A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

02/05/2013 06:13

Ele era engenheiro e hoje "empresta" acessórios para atrizes da novela das nove

Elverson Cardozo
Rodrigo Stocco começou a carreira como trainee. Hoje, tem a própria loja. (Foto: Marcos Ermínio)Rodrigo Stocco começou a carreira como trainee. Hoje, tem a própria loja. (Foto: Marcos Ermínio)

Engenheiro de formação, ele começou a carreira como treinee da Ambev. Saiu como diretor de revenda. Durante o tempo em que trabalhou na companhia - quarta maior cervejaria do mundo, resolveu investir em franquias. Teve pelo menos 10 lojas voltadas ao público feminino. Passaram-se alguns anos e ele decidiu montar, com a irmã, a própria empresa. Hoje, vende franquias.

Veja Mais
Estilistas criam coleção especial para quem tem algum tipo de deficiência física
Referência em Medicina, cursinho abre inscrições para bolsas de até 100%

Aos 33 anos, o empresário Rodrigo Stocco, dono da My Gloss, marca de acessórios femininos, comemora o sucesso na carreira e vê, todos os dias, na TV, em horário nobre, o resultado do trabalho que começou há pouco mais de 2 anos. “Estamos com uma projeção muito forte na mídia”, disse, em entrevista ao Lado B.

Parte do elenco escalado para novela das nove, “Salve Jorge”, da Rede Globo, usa os acessórios vendidos pela marca, que está espalhada por todo o Brasil, inclusive em Campo Grande.

Na pele da delegada Helô, Giovana Antonelli, se tornou uma das principais “garotas propagandas”. Em várias cenas apareceu com bolsas, brincos e colares e os braceletes dourados que trazem a oração de São Jorge. A maioria dos acessórios, indispensáveis na composição da personagem, uma mulher de personalidade forte, são da My Gloss.

Mas não é só ela que se tornou “propagandista”. Dona Leonor (Nicette Bruno), Irina (Vera Fisher), Waleska (Laryssa Dias) e outras “traficadas”, incluindo Jéssica (Karolina Dieckmann), já apareceram produzidas com os acessórios.

Colares utilizados pelas traficadas  é da My Gloss. (Foto: Reprodução/Internet)Colares utilizados pelas "traficadas" é da My Gloss. (Foto: Reprodução/Internet)
Giovana Antonelli, a Helô de Salve Jorge, com bolsa da marca. (Foto: Reprodução/Internet)Giovana Antonelli, a Helô de Salve Jorge, com bolsa da marca. (Foto: Reprodução/Internet)

Logo que as cenas foram para o ar, a empresa, que sempre focou seu marketing na internet, tratou de anunciar a “novidade” aos seus seguidores no blog e nas redes sociais. Nas lojas de todo o Brasil, a procura das clientes que “descobriram” de onde vêm as peças aumenta a cada dia.

A novela, a mídia de forma geral, populariza tendências, mas o empreendedor precisa saber trabalhar, afirmou o empresário. Para quem depende da rede, o cuidado para não “cansar” e irritar os clientes com o que ele chama de “quero te vender”, deve ser ainda maior.

O início - A franquia de acessórios idealizada por Rodrigo Stocco “nasceu” na internet, mas, no início, não surgiu com a proposta de vender, pelo contrário. “A My Gloss era, na verdade, um blog de moda”, relembrou, ao dizer que a página funcionava como um “personal stylist virtual”.

“Começamos com a prestação de serviço. Isso virou um boca-boca, claro, um viral, mas o início as pessoas se surpreendiam. Falavam: ‘poxa, se eu quiser saber como vou à festa de formatura vai vir sugestão instantânea para mim no site”, exemplificou.

Dona Leonor com bolsa da My Gloss. (Foto: Reprodução/Internet)Dona Leonor com bolsa da My Gloss. (Foto: Reprodução/Internet)

Quem mantinha o blog era a irmã, Kátia, estilista e designer que, à época, estava lançando a própria marca. “Vi ela fazendo aquelas bolsas para vender e falei: ‘Isso vai virar franquia’. Já tinha um conhecimento nessa área, passei a estudar e daí surgiu a My Gloss”, contou.

Depois do projeto, a primeira loja foi inaugurada um ano depois. Como o blog já havia se popularizado, atrair clientes não a tarefa mais difícil. Havia certa expectativa do público que acompanhava o trabalho da blogueira, mas ainda não sabia o que seria vendido na loja.

“Quando a gente abriu a primeira tinha em torno de 60 mil fãs no blog. Houve duas inaugurações simultânea, aqui, em Campo Grande, e no Shopping Ibirapuera, em São Paulo. Foi coisa de fila na porta. O povo já conhecia, mas tinha uma expectativa muito grande em saber o que era a My Gloss”.

Ainda na fase de pré-inauguração, Rodrigo e a Irmã resolveram apostar na força do Facebook. Enquanto marca, acabaram crescendo com o “boom” da rede no Brasil. Hoje, a My Gloss tem 1,3 milhões de seguidores e é considerada a maior página de moda do país.

Atualmente a marca de acessórios está presente em Campo Grande, São Paulo, Belém, Aracajú, Fortaleza e Recife. São 13 no total, mas até o final do ano, a previsão é que seja inaugurada mais 13. A próxima será em Brasília.

Empresário diz que 99% da estratégias de marketing da empresa é feita na internet. (Foto: Marcos Ermínio)Empresário diz que 99% da estratégias de marketing da empresa é feita na internet. (Foto: Marcos Ermínio)

Ações de marketing - Apesar das lojas físicas, comandada por cerca de 100 colaboradores, Stocco afirma que 99% das ações de marketing da empresa continuam a ocorrer na internet. O alcance, só no Facebook, chega a 4,5 milhões de pessoas por semana.

Ficou mais fácil vender, divulgar os produtos e a própria marca, mas, por outro lado, o cuidado deve ser redobrado. Uma equipe monitora tudo o que é falado sobre a empresa. “Se tem um comentário negativo, você tem que agir rápido. Se isso se alastrar, pode virar contra você”, afirmou.

Mas há algumas “regras” para que um empreendedor seja bem sucedido na internet. As redes sociais hoje funcionam como SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) e quem compra ou tem alguma problema quer uma solução rápida. Não adianta responder depois de três dias. “Perde o efeito”, exemplificou.

Outra dica é não deletar comentários negativos. “Esquece. Isso vira contra você. Deixa, mas responde e rápido. Esse é o grande lance”, resumiu.

Além das “precauções” na rede, o empreendedor, em qualquer ramo, precisa cuidar do caixa. “A gente costuma dizer que o prejuízo não quebra. O que quebra é a falta de caixa. Quando você tem uma empresa em expansão é preciso tomar cuidado com isso. Se planejar direito, ver os recursos financeiros que vai precisar lá na frente para não ter nenhum tipo de surpresa”, recomenda.

Mas o “segredo” essencial está na ousadia, na novidade. “Você tem que apostar em uma tendência e investir nela. A gente apostou na comunicação em rede social e isso deu um resultado enorme. Ficamos conhecidos rapidamente. Em dois anos as pessoas que falam de moda, passaram a passaram a falar da My Gloss. Já é referência”, finalizou.

Rodrigo Stocco e a equipe de Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)Rodrigo Stocco e a equipe de Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio)



Parabéns pelo belíssimo trabalho de sucessso!!
 
Marines Stocco em 02/05/2013 19:43:42
Parabens Rodrigo pelosucesso....




 
wanda Britto em 02/05/2013 14:31:14
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.