A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

20/10/2016 08:02

Curso ensina mãe a usar balde na hora do banho e toalha para relaxar bebê

Naiane Mesquita
Luiza já tomou vários banhos e agora topa ser garota propaganda da prática (Foto: Alcides Neto)Luiza já tomou vários banhos e agora topa ser garota propaganda da prática (Foto: Alcides Neto)

Sentados em um balde médio, os bebês mal tem espaço para se mexer, mas as especialistas garantem que eles estão super confortáveis. A técnica de “ofurô” para os pequenos costuma encher de dúvidas as mães, principalmente, as de primeira viagem. Por isso, um curso específico sobre o procedimento foi realizado na tarde de ontem com o foco simples, como, por exemplo, segurar o bebê corretamente durante o relaxamento.

Veja Mais
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal
Peregrinos não precisam ir tão longe, nosso "Caminho de Santiago" fica a 60km

Daniele e Derik juntos no banho de balde (Foto: Éd Vieira)Daniele e Derik juntos no banho de balde (Foto: Éd Vieira)

“A hora do banho é um momento em que os familiares têm muitas dúvidas. Elas chegaram aqui cheias de perguntas”, afirma a enfermeira Delia Esmeyre, responsável pelo curso realizado no espaço Laço Materno.

O banho de balde é de total relaxamento para o bebê. A temperatura da água pode ser morna e a mãe deve segurar a criança pelo braço, sem forçar nada. Naturalmente ele se acalma e aproveita o momento. Para ajudar, pode-se colocar uma toalha na cabeça, mantendo o corpo aquecido.

A toalha, inclusive, é utilizada também nos outros banhos. “Você pode enrolar a criança na toalha para que ela se sinta acolhida e os pais consigam se organizar. Existe muito medo ainda pela criança ser molinha, a insegurança é normal”, ressalta Delia.

Para quem estranha limpar o bebê na posição e com pouco espaço, a enfermeira frisa que o banho de balde não é voltado para a higienização da criança. “É um relaxamento mesmo, depois os pais podem fazer uma massagem e ir acalmando o bebê. Ele dorme bem mais tranquilo e a mãe também”, ri.

Derick, de 2 meses, testou seu segundo banho de ofurô na vida. No início reclamou da água, mas depois distribuiu sorrisos. Filho único de Daniele Gonçales, 32 anos, ele está experimentando o melhor da vida, de banho de balde a piquenique no parque. “Sempre que conheço alguma coisa legal e nova eu tento fazer com ele”, conta a mãe e funcionária pública.

Mesmo sem baldinho ou toalha, Luiza, de 4 meses, reclamou o tempo todo para os coleguinhas a falta de opção para o banho. Filha da empresária Bruna Soares, 25 anos, ela serviu até de garota propaganda do curso e é completamente louca pelo momento. Mesmo sem falar, aproveitou para “choramingar” exigindo seus direitos.

“Ela adora mesmo. Eu já dei vários em casa, ela se diverte. No começo você não sabe muito, mas vai pegando o jeito”, acredita.

Mães se reuniram para aprender mais sobre a técnicaMães se reuniram para aprender mais sobre a técnica



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.