funcionária pública Maria Salete Melo Pereira, 38 anos. Ela aproveitou o horário de almoço do trabalho e correu para a feira, de onde promete sair com roupas para ela e os filhos.

As peças do Feirão foram doadas pela Receita Federal, de produtos apreendidos do contrabando da Bolívia e Paraguai. A feira acontece nesta terça (4) e quarta-feira (5), das 8h às 17h, sem intervalos.

As compras podem ser pagas no dinheiro ou no cartão de crédito e débito, e dependendo do valor, pode ser dividido em mais de uma parcela. Segundo a coordenadora da feira, Maria Cristina Charão, o dinheiro arrecadado será revertido para a manutenção da entidade.

A AACC fica na rua Ernesto Geisel, 3475, bairro Orpheu Baís, em Campo Grnade. Mais informações pelo telefone (67) 3322-8000.




Algum dos autores que criticam a iniciativa, ja abraçou uma criança com câncer???
Parabéns a AACC e a seus colaboradores.
 
Cesar Miguel Castro em 05/09/2012 12:55:31
Concordo com o comentário da D. Marcia Fernandes, o Asfalto das ruas de Campo Grande dizem que vem do IPTU que por sinal é muito caro, e como se não bastasse ainda tem o carne do asfalto. Agora a população Brasileira já paga tanto imposto, concordo que devemos doar, mas a obrigação principal é dos governantes. Porque não Doam as quantias que foram encontradas nas cuecas e paraísos fiscais?
 
grayce nunes em 05/09/2012 12:11:02
A iniciativa é ótima mas eu queria saber onde ele fazem as doações de Not books,aparelhos de som automotivo,alto falantes,celulares,cameras profissionais,tablets,placas de computadores etc etc e tal...Fica uma pergunta no ar,onde vai todas essas coisas que nao são poucas!
 
Luciane Rodrigues Rezende em 05/09/2012 10:41:27
Produtos frutos de contrabando, na maioria das vezes, são produtos pirateados. Creio que o correto seria incinerá-los e não doá-los para venda.
É como cobrir a cabeça e descobrir os pés.
A causa é boa mas errada.
 
Pedro Alcantara Machado em 05/09/2012 09:24:12
parabens, espero que as vendas dessas mercadorias ajudem as nossas crianças que tanto precisam, vejo que alguns comentários sao de pessoas egoistas que só se preocupam com si mesma, como também acredito que os carros aprendidos de traficantes deveriam ser leiloados e esse dinheiro repassado para as entidades filantropicas que realmente prestam um bom serviço a nossa sociedade.
 
JOSE M COSTA em 05/09/2012 09:09:59
Eu já trabalhei em varios bazares beneficientes desse tipo. e as pessoas que vão comprar sempre reclamam do preço.

Se é mais barato na fronteira, vai lá e compra então. o bazar é por uma boa causa. juntar dinheiro pra entidade. se não quer ajudar, assume que não quer e para de choro.
 
Luan Henrique Lopes em 05/09/2012 08:44:05
As pessoas que criticam a destinação dos produtos apreendidos, não conhecem a realidade de uma Instituição destas, deveria fazer uma visita e agradecer a Deus por não precisar, por que tenho certeza que se um dia precisar será recebido de braços abertos pela Instituição. Quanto mais ajuda eles receberem melhor....não sabemos o dia de amanhã. Que Deus sempre os proteja.....
 
zenilza sampaio em 05/09/2012 08:36:58
Discordo absolutamente de algumas pessoas que falam sem conhecimento de causa , que os produtos apreendidos ficam com quem apreende, devia se informar melhor considerando que tudo é catalogado e lacrado na frente dos envolvidos e se viu alguma irregularidade é só denunciar ao invés de julgar. A Lei é para todos, além do mais se os "honestos" estivessem dentro da Lei não seriam apreendidos.........
 
ZENILZA SAMPAIO DE OLIVEIRA em 05/09/2012 08:33:11
Poxa, deveria se estender ate o fim da semana. Queria muito ir, mas infelizmente tinha compromisso no horario de almoço :(
 
Paula Eduarda em 05/09/2012 01:51:54
Cara Luciane Rodrigues Rezende na fronteira existem muitas escolas que recebem todos os meses doações da Receita Federal. Se você possui alguma entidade filantrópica é só fazer o envio de um ofício para a Receita Federal que você também poderá receber doações de produtos apreendidos. Acho que um pouco de informação não faz mal a ninguém.
 
Priscila Martins em 05/09/2012 01:40:53
Fernando de Paula, você deve ser um dos que tiveram a mercadoria apreendida para falar uma asneira desse tamanho, repense o que você disse, pois você dizer que uma instituição com a idoneidade da AACC, que luta diariamente pra ajudar crianças portadoras de uma doença terrível como o câncer a ter uma vida mais digna, não precisar dessa ajuda. conheça o trabalho antes de julgar a instituição.
 
Anderson Luiz em 04/09/2012 11:20:30
Esse enrustido do fernando, não deve ter nem um cachorro para dar água, pois se tivesse alguma coisa para ter algum tipo de sentimento, não teria escrito esse absurdo.
Ser contra a AACC é ser contra a vida desse anjinhos inocentes que nem sabem porque estão sofrendo assim.
 
