A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

22/12/2015 06:56

Empresa volta ao mercado de videogames com o Coleco Chameleon

Edson Godoy
Empresa volta ao mercado de videogames com o Coleco Chameleon

Em setembro trouxemos a informação sobre um novo console que seria lançado através de financiamento coletivo, o Retro VGS. A campanha não deu certo. O projeto foi bastante criticado por, entre outras razões, não possuir um protótipo funcional para comprovar as intenções e promessas dos criadores. Mas eles disseram que voltariam com um projeto ainda mais robusto. E de fato voltaram.

Veja Mais
Last Guardian e Mario Maker no 3DS puxam lançamentos de dezembro
Dos três modelos da linha PlayStation 4, qual se encaixa melhor para você?

A Retro Video Game Systems anunciou no último dia 17 que o Retro VGS está de volta. Aliás, o projeto está de volta, mas com novo nome e novo parceiro: Coleco Chameleon. Não... Você não leu errado. A empresa Coleco, responsável pelo mais poderoso console da segunda geração, o Colecovision, lançado em 1982, juntou forças com a empresa para lançar o novo console.

Poucas informações sobre o hardware foram reveladas, o que nos faz crer que na verdade se trata do mesmo aparelho que teria sido o Retro VGS: um console que utiliza dois chips, sendo um com tecnologia ARM – comum em vários consoles, e outro com tecnologia FPGA – Field Programmable Gate Array, que permite que o programador insira códigos no cartucho que determinam a forma como esse chip irá se comportar, o que pode permitir ao videogame que ele funcione como um console clássico, como o Super Nintendo ou NeoGeo, por exemplo. Significa dizer que um jogo novo programado para o Coleco Chameleoon poderá funcionar como se fosse um jogo novo de Super Nintendo por exemplo.

Ah, e você não leu errado não. A mídia que o console irá utilizar é a de cartucho. Essa informação inclusive é oficial para o Coleco Chameleon, e todos os jogos virão com caixa e manual, algo fundamental para os retrogamers e colecionadores. O console rodará jogos novos com gráficos no estilo 8, 16 e 32bit e também poderá rodar jogos de consoles clássicos, utilizando a tecnologia do chip FPGA que explicamos acima, juntamente com adaptador que possibilite o console a aceitar o cartucho específico do console clássico que se queira jogar.

Outro importante fator do console que deve ter chamado a atenção do leitor: sua carcaça possui sim o mesmo design do Atari Jaguar. Isso, além de uma opção estética, também possui uma explicação financeira, pois a Retro Video Game Systems conseguiram os moldes/prensas industriais originais que a Atari utilizava para fabricar o Jaguar e seus cartuchos, o que diminuirá os custos de produção em meio milhão de dólares.

Um protótipo funcional será apresentado já em fevereiro, durante a Toy Fair New York 2016 e a expectativa é que o console esteja a disposição para venda ainda no primeiro semestre do mesmo ano. No comunicado oficial nada foi falado sobre uma nova campanha de financiamento coletivo, o que abre a possibilidade para um lançamento com verba própria.

Tomara que dessa vez o projeto dê certo e nós gamers possamos contar com mais um console no mercado, voltado especialmente para aqueles que curtem uma jogabilidade mais retrô. Aproveitando que estamos falando sobre a Coleco, ontem à noite aconteceu o segundo VGDB no Ar!, nosso talk show web onde o assunto é sempre um console diferente. E adivinhem qual foi o assunto? Sim! O Colecovision. Então, se você quer conhecer mais sobre esse videogame clássico, confira como foi o programa no vídeo abaixo.

A coluna de games do Lado B tem o apoio da loja Press Start, que será inaugurada nos próximos dias, no Shopping Bosque dos Ipês. Já havíamos falado sobre ela em uma matéria aqui no Lado B. Com certeza mais uma ótima opção para os gamers de Campo Grande. Visite também o meu site, o Vídeo Game Data Base.

Curta o Lado B no Facebook!




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.