Julio Martini em 04/09/2012 11:09:46
Parabéns a AACC que vem prestando um ótimo trabalho para essas crianças que tanto precisam de ajuda...Os preços estão ótimos...
 
Ana Carolina Santana em 04/09/2012 09:21:42
discordo da opnião....de quem diz que o asfalto sai desse tipo de imposto.. o asfalto que passa na frente da minha casa sai do iptu.. e do carne do asfalto...acho que as pessoas devem ajudar a aacc.. de coração. com doação,, e não perdendo seu ganha pão..aliás,assistir os necessitados é responsabilidade do governo.. o que se paga de imposto nesse pais é um absurdo. é revoltante. só Deus.
 
Marcia Fernandes em 04/09/2012 06:40:12
Essa roupas são vendida e os recursos obtidos são em prol da instituição. Se algum cidadão descordar vai até a instituição PÓE A MÃO NO BOLSO e faça uma DOAÇÃO de preferência em dinheiro para eles. Já e de uma burocracia terrível conseguir a liberação de produtos apreedidos.
 
jose carlos silva em 04/09/2012 05:18:00
Na minha opinião acho que esta muito caro porque sabemos que na fronteira é bem mais em conta e se é apreendido porque a aacc tem que vender pelo mesmo preço daki.Vamos combina que eles ganharam da receita não tiveram gastos nenhum.È minha opinião.
 
Gabriela g. Silva em 04/09/2012 04:51:52
MARYANNA BRITTES, é certo que na internet se diz de tudo, mas é certo que somos responsáveis por tudo o que dissermos. Dessa forma, é injusto a senhora dizer que metade dos produtos foram desviados pelos policiais/fiscais que fizeram com que essa mercadoria chegasse até essa feira. E agora? a cara de tacho fica com quem?
 
Valter Oliveira em 04/09/2012 04:39:41
Nada mais justo, pois se as peças foram apreendidas por contrabando ou descaminho, que sejam usadas de uma forma que possa contribuir com a AACC/MS que faz um trabalho maravilhoso!!!
 
Lizeti Aparecida Zanineli em 04/09/2012 03:38:17
Que atire a primeira pedra quem nunca comprou nada contrabandeado. Aliás está o mesmo preço que do camelódromo. Seria ótimo se toda essa mercadoria fosse pra AACC mesmo, pois todo mundo sabe que metade fica nas mãos de quem as apreendeu né. E agente fica com cara de taxo. É o Brasil !!
 
Maryanna Brittes em 04/09/2012 03:31:26
Acho que a AACC, merece doaçoes, muitas pessoas precisam da entidade, mas coitado das pessoas que stavam trabalhando vendendo roupars e tiveram a sua mercadoria apreendida quando comprava mais, e não estava roubando, porque a policia nao faz doaçao dos carros de traficantes e as arenonaves também, vender todos a preço de banana também iria ajudar as pessoas e as entidades, e não ocupariam espaços.
 
Lenita Santos em 04/09/2012 03:08:40
Como disse o Sr. Fernando, realmente a bandidagem não deve ficar solta, mas sonegar impostos é crime e tira o sustento dos filhos de quem paga os impostos, impostos estes que são usados para asfaltar a porta da sua casa e dar remédio pra seus filhos no posto de saúde.
 
Marcelo Sousa em 04/09/2012 03:08:32
Discordo de que o preço das calças esteja alto, pq nas lójas o preço fica em torno de R$ 45,00 para mais,a não ser que se pague mais R$.200.00 de passagem ou combustivel,correr riscos com assalto e acidentes,gastar tempo, para ir busca-la,Isso sem contar que o material vendido transforma -se em ajuda para a entidade,tão necessaria para as crianças.
 
Teresa Moura em 04/09/2012 03:02:54
Caro Fernando de Paula

Convido a você a visitar a AACC - (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer), pois pelo seu comentário vejo que não conhece.e agradeça a DEUS, por nunca ter que usar.

O convite esta feito.
 
Ronaldo Souza em 04/09/2012 03:01:43
Acho isso um absurdo, pois essas mercadorias foram tiradas de pessoas honestas trabalhadeiras que dão o duro danado honestamente para sobreviver, essas malditas leis que sempre é assim, so perseguem os trabalhadores e a bandidagem ficam solta por ai fazendo o que querem destruindo vidas, robando etc. Se é probido a venda, porque para as instituinção podem?????
 
Fernando de Paula em 04/09/2012 02:49:17
Acho louvavel a destinação dos produtos apreendidos. Melhor ser reaproveitado do que ser destruido e causando dano ao meio ambiente que ja perdeu a materia prima e ainda receberia a poluição após a destruição dos produtos. Mas tb acho puxado uma calça que custa 12 ou 15 reais ser vendido 35 reais. Mas todo mundo quer ter uma oportunidade para sair ganhando! BRASIL...MAS TUA CARA!!!!
 
klebber Silva em 04/09/2012 02:02:13
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.